Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

A TEORIA DA COMPLEXIDADE E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS ADICIONAIS

TAVARES, Paulo Ott; LOPES-PERNA, Cristina Becker;

Artigo Completo:

O presente trabalho busca investigar em que medida os pressupostos da Teoria da Complexidade são discutidos durante a formação de futuros professores de línguas adicionais. A abordagem de fenômenos linguísticos a partir da perspectiva da complexidade foi introduzida na Linguística Aplicada por Larsen-Freeman (1997, 2002, 2008). No Brasil, Paiva (2006), Paiva e Borges (2011), Franco (2013), entre outros, têm estudado o ensino de línguas pelo viés da complexidade, e parece haver um número crescente de pesquisadores brasileiros que adotam tal perspectiva, resultando em trabalhos de mestrado e doutorado nesse campo. Uma questão que se coloca a partir da presença desse paradigma emergente na pesquisa em Linguística Aplicada no Brasil, é se essa produção está chegando na graduação, mais especificamente nos cursos de Letras, que formam professores de língua materna e adicional. Para discutir essa questão, o trabalho proposto faz uma revisão teórica das possibilidades de aplicação da complexidade no ensino de línguas adicionais, salientando conceitos próprios dessa abordagem que podem contribuir para o desenvolvimento da área. Em seguida é apresentada a metodologia da pesquisa realizada, a saber, questionários online respondidos por alunos de cursos de Letras em duas instituições de ensino superior em Porto Alegre/RS, que estão estudando para se tornarem professores de línguas adicionais. O questionário aplicado tem o objetivo de investigar o que os alunos sabem sobre o ensino de línguas adicionais através de uma abordagem complexa, e, em alguns casos, em qual momento de sua formação acadêmica eles foram apresentados a essa perspectiva. Resultados apontam que as contribuições da Teoria da Complexidade para a Linguística Aplicada ainda não são de conhecimento de grande parte dos alunos, o que mostra que ainda há um caminho a ser percorrido no sentido de popularizar a produção que já existe nos programas de pós-graduação no Brasil.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Ensino de língua adicional; formação de professores; teoria da complexidade,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-053

Referências bibliográficas
  • [1] FRANCO, C. de P. Um pouco de complexidade na Linguística Aplicada. Horizontes de linguística aplicada, ano 12, n.1, 2013, p. 183-197.
  • [2] GIBSON‚ J. J. The ecological approach to visual perception. New York: Psychology Press, 2015.
  • [3] KRAMSCH, C. Why is everyone so excited about complexity theory in applied linguistics? In: BAILLY, S.; BOULTON, A.; MACARIE, D (Org.). Didactique des langues et comlexite. En hommage a Richard Duda. Melanges CRAPEL 33, 2012 p. 9-25.
  • [4] LARSEN-FREEMAN, D. Chaos/complexity science and second language acquisition. Applied Linguistics. 18/2, 1997, p. 141–65.
  • [5] LARSEN-FREEMAN, D. Complex, dynamic systems: A new transdisciplinary theme for applied linguistics?. Language Teaching, 45/2, 2012, p. 202-214.
  • [6] LARSEN-FREEMAN, D. Saying what we mean: Making a case for ‘language acquisition’ to become ‘language development’. Language Teaching, 48/4, 2015, p. 491-505.
  • [7] LARSEN-FREEMAN, D.; CAMERON, L. Complex systems and applied linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2008
  • [8] MARTINS, A. C. S.; BRAGA, J. de C. F. Caos, complexidade e linguística aplicada: diálogos transdicsciplinares. Revista brasileira de linguística aplicada, v.7, n.2, 2001, p. 215-235.
  • [9] MERCER, S. Towards a Complexity-Informed Pedagogy for Language Learning. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. v.13, n.2, 2013, p. 375-398.
  • [10] TUDOR, I. The Dynamics of the Language Classroom. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.
  • [11] van LIER, L. The ecology and semiotics of language learning: A sociocultural perspective. Boston: Kluwer Academic, 2004.
Como citar:

TAVARES, Paulo Ott; LOPES-PERNA, Cristina Becker; "A TEORIA DA COMPLEXIDADE E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS ADICIONAIS", p. 677-687 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-053

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações