Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

A CIDADE-FÁBRICA DE RIO TINTO NA PESQUISA EM DESIGN

Silva, Jeferson Luiz Braz da; Lehmkuhl, Luciene;

Artigo Completo:

Pretendemos expor pesquisa desenvolvida no Departamento de Design da Universidade Federal da Paraíba, cuja primeira ação se deu por meio de uma Iniciação Científica com bolsa UFPB/CNPq (2015-2016), que visava criar um banco de dados para estimular o uso de temáticas locais nas pesquisas em Design. Tomamos os estudos realizados sobre a cidade e sobre a fábrica da Companhia de Tecidos Rio Tinto, do Grupo Lundgren, como ponto de partida e propomos identificar, coletar e analisar dados dos elementos construtivos e ornamentais que compõem a tipologia arquitetônica e urbanística da cidade-fábrica de Rio Tinto, situada no litoral norte da Paraíba. Com a finalização desta primeira etapa da pesquisa são apresentados os resultados elaborados com dados obtidos em levantamento fotográfico e também bibliográfico.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Design; História; Cidade-fábrica; Rio Tinto; Industrialização.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0038

Referências bibliográficas
  • [1] BONSIEPE, Gui. Design: do material ao digital. Trad. Cláudio Dutra. Florianópolis: FIESC/IEL, 1997.
  • [2] CARDOSO, Rafael (org.). O Design Brasileiro antes do Design: aspectos da História Gráfica – 1870 – 1960. Cosac Naify. 2005.
  • [3] COSTA, Francisco de Barros. Os Lundgren e o fenômeno da industrialização em Rio Tinto – Paraíba. s/e., s/l., 1996. Monografia.
  • [4] DA COSTA, Ana Elisia. A poética dos tijolos aparentes e o caráter industrial - MAESA (1945). IV Seminário Docomomo Sul. Porto Alegre, 25 a 27 março 2013. Disponível em: http://www.docomomo.org.br/ivdocomomosul/pdfs/06%20Ana%20Elisia%20Costa.pdf. Acesso em: 15 maio 2015.
  • [5] DANTAS, Anna Alice Roque Santana. Rio Tinto, Impacto do declínio econômico na organização espacial. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana) PPGEU – Centro de tecnologia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2009, 102 f.
  • [6] GUNN, Philip; CORREIA, Telma. O habitat operário no nordeste industrial: os núcleos fabris de Paulista e Rio Tinto. In: PANET, Amélia; et al. Rio Tinto: estrutura urbana, trabalho e cotidiano. João Pessoa: UNIPÊ editora, 2002, pp. 137-161.
  • [7] LÖBACH, Bernd. Design Industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.
  • [8] MELLO, José Octávio. Arqueologia industrial e o cotidiano em Rio Tinto. In: PANET, Amélia; et al. Rio Tinto: estrutura urbana, trabalho e cotidiano. João Pessoa: UNIPÊ editora, 2002, pp.65-122.
  • [9] PANET, Amélia; et al. Rio Tinto: estrutura urbana, trabalho e cotidiano. João Pessoa: UNIPÊ editora, 2002.
  • [10] RAMOS, Leandro da Silva. et al. Cidade-Fábrica Rio Tinto cenário de influências no processo de produção do espaço paraibano. Disponível em: < http://www.webartigos.com/artigos/cidade-fabrica-rio-tinto-cenario-de-influencias-no-processo-de-producao-do-espaco-paraibano/47419/>. Acesso em: 15 out. 2015.
  • [11] ROITER, Márcio Alves. Pindorama modernista: influência indígena no art déco brasileiro. Culturas indígenas. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 2012, p.74-89. (Textos do Brasil 19)
  • [12] ROSA, Carolina Lucena. Nada de preguiça: em 1924, uma fábrica de tecidos se instalou no interior da Paraíba, era “uma ativa colmeia operária”. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.
  • [13] ROSI, Lia Mônica. Art Déco sertanejo e uma revitalização possível: programa Campina Grande Déco. Revista UFG, ano XII, n. 8, jul.2010, pp. 28-34.
  • [14] SANTANA, Anna Aline Roque. Rio Tinto: cultura, lazer e turismo. João Pessoa. s/e., 2006.
  • [15] SCHORSKE, Carl. Pensando com a história: indagações na passagem para o modernismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
  • [16] SCHORSKE, Carl. Viena fin-de-siècle: política e cultura. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.
  • [17] SILVA, Lígia Maria Tavares da. Características da urbanização na Paraíba. Revista Cadernos do Logepa: série texto didático, João Pessoa, v. 3, n. 5, 34-39, jul./dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2015.
  • [18] VALE, Eltern Campina. Os usos da Justiça na busca por direitos: estratégias de reivindicação operária na cidade-fábrica Rio Tinto (Paraíba, 1959-1964). Revista Mundos do Trabalho, Fortaleza, v. 2, n. 3, p. 261-280, jan./jul. 2010. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2010v2n3p261>. Acesso em: 07 out. 2015.
  • [19] VALE, Eltern Campina. Tecendo fios, fazendo história: A atuação operária na cidade-fábrica Rio Tinto (Paraíba, 1959-1964). 2008. 225 f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2008.
  • [20] KEMPTER, Eloisa Dezen. Territórios Fabris Resilientes: Cinco Casos a Considerar. VI Colóquio Latino Americano sobre Recuperação e Preservação do Patrimônio industrial, 2012. Disponível em: . Acesso em 20 de Dezembro de 2014.
  • [21] WARBURG, Aby. Atlas Mnemosyne. Madrid: Akal, 2010. (Arte y estética -77)
Como citar:

Silva, Jeferson Luiz Braz da; Lehmkuhl, Luciene; "A CIDADE-FÁBRICA DE RIO TINTO NA PESQUISA EM DESIGN", p. 437-448 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0038

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações