Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A customização automotiva sob o olhar do design emocional

The automotive customization under the look of emotional design

Farias Júnior, Antônio P.; Obregon, Rosane de F. A.;

Artigo completo:

Este artigo visa abordar o estado da arte do design emocional nos projetos de customização automotiva. Apoiado em conceitos de individuação e subjetividade, este trabalho propõe uma pesquisa qualitativa etnográfica realizada junto à usuários de carros customizados, para à luz dos conceitos do design emocional analisar como são desenvolvidas as relações entre os indivíduos e os objetos, bem como destes indivíduos uns com os outros. Os resultados observados foram a percepção dos automóveis como extensão dos hábitos e gostos de seus proprietários, bem como a valorização da relação social entre os adeptos desta cultura, tendo o carro como um símbolo central no endosso dessa relação.

Artigo completo:

This article aims to address the state of the art of emotional design in automotive customization projects. Based on concepts of individuation and subjectivity, this work proposes a qualitative ethnographic research carried out with the users of customized cars, in the light of the concepts of the emotional design to analyse how the relations between individual and objects are developed, as well as of these individuals as comes others. The results observed were the perception of cars as an extension of the habits and tastes of their owners, as well as the valorisation of the social of the social relation among the adepts of this culture, having the car as central symbol in the endorsement of this relation.

Palavras-chave: automóvel, design emocional, hedonismo, individuação, subjetividade,

Palavras-chave: car, emotional design, hedonism, individuation, subjectivy,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-3.0364

Referências bibliográficas
  • [1] Damazio, V., Lima, J., & Meyer, G. (2008). “Marcas que marcam” e a Antropologia do Consumo: caminhos para Projetar produtos “marcantes”. em: Design, ergonomia e emoção/ organização Claudia Mont’Alvão e Vera Damazio. – Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2008
  • [2] Damazio, V., & Mont’alvão, C. (2008). Apresentação. em: Design, ergonomia e emoção/ organização Claudia Mont’Alvão e Vera Damazio. – Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2008
  • [3] Douglas, M., & Isherwood, B. (2004). O Mundo dos Bens. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.
  • [4] Hernades, D. (2016). Tunning de antigamente: os estilos e acessórios que marcaram época nos anos 1970 e 1980 . 2016. Disponível em: < https://www.flatout.com.br/tuning-de-antigamente-os-estilos-e-acessorios-automotivos-que-marcaram-epoca-nos-anos-1970-e-1980/>. Acesso em: 16 jun. 2019.
  • [5] Jacó-Vilela, A. M. (2001). Concepções de pessoa e a emergência do indivíduo moderno; Interações, 6(12). São Paulo: Universidade São Marcos, 2001, p. 11-39.
  • [6] Jung, C. G. (2016). Chegando ao inconsciente. em: O homem e seus símbolos/ organização Carl G. Jung... [et al.]; [concepção e organização Carl G. Jung]; tradução de Maria Lúcia Pinho. 3ª ed. especial. Rio de Janeiro: Harper Collins Brasil, 201
  • [7] Kast, V. (2013). A dinâmica dos símbolos da psicoterapia junguiana. Tradução: Milton Camargo Mota. Petrópois, RJ: Vozes, 2013
  • [8] Larica, N. J. (2003). Design de transportes : Arte em função da mobilidade. 1ª. ed. Rio de Janeiro: 2AB, 2003. 216 p.
  • [9] Mont’alvão, Claudia. (2008). Hedonomia, Ergonomia Afetiva: afinal, do que estamos falando? em: Design, ergonomia e emoção/ organização Claudia Mont’Alvão e Vera Damazio. – Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2008
  • [10] Niemyer, Lucy. (2008). Design Atitudinal: uma abordagem projetual. em: Design, ergonomia e emoção/ organização Claudia Mont’Alvão e Vera Damazio. – Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2008
  • [11] Norman, D. A. (2008). Design emocional : por que adoramos (ou detestamos) os objetos do dia-a-dia. Tradução Ana Deiró; 2ª. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2008. 278 p.
  • [12] Pessôa, L. A. G. P., Barros, D. F., & Costa, A. S. M. (2017). Representações da relação homem-carro: uma análise semiótica da propaganda brasileira de seguros de automóvel. Revista O&S, 24(80) – Salvador, 2017, pp. 15 – 38.
  • [13] Pizzarro, C. V., & Andrade Neto, M. L. (2013). A publicidade como elemento diferenciador da marca e do design de produtos: um estudo de caso na indústria automotiva. XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste. Bauru, 20
  • [14] Prado Filho, K., & Martins, S. (2007). A subjetividade como objeto da(s) psicologia(s). Psicologia e Sociedade, 19(3). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007, pp. 14-19.
  • [15] Ramalho, R., & Ayrosa, E. A. T. (2009). Subcultura Tunning: a identidade estendida na personalização de automóveis. Revista de Ciências da Administração, 11(24), 2009, pp. 169 – 194.
  • [16] Russo, B., & Hekkert, P. (2008). Sobre amar um produto: os princípios fundamentais. em: Design, ergonomia e emoção/ organização Claudia Mont’Alvão e Vera Damazio. – Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2008
  • [17] Santos, A. (2018). Seleção de método de pesquisa: guia para pós graduando em design e áreas afins. Curitiba, PR: Insight, 2018.
  • [18] Warren, A., & Gibson, C. (2011). Blue-collar creative: reframing custom-car culture in the imperilled industrial city. Environment and Planning A, n. 43, p. 2705-2722, set. 2011. doi: 10.1068/a44122
Como citar:

Farias Júnior, Antônio P.; Obregon, Rosane de F. A.; "A customização automotiva sob o olhar do design emocional", p. 1432-1440 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-3.0364

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações