Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

A especialização geográfica e setorial das exportações brasileiras segundo o comércio em valor adicionado

Castilho, Marta; Thuler, Leonardo; Costa, Kaio Vital da;

Artigo completo:

Esse trabalho busca aprofundar a análise da inserção do Brasil nas chamadas Cadeias Globais de Valor ao aplicar a metodologia de decomposição das exportações brutas proposta por Wang, Wei e Zhu (2014, 2018). Tal metodologia decompõe as exportações brutas desagregadas geograficamente e setorialmente em diversos componentes que possibilitam identificar de uma melhor forma os fluxos de valor adicionado doméstico e estrangeiro das exportações e, assim, aprofundar a caracterização da integração dos países nas CGV. Usando-se os dados da base WIOD para o período 2000-2014, a inserção do Brasil nas CGV é examinada em uma perspectiva comparada com países selecionados e, em seguida, analisa-se a intensidade e o perfil da especialização comercial brasileiras para as exportações em valor adicionado para três dos seus principais parceiros comerciais (China, EUA e UE). A avaliação do perfil das exportações desagregadas geográfica e setorialmente é de particular interesse para o Brasil pois a especialização comercial do país difere de forma significativa segundo os seus parceiros.

Artigo completo:

Palavras-chave: Cadeias Globais de Valor; Fragmentação internacional da produção; Comércio em valor adicionado; Brasil; parceiros comerciais,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-2.2-002

Referências bibliográficas
  • [1] BALDWIN, R.; Factory-free Europe? A two unbundlings perspective on Europe’s twentieth-century manufacturing miracle and twenty-first-century manufacturing malaise. In: FONTAGNÉ, L.; HARRISON, A. (Eds.) The factory-free economy: Outsourcing, servitization, and the future of industry. Oxford: Oxford University Press, 2017.
  • [2] CADESTIN, C.; GOURDON, J.; KOWALSKI, P. Participation in global value chains in Latin America: Implications for trade and trade-related policy. No. 19 OECD Publishing, 2016.
  • [3] CAPPARIELLO, R; FELETTIGH, A. How does foreign demand activate domestic value added? A comparison among the largest euro-area economies. A Comparison Among the Largest Euro-Area Economies (January 23, 2015). Bank of Italy Temi di Discussione (Working Paper) No, v. 1001, 2015.
  • [4] CASTILHO, M, Comércio internacional e a integração produtiva: uma análise dos fluxos comerciais dos países da ALADI. IPEA, Texto para discussão 1705, Brasília, 2012.
  • [5] CASTILHO, M.; COSTA, K.V.; TORRACCA, J. A importância do mercado latino-americano e da competição chinesa para o desempenho recente das exportações brasileiras de produtos manufaturados. Análise Econômica, Porto Alegre, v. 37, n. 72, p. 7-38, mar. 2019.
  • [6] DAUDIN, G., C. RIFFLART AND D. SCHWEISGUTH, Who produces for whom in the world economy?’ Document de travail de l’OFCE N◦ 2009-18, July.
  • [7] DIETZENBACHER, E. et al. The Construction of World Input-Output Tables in the WIOD Project. Economic Systems Research, 25, p. 71-98, 2013.
  • [8] FERRAZ, L.; GUTIERRE, L.; CABRAL, R. A Industria Brasileira na era das Cadeias Globais de Valor. In: Nelson Barbosa; Nelson Marconi; Mauricio Pinheiro; Laura Carvalho. (Org.). Indústria e Desenvolvimento Produtivo no Brasil. 1ed.Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, v. 1, p. 203-233.
  • [9] HERMIDA, C; XAVIER, C. Competitividade internacional do Brasil à luz da fragmentação da produção e das cadeias globais de valor. Revista Brasileira de Inovação, v. 17, p. 345-376, 2018.
  • [10] HUMMELS, D.; ISHII, J.; YI, K. The nature and growth of vertical specialization in world trade. Journal of international Economics, v. 54, n. 1, p. 75-96, 2001.
  • [11] JOHNSON, R. C.; NOGUERA, G. Accounting for intermediates: Production sharing and trade in value added. Journal of International Economics, v. 86, n. 2, p. 224-236, 2012.
  • [12] KOOPMAN, R.; WANG, Z.; WEI, S.-J. Tracing value-added and double counting in gross exports. American Economic Review, v. 104, n. 2, p. 459-94, 2014.
  • [13] LEMOINE, F.; UNAL-KESENCI, D. Assembly trade and technology transfer: The case of China. World Development, 32(5), p. 829-850, 2004.
  • [14] LUND, S. et al. Globalization in transition: The future of trade and value chains. McKinsey Global Institute, January, 2019.
  • [15] MARCATO, M..; BALTAR, C.; SARTI, F. International competitiveness in a vertically fragmented production structure: empirical challenges and evidence. Economics Bulletin, v. 39, p. 876-893, 2019.
  • [16] OECD, WTO e UNCTAD (2013) Implications of Global Value Chains for Trade, Investment and Development and Jobs. G-20 Leader Summit. Disponível em: https://unctad.org/en/PublicationsLibrary/unctad_oecd_wto_2013d1_en.pdf
  • [17] COSTA, L. Inserção brasileira nas cadeias globais de valor no período entre 2000 a 2014. 2018. 157 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
  • [18] TIMMER, M et al. The World Input-Output Database (WIOD): Contents, Sources and Methods. Working Paper 10, World Input Output Database, 2012.
  • [19] TIMMER, M, et al. An Illustrated User Guide to the World Input–Output Database: The Case of Global Automotive Production. Review of International Economics, DOI:10.1111/roie.12178, 2015.
  • [20] WANG, Z. WEI, S. ZHU, K. Quantifying International Production Sharing at the Bilateral and Sector Levels. USITC, 2014.
  • [21] WANG, Z. et al. Measures of participation in global value chains and global business cycles. No. w23222. National Bureau of Economic Research, 2017.
  • [22] WANG, Z. WEI, S. ZHU, K. Quantifying International Production Sharing at the Bilateral and Sector Levels National Bureau of Economic Research, working paper series, N. 19677, 2018.
  • [23] ZACLICEVER, D. Trade integration and production sharing: A characterization of Latin American and Caribbean countries’ participation in regional and global value chains. Comercio Internacional, n.137, Naciones Unidas: Comisión Económica para América Latina y el Caribe (CEPAL), 2017.
Como citar:

Castilho, Marta; Thuler, Leonardo; Costa, Kaio Vital da; "A especialização geográfica e setorial das exportações brasileiras segundo o comércio em valor adicionado", p. 402-423 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-2.2-002

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações