Como publicar

1. Pré-requisitos para publicar no Blucher Proceedings: 

Os eventos são aceitos para a publicação no Blucher Proceedings com base na aptidão do escopo e são obrigados a atender a certos critérios, como:

  • Ter corpo editorial/científico determinado;

  • Contrato formal de cessão de direitos entre autor e evento;

  • Prazo mínimo para a preparação da publicação;

  • Usar template fornecido pela editora, para a captura e indexação dos dados. 

A Blucher irá avaliar todas as propostas com base em informações-chave relacionadas fornecidas pelos organizadores, como, por exemplo, o site do evento, programa, organização de apoio e detalhes de contato da comissão e palestrantes.

2. Benefícios para o seu congresso:

Acesso universal e irrestrito aos trabalhos apresentados no seu congresso. Os “papers” ficarão disponíveis na internet em um repositório universal e gratuito, podendo ser acessados a qualquer momento por todos os pesquisadores do mundo. Cada artigo recebe um número no 

  • DOI (Digital Object Identifier), que representa o ISBN permanente da internet.

  • Acesso gratuito a todos os utilizadores.

  • Destaque aos patrocinadores do evento.

  • Métricas de visita e download de cada “paper”.

  • Prazos curtos. Os “papers” podem ser disponibilizados durante ou pós-evento, de acordo com a entrega dos originais finais. 

  • Otimização para o Google Scholars. 

  • A publicação on-line também pode ser acompanhada por pen-drives, CDs ou cópias impressas. 

  • Autores mantêm copyright total sobre artigos publicados no Proceedings.

  • Certificado de publicação.

3. Certificado de Publicação

Benefício para o evento e praticidade para o pesquisador, a publicação Blucher Proceedings oferece um certificado de publicação digital, um documento comprobatório disponibilizado a cada um dos autores que atesta sua participação no evento e publicação de artigo. Nele, constam o endereço do artigo na internet, seu registro DOI e a assinatura do diretor do evento.

O certificado pode ser baixado em PDF diretamente no sitewww.blucherproceedings.com.br em até três idiomas (português, inglês e espanhol).

O que você precisa saber sobre publicação on-line de proceedings: Anais de congressos, autoplágio, copyright, Creative Commons (CC), Crossref, DOI, Google Scholars, Indexação, ISSN, link para a Plataforma Lattes, link permanente, Open Access, Prefix.

4. Por que escolher a Blucher Proceedings?

Não há limite para a quantidade de trabalhos. O Blucher Proceedings oferece acesso imediato, com trabalhos on-line no prazo de 6 semanas de aceitação, e é aberta, proporcionando o máximo de exposição a trabalhos individuais e ao evento. Cada trabalho recebe um Digital Object Identifier (DOI) e é integrado ao Google Scholars e à Plataforma Lattes. Os organizadores são creditados como totalmente responsáveis pelo controle de qualidade, pelo processo de revisão e pelo conteúdo dos documentos de conferências individuais.

5. Quais são os custos?

Há um investimento acordado com base na abrangência do evento e tamanho do processo, o que inclui a publicação on-line e acesso gratuito após a aceitação. Além da versão on-line, há a possibilidade de adquirir cópias em papel, CD-ROM e pen-drives.

O Blucher Proceedings oferece aos autores e organizadores da conferência, de forma rápida e de baixo custo, o máximo de exposição para os seus “papers”, em um repositório permanente. Fale conosco para mais informações ou envie uma proposta diretamente para a editora.

Informações Relevantes

O que você precisa saber sobre publicação on-line de proceedings:

Anais de congressos, autoplágio, copyright, Creative Commons (CC), Crossref, DOI, Google Scholars, Indexação, ISSN, link para a Plataforma Lattes, link permanente, Open Access, Prefix.

Anais de congressos

Os anais de um congresso, também chamados de proceedings, registram os trabalhos apresentados nele e são uma fonte de pesquisa; seu conteúdo é único e, ao ser publicado, pode ser identificado e catalogado de forma prática, principalmente em sistemas automatizados. Com uma boa organização e continuidade, os anais do seu congresso podem contribuir, promovendo e incentivando a pesquisa brasileira.

Autoplágio

Considera-se que um autor plagia a si mesmo quando reutiliza material próprio que já tenha sido publicado sem indicar a referência de seu trabalho anterior. Com maior rigor editorial, dependendo do contexto da publicação e da extensão do texto copiado, a inclusão da referência poderia ser suficiente para sanar essa questão.

Todos os autores que apresentam seus trabalhos em eventos devem estar cientes das implicações legais do autoplágio.

Copyright

Copyright (ou direito autoral) é uma lei que dá ao autor de um documento escrito, composição musical, livro, foto, filme ou outros trabalhos criativos o direito de decidir o que outras pessoas podem fazer com sua obra. Por causa do copyright, um trabalho somente pode ser copiado se o detentor dos direitos conceder permissão.

http://www.copyright.gov/

Creative Commons (CC)

Creative Commons (CC) é uma entidade sem fins lucrativos criada para permitir maior flexibilidade na utilização de obras protegidas por direitos autorais. Com esta licença, o autor/criador pode permitir o uso mais amplo de seus materiais por terceiros, sem que estes infrinjam as leis de proteção à propriedade intelectual.

Com uma licença Creative Commons, por exemplo, um escritor pode disponibilizar um artigo e permitir que outros autores o utilizem, publicando em outros meios ou aplicando parte do conteúdo em um novo texto.

Com a Creative Commons, autores podem permitir o uso de suas obras de maneira muito mais flexível. Eles conseguem decidir como e sob quais condições seus materiais podem ser utilizados por terceiros. Um exemplo: um escritor pode permitir a qualquer pessoa o uso e a alteração de um texto de sua autoria, exceto em aplicações comerciais. Note que, neste caso, a licença Creative Commons dá mais liberdade de uso à obra, mas não tira do autor original a possibilidade de geração de renda: ele pode cobrar pelo uso do texto no caso de atividades com fins lucrativos.

Na publicação digital da Blucher Proceedings, essas são as liberações da Creative Commons:

Você pode copiar, distribuir, exibir e executar a obra, além de criar outras derivadas sob as seguintes condições:

  • Atribuição: você deve dar crédito ao autor original, da forma especificada pelo autor ou licenciante. Isso quer dizer que você deve informar quem é o autor original da obra;
  • Uso não comercial: você não pode utilizar uma determinada obra com finalidades comerciais, por exemplo, para colocá-la em uma revista paga;
  • Compartilhamento pela mesma licença: se alterar, transformar ou criar outra obra com base em uma determinada obra, você somente poderá distribuir o material resultante sob uma licença idêntica a essa.

Qualquer uma destas condições pode ser renunciada, desde que se obtenha permissão do autor.

www.creativecommons.org.br

CrossRef

CrossRef é um serviço de ligação de referência colaborativo que funciona como uma espécie de painel de comando digital. Ele detém vínculos por meio de identificadores digitais (CrossRef DOI), que estão marcados para metade dos artigos fornecidos pelas editoras participantes. O resultado final é um sistema de ligação eficiente e escalável, por meio do qual um pesquisador pode clicar em uma citação de referência em um jornal e acessar o artigo citado.

www.crossref.org

DOI

DOI (Digital Object Identifier) é uma maneira de criar uma identificação única e permanente para conteúdos acadêmicos disponibilizados on-line. Funciona como um ISBN, mas digital e permanente.

Este identificador é escolhido pela editora e gravado na DOI Foundation, fundação mundial responsável pelo cuidado e manutenção do selo e de toda base de identificadores salvos. DOI é padronizado como o ISO 26324.

http://www.doi.org

Google Scholars

O Google e o Google Acadêmico podem contribuir enormemente para aumentar o acesso e a visibilidade do seu conteúdo no mundo todo. Trabalham com editoras acadêmicas para indexar artigos revisados por especialistas, teses, pré-publicações, resumos e relatórios técnicos de todas as disciplinas de pesquisa e possibilitar a pesquisa desse material no Google e no Google Acadêmico. Várias versões de um trabalho são agrupadas para melhorar o seu desempenho. Em muitas áreas de pesquisa, versões de um trabalho podem ser veiculadas como pré-publicações e trabalhos apresentados em congressos, antes de serem publicadas como um artigo de revista. Assim como a publicação oficial, estas versões preliminares, muitas vezes, também são citadas. O número de citações de um trabalho é importante para determinar o seu posicionamento nos resultados de pesquisa do Google Acadêmico. Agrupando as versões, coleta-se todas as citações de todas as versões de um trabalho. Na prática, isso melhora significativamente a posição de um artigo nos resultados de pesquisa.

O texto integral da editora, quando indexado, é a versão principal.

http://scholar.google.com.br

Indexação

A indexação é a forma mais eficiente de organizar e encontrar um arquivo numa base de dados. Para cada item, associa-se váras tags (palavras representativas) ou particularidades que permitam ao arquivo ser identificado entre um grande número de itens.

 

Atualmente, o termo ‘indexação’ pode ser entendido sob diferentes aspectos e níveis, o que acarreta a oferta de diversos serviços. De modo a se proceder a correta inserção dos sites nestes serviços, é necessária uma compreensão de suas especificidades.

ISSN

O ISSN (International Standard Serial Number), sigla em inglês para Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas, é o código aceito internacionalmente para individualizar o título de uma publicação seriada. Esse número se torna único e exclusivo do título da publicação ao qual foi atribuído, e seu uso é padronizado pela ISO 3297 (International Organization for Standardization).

Por ser um código único, o ISSN identifica o título de uma publicação seriada durante todo o seu ciclo de existência (fase de lançamento, circulação e encerramento da revista), seja qual for o idioma ou suporte físico utilizado (impresso, on-line, CD-ROM e demais mídias).

Link para a Plataforma Lattes

Os usuários da Plataforma Lattes podem, de posse do número DOI, preencher as informações sobre suas publicações científicas no currículo Lattes. Quando o pesquisador colocar o número, a Plataforma Lattes irá acessar a base de dados do DOI e irá preencher, automaticamente, o título, o ano, o volume, o fascículo, páginas da publicação e o nome do primeiro autor. Além da facilidade, o sistema garantirá maior confiabilidade à informação cadastrada.

Link permanente

Links permanentes são as URLs de cada texto, revista e outras listagens. O link permanente é usado quando alguém quer apontar para a sua publicação digital, ou quando alguém quer enviar por e-mail o endereço de algum artigo seu. A URL de cada postagem deve ser fixa, ou seja, permanente e nunca mudar.

Open Access

Open Access, ou acesso livre é a disponibilização ampla e gratuita do artigo. Seus benefícios à literatura científica têm sido crescentemente reconhecidos a nível internacional. Ele promove visibilidade, acessibilidade e difusão dos resultados da atividade científica do pesquisador e do evento científico, potencializando o seu uso e subsequente impacto na comunidade científica internacional. Um número crescente de estudos tem revelado que os artigos científicos livremente acessíveis na Internet são mais citados, e, portanto, têm um maior impacto que os artigos que não estão assim disponíveis.

Prefix

O DOI é formado por um número que identifica o material como pertencente à editora Blucher (10.5151) e é continuado pelo código que identificará o trabalho.

Construímos o código de maneira a identificar não apenas o trabalho, mas também o evento onde foi publicado, dando maior visibilidade a este quando um trabalho é citado ou referenciado. Segue um exemplo:

Para o evento XXI Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva – SIMEA 2013, o código do DOI correspondente é composto da seguinte maneira:
10.5151/SIMEA2013-[identificador_do_artigo]

Já para o evento Design Frontiers – ICDHS 2013, o código correspondente é:
10.5151/ICDHS2013-[identificador_do_atigo]