Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A RELAÇÃO ENTRE TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA E SLOW DESIGN COMO CONTRIBUIÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS

A RELAÇÃO ENTRE TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA E SLOW DESIGN COMO CONTRIBUIÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS

Avelar, Johelma Pires de; Romeiro Filho, Eduardo;

Artigo:

O modelo de consumo dominante no ocidente parece ter entrado em colapso. Os padrões acelerados de extração de matérias-primas levam à crescente escassez de recursos, além da geração de um impacto ambiental que não é condizente com os limites do planeta. Existem diferentes abordagens na busca de soluções para estes problemas, desde aquelas que privilegiam a inovação tecnológica como forma de manutenção do atual modelo de consumo, mas com redução do impacto ambiental e outras que pressupõem que a tecnologia deve ser guiada pelas necessidades humanas, de forma não predatória e com efetiva mudança no modelo de desenvolvimento atual. Esta perspectiva é difundida pelo movimento slow, que defende que nem sempre o mais rápido pode ser considerado o melhor e que o consumo pelo consumo não tem sentido. Este artigo apresenta uma proposta de abordagem slow para a percepção de necessidades de usuários e definição de características de produtos e serviços a partir da aplicação de ferramentas tradicionais de projeto de produtos ao considerar seis princípios: revelar, expandir, refletir, empenhar, participar e evoluir. É realizada revisão de literatura sobre o tema e apresentado um exemplo de aplicação dos princípios do slow design a um produto de consumo.

Artigo:

O modelo de consumo dominante no ocidente parece ter entrado em colapso. Os padrões acelerados de extração de matérias-primas levam à crescente escassez de recursos, além da geração de um impacto ambiental que não é condizente com os limites do planeta. Existem diferentes abordagens na busca de soluções para estes problemas, desde aquelas que privilegiam a inovação tecnológica como forma de manutenção do atual modelo de consumo, mas com redução do impacto ambiental e outras que pressupõem que a tecnologia deve ser guiada pelas necessidades humanas, de forma não predatória e com efetiva mudança no modelo de desenvolvimento atual. Esta perspectiva é difundida pelo movimento slow, que defende que nem sempre o mais rápido pode ser considerado o melhor e que o consumo pelo consumo não tem sentido. Este artigo apresenta uma proposta de abordagem slow para a percepção de necessidades de usuários e definição de características de produtos e serviços a partir da aplicação de ferramentas tradicionais de projeto de produtos ao considerar seis princípios: revelar, expandir, refletir, empenhar, participar e evoluir. É realizada revisão de literatura sobre o tema e apresentado um exemplo de aplicação dos princípios do slow design a um produto de consumo.

Palavras-chave: Slow Design, Sustentabilidade, Metodologia de Projeto, Teoria Crítica da Tecnologia, Movimento Slow,

Palavras-chave: Slow Design, Sustentabilidade, Metodologia de Projeto, Teoria Crítica da Tecnologia, Movimento Slow,

DOI: 10.5151/cbgdp2021-3098

Referências bibliográficas
  • [1] .
Como citar:

Avelar, Johelma Pires de; Romeiro Filho, Eduardo; "A RELAÇÃO ENTRE TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA E SLOW DESIGN COMO CONTRIBUIÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS", p. 1005-1016 . In: Anais do 13º Congresso Brasileiro de Inovação e Gestão de Desenvolvimento do Produto. São Paulo: Blucher, 2021.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/cbgdp2021-3098

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações