Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A exposição de design como zona de contato

The design exhibition as contact zone

Cossio, Gustavo; Cardoso, André Luiz Carvalho;

Artigo completo:

Este artigo reflete sobre a especificidade da exposição de design à luz de autores da sociologia, da antropologia e da museologia. Com base em uma revisão de literatura, a ideia é salientar a função social de mostras culturais que comunicam e educam pelo e para o design. Frente ao cenário pós-moderno de proliferação de não-lugares, compreende-se que o contexto museológico orientado ao design torna-se zona de contato ao aproximar o grande público da atividade projetual e ao levar em conta as problemáticas sociais e ambientais em seu conteúdo e seu projeto expositivo.

Artigo completo:

This article reflects on the design exhibition specificity in light of sociology, antropology and museology authors. Based on a literature review, the idea is to point out the social function of cultural exhibitions that communicate and educate by and to design. Facing the postmodern scenario of non-places proliferation, it is understood that the design-oriented museological context becomes a contact zone as it approximates the large public to the design field and as it takes into account the social and environmental problems in its content and its exhibition design.

Palavras-chave: design e cultura, design social, design de exposição, arquitetura de museus, design da informação,

Palavras-chave: design and culture, social design, exhibition design, museum architecture, information design,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-3.0411

Referências bibliográficas
  • [1] Agamben, G. (2009). O Amigo. Em G. Agamben, O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos.
  • [2] Antonelli, P. (2006). Design and Architecture: Paola Antonelli interviewed by Bennett Simpson. Em P. Marincola (org.), What makes a great exhibition? Philadelfia Exhibitions Initiative.
  • [3] Augé, M. (2012). Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. 9ª Ed. Campinas: Papirus Editora.
  • [4] ____. (2010). A noção de fronteira. Em M. Augé, Por uma antropologia da mobilidade. Maceió: EDUFAL UNESP.
  • [5] Borges, A. (2010). A celebração do melhor momento do design brasileiro. Em A. Borges, III Bienal Brasileira de Design. v. 1, 1ª. ed., Curitiba: Centro de Design Paraná.
  • [6] Bruno, M. C. (1996). Museologia e comunicação. Em Cadernos de Sociomuseologia. Lisboa: ULHT.
  • [7] Canclini, N. G. (2000). Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
  • [8] Cardoso, R. (2016). Design para um mundo complexo. São Paulo: Ubu Editora.
  • [9] Clifford, J. (2016). Museus como zonas de contato. Periódico Permanente. nº 6, pp. 1-37.
  • [10] Cury, M. X. (2006). Exposição - Concepção, Montagem e Avaliação. 1ª ed. São Paulo: Annablume.
  • [11] Foster, H. (2015). Construção de Imagens. Em H. Foster, O complexo arte-arquitetura. São Paulo: Cosac Naify.
  • [12] Freitas, E. M. V., Semedo, A. L. & Nascimento, E. de N. (2016). Musealização do design: percursos e questões de representação em contexto expositivo. Revista Museologia e Patrimônio. v. 9, nº 2, pp. 112-136.
  • [13] Huyssen, A. (1994). Escapando da amnésia: o museu como cultura de massa. Revista do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro, n. 23, pp. 34-57.
  • [14] Museu da Casa Brasileira. (2002). O Museu da Casa Brasileira. São Paulo: Banco Safra.
  • [15] O’Doherty, B. (2002). No interior do cubo branco: a ideologia do espaço da arte. São Paulo: Martins Fontes.
  • [16] Patrocínio, G. (2015). Bienal de design – para quem? Em V Bienal Brasileira de Design 2015 Floripa. São Paulo: Blucher.
  • [17] Sudijc, D. (2010). A linguagem das coisas. Rio de Janeiro: Intrínseca.
Como citar:

Cossio, Gustavo; Cardoso, André Luiz Carvalho; "A exposição de design como zona de contato", p. 1463-1471 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-3.0411

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações