Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A perda de densidade da estrutura industrial brasileira: uma análise com foco em "elos" industriais produtores de insumos e componentes

The loss of density of the Brazilian industrial structure: an analysis focusing on industrial "links" that produce inputs and components

Britto, Jorge;

Artigo:

O artigo procura avaliar a performance relativa de atividades que constituem "elos" de ligação entre as atividades da "base" e as atividades no "topo" da indústria brasileira, associadas à fabricação de insumos e componentes de uso relativamente generalizado pelo tecido industrial. O argumento básico é que uma pior performance comparada para o conjunto dos segmentos de "componentes industriais" constitui uma evidência importante de perda de densidade da estrutura industrial brasileira. A análise baseia-se num agrupamento particular de setores de atividades, visando caracterizar grupos de atividades associados à fabricação de insumos e componentes de uso generalizado pelo tecido industrial, e na utilização de informações da PIA-IBGE, relativas ao período 2007-2018, para avaliar a performance relativa dessas atividades em comparação com o conjunto da indústria. A partir dessas informações, a análise desenvolve reflexões sobre possíveis impactos das tendências identificadas em termos da possibilidade de recuperação de uma trajetória de maior dinamismo da indústria brasileira.

Artigo:

The article seeks to assess the relative performance of activities that constitute "links" between the "base" activities and the activities at the "top" of the Brazilians industry, associated with the manufacture of inputs and components of relatively generalized use by the industrial structure. The basic argument is that a worse performance compared to the set of "industrial components" segments constitutes important evidence of a loss of density in the Brazilian industrial structure. The analysis is based on a particular grouping of activity sectors, aiming to characterize groups of activities associated with the manufacture of inputs and components for general use by the industrial structure, and on the use of information from the PIA-IBGE, for the period 2007-2018, to assess the relative performance of these activities compared to the industry as a whole. From this information, the analysis develops reflections on possible impacts of the trends identified in terms of the possibility of recovering a trajectory of greater dynamism of the Brazilian industry.

Palavras-chave: Densidade da Indústria; Insumos Industriais; Mudança Estrutural- Indústria,

Palavras-chave: Structure; Industrial Inputs; Structural Change - Industry,

DOI: 10.5151/vi-enei-875

Referências bibliográficas
  • [1] ABBOTT, Ryan. Palestra inaugural com Ryan Abbott: o poder da inovação incremental. 2019. Seminário Internacional Patentes, Inovação e Desenvolvimento – X SIPID. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=92nBzudHMDk&feature=youtu.be. Acesso em: 20 jan. 202
  • [2] AGÊNCIA EFE. Argentina acuerda una política nacional de medicamentos para reducirprecios. El País. Disponível em: https://www.elpais.cr/2018/03/20/argentina-acuerda-una-politica-nacional-de-medicamentos-para-reducir-precios/. Acesso em: 03 fev. 2021.
  • [3] ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ministério da Saúde. Anuário Estatístico do Mercado Farmacêutico 2018. Brasília: Anvisa, 2019. 41 p. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2019.
  • [4] BELLONI, Annalisa; MORGAN, David; PARIS, Valérie. Pharmaceutical Expenditure and Policies: past trends and future challenges. Paris: OECD, 2016. 75 p. (HEALTH WORKING PAPERS). https://dx.doi.org/10.1787/5jm0q1f4cdq7-en. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/docserver/5jm0q1f4cdq7-en.pdf?expires=1611611314&id=id&accname=guest&checksum
  • [5] =559B042168388592025390FD94D5164E. Acesso em: 19 jan. 2021.
  • [6] BISANG, Roberto; LUZURIAGA, Juan Pedro; SAN MARTÍN, Mariano. El mercado de los medicamentos em la Argentina. Centro de estudios para el cambio estructural (Fundación CECE), 2017, p 14. Disponível em: http://fcece.org.ar/wp-content/uploads/informes/medicamentosargentina.pdf. Acesso em: 19 jan. 2021.
  • [7] BRASIL. Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Listas de preços de medicamentos. 2020a. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/listas-de-precos. Acesso em: 27 mar. 2020.
  • [8] CMAP - CONSELHO DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS (org.). Relatório de Avaliação Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF). 2019. ed. Brasília: Ministério da Economia, 2019. 116 p. (Ciclo CMAP 2019).
  • [9] CONSULTA REMÉDIOS. Disponível em: https://consultaremedios.com.br/. Acesso em: 08 out. 2020.
  • [10] DANZON, Patricia M.; KEUFFEL, Eric L. Regulation of the pharmaceutical-biotechnology industry. In: Economic Regulation and Its Reform: What Have We Learned? Univ. of Chicago Press, 2014. 411 p.
  • [11] DIAS, L. L. dos S.; SANTOS, M. A. B. dos; PINTO, C. Du B. S. Regulação contemporânea de preços de medicamentos no Brasil – uma análise crítica. Saúde Debate. Rio de Janeiro, v. 43, n. 121, p. 543-558, abr-jun, 2019.
  • [12] DRUMMOND, Elislene Dias; SIMÕES, Taynãna César; ANDRADE, Fabíola Bof de. Acesso da população brasileira adulta a medicamentos prescritos. Revista Brasileira de Epidemiologia, [S.L.], v. 21, p. 1-14, 2 ago. 2018. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720180007.
  • [13] DUARTE, Allan Coelho et al. Análise da Indústria Farmacêutica – Perspectivas e Desafios. Brasília: Núcleo de Estudos e Pesquisas/CONLEG/Senado, 2015 (Texto para Discussão nº 183). Disponível em: . Acesso em: 18 de out. 2019.
  • [14] ESPIN, J.; ROVIRA, J.; LABRY, A. O. de. WHO/HAI Project on Medicine Prices and Availability. Review Series on Pharmaceutical Pricing Policies and Interventions. Working Paper 1: External Reference Pricing. May 2011.
  • [15] HASENCLEVER, Lia (COORD.). Diagnóstico da Indústria Farmacêutica Brasileira. Brasília/Rio de Janeiro: Unesco/FUJB/IE-UFRJ. 2002.
  • [16] HASENCLEVER, Lia; PARANHOS, Julia; HOLGUIN, Tassia; MERCADANTE, Eduardo; MIRANDA, Caroline. As indústrias farmacêutica e de equipamentos médicos frente à pandemia da Covid-19: desafios e propostas para o futuro. In: SANTOS, Ronaldo P.; POCHMANN, Márcio (orgs.) Brasil pós-pandemia: reflexões e propostas. São Paulo: Alexa Cultural, 2020.
  • [17] HYMAN, David A.; SILVER, Charles. Pricing and Paying for Cancer Drugs: policy options for fixing a broken system. The Cancer Journal, [S.L.], v. 26, n. 4, p. 298-303, jul. 2020. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/ppo.0000000000000457.
  • [18] INTERFARMA - Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Brasil). Guia INTERFARMA 2020. São Paulo, 2020. 41 p. Disponível em: < https://www.interfarma.org.br/public/files/biblioteca/guia-2020.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2021.
  • [19] INTERFARMA - Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Brasil). Estudo Proteção do dossiê de testes no Brasil: um estímulo à inovação. Brasil: Interfarma, 2021. 24 p. Disponível em: https://www.interfarma.org.br/public/files/biblioteca/data-protection-ptbr.pdf. Acesso em: 28 jan. 2021.
  • [20] MANIADAKIS, N. et al. Comprehensive taxonomy and worldwide trends in pharmaceutical policies in relation to country income status. Bmc Health Services Research, [S.L.], v. 17, n. 1, p. 1-17, 25 maio 2017. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1186/s12913-017-2304-2.
  • [21] MARQUES, Eduardo Cesar. Estado e redes sociais: permeabilidade e coesão nas políticas urbanas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro/São Paulo, Revan/FAPESP, 2000. 352 páginas.
  • [22] MAZZUCATO, M. O estado empreendedor: desmascarando o mito do setor público vs. setor privado. 1ª ed. São Paulo: Portfolio-Penguin, 2013.
  • [23] MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2015. 1470 p.
  • [24] MOÏSE, Pierre; DOCTEUR, Elizabeth. Pharmaceutical Pricing and Reimbursement Policies in Mexico. OECD Health Working Papers, No. 25, OECD Publishing, Paris, 2007. 66 p. https://doi.org/10.1787/302355455158.
  • [25] MONTE, Rafaela Guerra. REGULAÇÃO JURÍDICA E ECONÔMICA DO MERCADO DE MEDICAMENTOS: fundamento, desafios e impactos regulatórios. 2019. 109 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Direito, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019. Cap. 6.
  • [26] MOURA, Fernando Soares de. Os Efeitos da Internacionalização do Mercado de Medicamentos Genéricos no Brasil na década de 2000. 2011. 99 f. Monografia - Curso de Ciências Econômicas, Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011. Cap. 03. Disponível em: https://pantheon.ufrj.br/bitstream/11422/1794/1/FSMoura.pdf. Acesso em: 08 out. 2020.
  • [27] PARANHOS, Julia; MERCADANTE, Eduardo; HASENCLEVER, Lia. Os esforços inovativos das grandes empresas farmacêuticas no Brasil. Revista Brasileira de Inovação, [S.L.], v. 19, p. 1-28, 22 jul. 2020. Universidade Estadual de Campinas. http://dx.doi.org/10.20396/rbi.v19i0.8655780.
  • [28] PARIS, Valérie; BELLONI, Annalisa. Value in Pharmaceutical Pricing Country Profile: Australia. OECD Publishing, 2014. 16 p. (Health Working Paper No. 63). Disponível em: https://www.oecd.org/health/value-in-pharmaceutical-Pricing-Australia.pdf. Acesso em: 04 fev. 2021.
  • [29] PAVITT, K. Sectoral patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, p. 343-373, 1984.
  • [30] PINHEIRO, Bárbara Juliana. Gestão da propriedade intelectual no âmbito da inovação aberta: um estudo em empresas farmacêuticas nacionais. 2012. 171f. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
  • [31] PROCON/SP - Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor. Pesquisa Comparativa de Preços de Medicamentos - 2020. São Paulo: Escola de Proteção e Defesa do Consumidor - EPDC, 2020. 9 p. Disponível em: https://www.procon.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/06/pesq_medicamentos_2020.pdf. Acesso em: 06 fev. 2021.
  • [32] RÊGO, E. C. L. Políticas de Regulação do Mercado de Medicamentos: A Experiência Internacional. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, p. 367-400, dez. 2000.
  • [33] ROCHA, Michele de Medeiros. Uma abordagem a partir de parceria sustentável para desenvolvimento e acesso a medicamentos inovadores no Brasil: riscos e desafios econômicos, regulatórios e científicos. 2019. 188 f. Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Gestão Sustentáveis, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019. Cap. 05.
  • [34] SAFATLE, Leandro. A CMED em 16 anos de Regulação do Mercado de Medicamentos no Brasil. Brasília: Secretária-Executiva da CMED, 2017. 20 slides. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/jpeg/2017/dezembro/11/Sala-Mandacaru-14h-Bruno-F-de-Oliveira.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020.
  • [35] SANTANA, Ricardo. Inovação incremental é tema prioritário na CMED. Revista Facto, Rio de Janeiro, v. 60, p. 8-10, jul. 2019. Publicação da ABIFINA.
  • [36] SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, Socialismo, Democracia. 1942. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1961. 487 p.
  • [37] SCHWEITZER, Stuart O.; LU, Z. John. Pharmaceutical Economics and Policy: Perspectives, Promises, and Problems. 3. ed. New York: Oxford University Press, 2018. 389 p.
  • [38] SINDUSFARMA - Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo. Perfil da Indústria Farmacêutica, 2019. 8 p. Disponível em: https://sindusfarma.org.br/uploads/Publicacoes/Perfil_IF2019_PORT.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.
  • [39] VIEIRA, Sérgio. Crescimento nada genérico. Istoé Dinheiro, 17 jul. 2020. Negócios. Disponível em: https://www.istoedinheiro.com.br/crescimento-nada-generico/. Acesso em: 08 fev. 2021.
  • [40] WHOCC - WHO COLLABORATING CENTRE FOR DRUG STATISTICS METHODOLOGY. Guidelines for ATC classification and DDD assignment 2020. 23rd ed. Oslo, 2019. 247 p. Disponível em: https://www.whocc.no/atc_ddd_index_and_guidelines/guidelines/. Acesso em: 08 out. 2020.
  • [41] YFANTOPOULOS, John N.; CHANTZARAS, Athanasios. Drug Policy in Greece. Value in Health Regional Issues, [S.L.], v. 16, p. 66-73, set. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.vhri.2018.06.006.
Como citar:

Britto, Jorge; "A perda de densidade da estrutura industrial brasileira: uma análise com foco em "elos" industriais produtores de insumos e componentes", p. 310-332 . In: Anais do VI Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI): “Indústria e pesquisa para Inovação: novos desafios ao desenvolvimento sustentável”. São Paulo: Blucher, 2022.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/vi-enei-875

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações