Pôster - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A EXPERIÊNCIA DA FAMÍLIA NO PROCESSO DE SOCIALIZAÇAO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COM DEFICIÊNCIA VISUAL

A EXPERIÊNCIA DA FAMÍLIA NO PROCESSO DE SOCIALIZAÇAO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COM DEFICIÊNCIA VISUAL

Barbieri, Mayara Caroline; Broekman, Gabriela Van Der Zwaan; Facio, Beatriz Castanheira; Wernet, Monika; Lima, Regina Aparecida Garcia de; Dupas, Giselle;

Pôster:

Justificativa

A Política Nacional de Saúde da Pessoa Portadora de Deficiência é voltadapara a reabilitação da pessoa, de modo a auxiliar sua inclusão plena em todasas esferas da vida social A deficiência visual (DV) pode ocasionar inúmerasdificuldades e modificações na rotina da família e do membro, sendo uma delas oprocesso de socialização.

Objetivo(s)

Compreender a experiência de famílias no processo de socialização vivenciadopor crianças e adolescentes com deficiência visual.

Método(s)

Investigação descritiva, qualitativa que utilizou o Interacionismo Simbólico(IS) como referencial teórico e a Análise de Narrativa como método. Osparticipantes foram crianças e adolescentes com deficiência visual e seusfamiliares, considerando o conceito de família proposto por Wright e Leahey.Para a coleta de dados utilizamos o genograma, ecomapa e entrevistasemiestruturada, em um único encontro, em local escolhido pela família, gravadacom 18 famílias, totalizando 61 participantes. A coleta de dados ocorreu noperíodo de novembro de 2014 à julho de 2015. A pesquisa foi aprovada peloComitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, número: 748751.

Resultado(s)

A família por ser o primeiro espaço de interações, se mostrou essencial noprocesso de socialização da criança e do adolescente com DV, agindo paravalorizar e buscar outras estratégias para que o membro pudesse desvendar o mundopara além do núcleo familiar. A inserção na escola, em ambientes religiosos eculturais é estimulado pela família, apesar desses processos de socializaçãoserem repletos de desafios, como o preconceito. A família, por vezes, tentasuperproteger a criança e adolescente do enfrentamento dessas vivências, porémreflete e busca se conter nesta intervenção, por reconhecer os benefícios dainteração.

Conclusão(ões)

A inclusão social da criança é almejada pela família. Apesar dos desafios,os membros reconhecem essa estratégia como primordial para o empoderamento deseus membros. Os profissionais envolvidos com a assistência à criança e aoadolescente com deficiência visual devem promover ações em grupo com alunos,comunidade e familiares para abrir espaço ao diálogo e discussões sobre orespeito as diferenças, para promover a integração e socialização das pessoascom DV. 

Pôster:

Justificativa

A Política Nacional de Saúde da Pessoa Portadora de Deficiência é voltadapara a reabilitação da pessoa, de modo a auxiliar sua inclusão plena em todasas esferas da vida social A deficiência visual (DV) pode ocasionar inúmerasdificuldades e modificações na rotina da família e do membro, sendo uma delas oprocesso de socialização.

Objetivo(s)

Compreender a experiência de famílias no processo de socialização vivenciadopor crianças e adolescentes com deficiência visual.

Método(s)

Investigação descritiva, qualitativa que utilizou o Interacionismo Simbólico(IS) como referencial teórico e a Análise de Narrativa como método. Osparticipantes foram crianças e adolescentes com deficiência visual e seusfamiliares, considerando o conceito de família proposto por Wright e Leahey.Para a coleta de dados utilizamos o genograma, ecomapa e entrevistasemiestruturada, em um único encontro, em local escolhido pela família, gravadacom 18 famílias, totalizando 61 participantes. A coleta de dados ocorreu noperíodo de novembro de 2014 à julho de 2015. A pesquisa foi aprovada peloComitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, número: 748751.

Resultado(s)

A família por ser o primeiro espaço de interações, se mostrou essencial noprocesso de socialização da criança e do adolescente com DV, agindo paravalorizar e buscar outras estratégias para que o membro pudesse desvendar o mundopara além do núcleo familiar. A inserção na escola, em ambientes religiosos eculturais é estimulado pela família, apesar desses processos de socializaçãoserem repletos de desafios, como o preconceito. A família, por vezes, tentasuperproteger a criança e adolescente do enfrentamento dessas vivências, porémreflete e busca se conter nesta intervenção, por reconhecer os benefícios dainteração.

Conclusão(ões)

A inclusão social da criança é almejada pela família. Apesar dos desafios,os membros reconhecem essa estratégia como primordial para o empoderamento deseus membros. Os profissionais envolvidos com a assistência à criança e aoadolescente com deficiência visual devem promover ações em grupo com alunos,comunidade e familiares para abrir espaço ao diálogo e discussões sobre orespeito as diferenças, para promover a integração e socialização das pessoascom DV. 

Palavras-chave: -,

Palavras-chave: -,

DOI: 10.5151/cissi2019-11

Referências bibliográficas
  • [1] -
Como citar:

Barbieri, Mayara Caroline; Broekman, Gabriela Van Der Zwaan; Facio, Beatriz Castanheira; Wernet, Monika; Lima, Regina Aparecida Garcia de; Dupas, Giselle; "A EXPERIÊNCIA DA FAMÍLIA NO PROCESSO DE SOCIALIZAÇAO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COM DEFICIÊNCIA VISUAL", p. 21-22 . In: Anais do 3º Congresso Internacional Sabará de Saúde Infantil. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/cissi2019-11

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações