Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

A Contribuição da Gestão de Design para a Sustentabilidade Empresarial

The Contribution of Design Management to Corporate sustainability

Berlato, Larissa Fontoura; Merino, Giselle Schmidt Alves Díaz; Figueiredo, Luiz Fernando Gonçalves;

Artigo Completo:

A sociedade contemporânea necessita de uma mudança de paradigmas a ser posta em prática pela sociedade. Faz-se necessário rever nosso modo de vida e reinventar os modelos de produção, de desenvolvimento e de consumo, conciliando as dimensões econômica, ambiental e social nos negócios, para que as empresas prosperem e nosso futuro tenha garantia. Segundo Manzini (2006), precisamos encontrar um novo estilo de vida consentâneo com o paradigma da sustentabilidade. Entende-se por desenvolvimento sustentável a procura da satisfação das necessidades presentes de produção e de consumo, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprirem suas próprias necessidades. O Design é uma atividade criativa cujo objetivo é estabelecer as qualidades multifacetadas de objetos, processos, serviços e seus sistemas em todo o ciclo de vida (ICSID). Na era da produção em massa, onde tudo deve ser planejado e projetado, o Design se tornou um dosmais poderosos instrumentos com que o homem dá forma a suas ferramentas e ao seu ambiente, por extensão, à sociedade e a si próprio (PAPANEK, 1995). O Design consiste na melhoria da qualidade de uso do produto, da forma de um novo produto, do seu processo de fabricação, da sustentabilidade ambiental e social, da forma de acesso a um produto socialmente inclusivo, da aplicação de novos materiais e da qualidade estética (BONSIEPE, 1997). Manzini e Vezzoli (2008) defendem que o produto deve ser projetado considerando, em todas as suas fases, o conceito de ciclo de vida, ou seja, todas as atividades necessárias para produzir, distribuir, utilizar e eliminar/descartar um produto são consideradas uma unidade só. A Gestão de Design surgiu, ainda que voltada para a competitividade, da percepção de que a atividade de Design pode contribuir para com a orientação empresarial através de seu caráter projetual, no que diz respeito ao arranjo de fatores que determinem um trajeto inovador rumo a um objetivo (MARTINS e MERINO, 2011). Este trabalho, de cunho teórico, objetiva analisar a contribuição da Gestão de Design como promotor de melhorias sociais, ambientais e econômicas no contexto empresarial, enquanto avalia a influência da adoção de práticas responsáveis para a sustentabilidade empresarial e seu sucesso no âmbito mercadológico, filosófico e financeiro. Para tanto, o presente artigo apresenta uma revisão bibliométrica e uma análise acerca dos pressupostos teóricos que balizam as temáticas que envolvem desenvolvimento sustentável, sustentabilidade empresarial, Gestão de Design e Gestão sustentável de Design. Esta pesquisa divide-se em duas etapas: em um primeiro momento faz a revisão sobre os temas, para logo a seguir analisar a relação entre os temas abordados, identificando os recursos e as competências da Gestão de Design, visando a melhoria da performance sustentável nas empresas.

Artigo Completo:

The setting of the current society needs a paradigm shift on the part of citizens, businesses and governments. It is necessary to review our way of life and reinvent the models of production, development and consumption, reconciling the economic, environmental and social dimensions in business, for the prosperity of the companies and our future. According to Manzini (2006), we need to find a new way of life in line with the sustainability paradigm. In this case, the term “sustainable development” refers to a demand to meet the present needs of production and consumption without compromising the future generations. Design is a creative activity whose purpose is to establish the multifaceted qualities of objects, processes, services and their systems throughout the life cycle (ICSID). In the era of mass production, where everything has to be planned and designed, Design has become one of the most powerful tools with which man shapes his tools and his environment, by extension, to society and to himself (PAPANEK, 1995). Design consists of improving the quality of use of the product, the shape of a new product, its manufacturing process, environmental and social sustainability, access to a socially inclusive product, application of new materials and aesthetic quality (BONSIEPE, 1997). Manzini and Vezzoli (2008) argue that the product should be designed considering at all stages the concept of life cycle, in all the activities necessary to produce, distribute, use and eliminate/discard a product are considered one unit. Design Management has emerged, although focused on competitiveness, from the perception that the Design activity can contribute to the entrepreneurial orientation through its design character, regarding the arrangement of factors that determine an innovative path towards a goal (MARTINS and MERINO, 2011). This theoretical work aims to analyze the contribution of Design Management as a promoter of social, environmental and economic improvements in the business context, while evaluating the influence of adoption of corporate sustainability practices for success within marketing, philosophical and financial in companies. Therefore, this paper first analyzes the global context on sustainable development and appraises corporate sustainability, to follow, to address the concepts of Design Management. Finally, it analyzes Design Management's contribution towards sustainable development in companies and their benefits in business performance.

Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável; Empresas; Gestão de Design,

Palavras-chave: Sustainable Development; Companies; Design Management,

DOI: 10.5151/cid2017-01

Referências bibliográficas
  • [1] ALESSIO, R. Responsabilidade social das empresas no Brasil: reprodução de postura ou novos rumos?, EDIPUCRS. Porto Alegre: 2008.
  • [2] ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade, Nova Fronteira. Rio de Janeiro: 200
  • [3] BAHIANA, C. A importância do Design para sua empresa, CNI, COMPI, SENAI/DR-RJ. Brasília: 1998.
  • [4] BARBIERI, J. C. et al . Inovação e Sustentabilidade: Novos Modelos e Proposições. Revista de administração de empresas RAE/FGV. São Paulo: vol. 50, n. 2, abr-jun 2010.
  • [5] BARBIERI, J. C.; CAJAZEIRA, J. E. R. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática, Editora Saraiva. São Paulo: 2009.
  • [6] BEST, K. Design Management: managing Design strategy, process and implementation, AVA Publishing. Suiça: 200
  • [7] BOVESPA. BM&FBOVESPA divulga a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial para 2014. Brasil, 2014, 3p. Disponível em: Acesso em: 20 jan. 2015.
  • [8] BRUNDTLAND, G. et al. Our Common Future: The World Commission on Environment and Developmen, ONU. Nova York: 1987.
  • [9] CASTELLS, M. O poder da identidade, Paz e Terra. São Paulo: 199
  • [10] CHARTER, M.; TISCHNER, U. Sustainable Solutions – Developing Products and Services for the Future, Greenleaf Publishing Limited. Sheffield: 2001.
  • [11] CLUB OF ROME. About the Club OF Rome. Suiça. Disponível em: . Acesso em: 15 abril 2015.
  • [12] CMMAD. Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso Futuro Comum, Editora da Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro: 1991.
  • [13] THE ECONOMIST. Doing good: business and the sustainability challenge. Inglaterra, 2008, 53p. Disponível em: Acesso em: 24 jun. 2015.
  • [14] ELKINGTON, J. Cannibals with Forks: The Triple Bottom Line of 21st Century Business, CapstonePublishing Ltd. Oxford: 1997.
  • [15] FIGUEIREDO, Luiz Fernando Gonçalves de; PALMIER, Alberto Ribeiro. VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 8., 2012, Niterói. Contribuição ao discurso da Gestão de Design como um ativo na transição ao desenvolvimento sustentável. Niterói, RJ: Universidade Federal Fluminense, 2012. 20 p. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2017.
  • [16] GUINÉE, J. et al . Life Cycle Assessment – An Operational Guide to the ISO Standards, Leiden University. Final Report, Center of Environment Science, 2001.
  • [17] ICSDI – International Council Societies of Industrial Design . Disponível em: . Acesso em 01 maio 2015.
  • [18] IDSA – Industrial Designers Society of America . Disponível em: . Acesso em 01 maio 2015.
  • [19] INSTITUTO AKATU. Estilos sustentáveis de vida. Resultados de uma pesquisa com jovens brasileiros. Brasil, 2009, 44p. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2015.
  • [20] INSTITUTO ETHOS DE EMPRESAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Princípios e compromissos. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2015.
  • [21] JEVNAKER, B. H. How Design Becomes Strategic. Design Management Journal , vol.11, no. 1, Winter, 2000. Disponível em: < http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1948-7169.2000.tb00286.x/epdf >. Acesso em: 22 junho 2015.
  • [22] KOTLER, P.; KARTAJAYA, H.; SETIAWAN, I. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano, Elsevier. Rio de Janeiro: 2010.
  • [23] LANGER, H. The potential of Design to communicate value, International Council of Design. Quebec: 2006, 3p. Disponível em: . Acesso em: 15 abril 2015.
  • [24] LOUETTE, A. (Org.). Compendio para a sustentabilidade: Ferramentas de Gestão de responsabilidade Socioambiental, Antakarana Cultura Arte Ciência. São Paulo: 2008.
  • [25] MAGALHÃES, C. Design Estratégico: integração e ação do Design industrial dentro das empresas. SENAI/DN- SENAI/CETIQT - CNPq - IBICT – TIB. Rio de Janeiro: 1997.
  • [26] MARTINS, R. F. de F.; MERINO, E. A. D. A gestão de Design como estratégia organizacional, Rio Books. Rio de Janeiro: 2011.
  • [27] MANZINI, E. Design, Ethics and Sustainability – Guidelines for a Transition Phase , Politenico de Milão. Milão: 2006.
  • [28] MOZOTA, B. B. de. Gestão de Design: usando o Design para construir valor de marca e inovação corporativa, Bookman. Porto Alegre: 2011.
  • [29] NIELSEN GLOBAL REPORT. It pays to be green: corporate social responsibility meets the bottom line. United States of America, 2014. 7p. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2015.
  • [30] ORSSATTO, R. J. Market advantage and environmental strategies of firms: competitive rationales for proactive environmental management. In: Ninth International Conference of Greening of Industry Network Bangkok, Sustainability at the Millenium: Globalization, Competitiveness and the Public Trust, 2001, 19p. Disponível em:. Acesso em: 07 abril 2015.
  • [31] PAPANEK, V. The Green Imperative – Ecology and Ethics in Design and Architecture, Thames and Hudson. Londres: 1995.
  • [32] PINHEIROS, M. D. Ambiente e Construção Sustentável, Instituto do Ambiente. Lisboa: 2006.
  • [33] SACHS, I. Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável. Garamond. Rio de Janeiro: 2002.
  • [34] SEIDEL, V. Moving from Design to Strategy: The 4 roles of Design-Led strategy consulting. Design Management Journal, vol.11, no. 2, Spring, 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 junho 2015.
  • [35] UNDSD. Agenda 21 - United Nations Conference on Environment & Development , United Nations Division for Sustainable Development. Rio de Janeiro: 1992.
  • [36] WOLF, B. O Design Management como fator de sucesso, ABIPT/SEBRAE/IEL/Programa Catarinense de Design. Florianópolis: 1998.
Como citar:

Berlato, Larissa Fontoura; Merino, Giselle Schmidt Alves Díaz; Figueiredo, Luiz Fernando Gonçalves; "A Contribuição da Gestão de Design para a Sustentabilidade Empresarial", p. 1-15 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-01

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações