Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

A RETÓRICA NEOLIBERAL VERSUS FORMAÇÃO HUMANÍSTICA EM TEXTOS DE LIVROS DIDÁTICOS DE LI

ANJOS, Maria Elizete Pereira dos;

Artigo Completo:

O presente artigo visa discutir as orientações utilitaristas da educação, pautadas na retórica neoliberal em contraponto com o modelo de educação humanista e omnilateral (Gramski, 1985), implícitas em textos de manuais de ensino de língua inglesa. Para tanto, foram analisados dois textos: o primeiro, extraído do livro Inglês para o Ensino Médio de Sara Rubim e Mariza Ferrari e o segundo do It’s English- Ensino Médio da FISK. Os textos compõem a primeira unidade de ambos os livros. A intenção é discutir como os referidos manuais se diferem quando exortam o aluno para a importância do aprendizado de inglês, sendo que o primeiro utiliza um discurso que tende a colocar a escola no âmbito do mercado e das técnicas de gerenciamento, esvaziando, assim, o conteúdo político da cidadania, revelando a presença de orientações utilitaristas da educação que prepara o indivíduo apenas para o mercado do trabalho. O segundo relaciona o aprendizado de inglês com elementos da cultura do aluno enquanto propõe reflexões e indagações acerca da real importância da língua inglesa na vida do aprendiz, levando o mesmo à reflexão e à consciência crítica do papel e do lugar que uma língua estrangeira ocupa na vida das pessoas na atualidade, revelando uma intenção de projeto de educação pautada no modelo humanista, na omnilateralidade.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Neoliberalismo; Educação Humanista; Livro Didático de Língua Inglesa,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-040

Referências bibliográficas
  • [1] BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEF, 2000.
  • [2] ALMEIDA FILHO. J.C.P. Codificar conteúdos, processo e reflexão formadora no material didático para ensino-aprendizagem de línguas. In. PEREIRA, A.L. e GOTTHEIM, L. Materiais didáticos para o ensino de língua estrangeira. Processos de criação e contextos de uso. São Paulo: Mercado das Letras, 2013.
  • [3] AZEVEDO, Janete. M. Lins de. A Educação como Política Pública. Campinas, SP: Autores Associados, 1997.
  • [4] BIANCHETTI. Roberto G. Modelo Neoliberal e Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.
  • [5] BITTENCOURT. Circe Maria Fernandes. Em Foco: História, produção e memória do livro didático. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ep/v30n3/a07v30n3.pdf. Acesso em 03/01/16
  • [6] BRZEZINSKI, Iria. Formação de Profissionais da Educação e mudanças na LDB/1996: dilemas e desafios? Contradições e compromissos? In: BRZEZINSKI, Iria. LDB/1996 contemporânea: contradições, tensões e compromissos. São Paulo: Cortez, 2014, p. 112-143.
  • [7] CAPRIOGLIO, C. A. et al: Análise da L.D.B. da Educação Nacional Lei nº 9394/96, Visão Filosófico-política dos pontos principais. Revista Eletrônica, Metavnoia, São João Del Rei, n. 2, jul. 2000. Disponível em: Acesso em: 24 de dezembro de 2015.
  • [8] CLEARY, M. Culture in ELT. New Routes, São Paulo, n.36, p. 32-33, set. 200
  • [9] FRIGOTTO, Galdêncio. A produtividade da escola improdutiva. São Paulo: Cortez, 1986. In. BIANCHETTI. Roberto G. Modelo Neoliberal e Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez,1996
  • [10] GALVÃO, A. M. A crise da ética: o neoliberalismo como causa da exclusão social. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.
  • [11] GRAMSCI, Antônio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1985.
  • [12] HIRSCHMAN, Albert O. A retórica da intransigência. São Paulo, Companhia das Letras, 1992.
  • [13] KULLMAN, John. Challenging constructions of the world and the individual in the English Language textbook. In. PEREIRA, A.L. e GOTTHEIM, L (org.) Materiais didáticos para o ensino de língua estrangeira. Processos de criação e contextos de uso. São Paulo: Mercado das Letras, 20
  • [14] LIBÂNEO J. Didática: velhos e novos tempos. Edição do Autor, maio de 2002. MANACORDA, Mario de Alighiero. Marx e a Pedagogia Moderna. Trad. Nilton Ramos de Oliveira. São Paulo: Cortêz, 1991
  • [15] MARRACH, S. A. Neoliberalismo e Educação. In: GUIRALDELLI JUNIOR, P. (Org.). Infância, Educação e Neoliberalismo. São Paulo: Cortez, 1996. p. 42-56. MARX, K., ENGELS, F. O capital. São Paulo: Difel, 1985.
  • [16] MENDES, E. Aprender a língua, aprendendo a cultura: uma proposta para o ensino e Português Língua estrangeira (PLE). In: CUNHA, M.J.C &SANTOS, P. (org). Tópicos em Português língua estrangeira. 1 ed. Brasília: Editora UnB, pp. 185-199,2002.
  • [17] OLIVEIRA. A. M. Introdução Crítica á Literatura sobre Políticas Públicas. Estudos n. 3. Rio de Janeiro. IUPERJ, 1982.
  • [18] PEREIRA, A. L. Representações de gêneros em livros didáticos de língua estrangeira: reflexos em discursos de sala de aula e relação com discursos gendrados que circulam na sociedade. In. PEREIRA, A.L. e GOTTHEIM, L (org.) Materiais didáticos para o ensino de língua estrangeira. Processos de criação e contextos de uso. São Paulo: Mercado das Letras, 2013.
Como citar:

ANJOS, Maria Elizete Pereira dos; "A RETÓRICA NEOLIBERAL VERSUS FORMAÇÃO HUMANÍSTICA EM TEXTOS DE LIVROS DIDÁTICOS DE LI", p. 507-519 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-040

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações