Abstract - Open Access.

Idioma principal

Utilização do Antibiograma Como Ferramenta de Tipagem Fenotípica de Escherichia Coli Isolada de Linguiça Frescal

Utilização do Antibiograma Como Ferramenta de Tipagem Fenotípica de Escherichia Coli Isolada de Linguiça Frescal

Georges, Samira Obeid; Bernardo, Larissa Gomes; André, Maria Cláudia Dantas Porfírio Borges; Borges, Liana Jayme;

Abstract:

Introdução. Quadros de toxinfecções alimentares estão cada vez mais frequentes. Grande quantidade desses quadros está relacionada ao aumento do consumo de produtos frescais, como a linguiça, sendo que a Escherichia coli foi o quarto agente etiológico mais envolvido em surtos nos anos de 2000 a abril de 2013. A necessidade de monitorar a resistência a antimicrobianos tem sido presente, visto que em situações de graves toxinfecções, a administração de medicamentos se torna fundamental. Material e Métodos. Foram coletadas em açougues do Município de Aparecida de Goiânia – Goiás, 87 amostras de linguiça frescal nos meses de julho a agosto de 2013. Posteriormente, as amostras foram submetidas à análise microbiológica de acordo com a RDC nº 12/2001. De todas as amostras, foram isoladas sete E. coli, sendo duas de uma mesma linguiça. Todas elas foram submetidas ao teste do antibiograma, com utilização de nove antibióticos de acordo com o Manual Clinical and Laboratory Standards Institute: Sulfametoxazol Trimetropim (SUT), Ciprofloxacina (CIP), Ceftazidima (CAZ), Aztreonama (ATM), Amoxicilina/ Ácido Clavulâmico (AMC), Imipenema (IPM), Ampicilina (AMP), Gentamicina (GEN) e Tetraciclina (TET). Resultados e Discussão. Das sete amostras, 100% foram sensíveis à CIP, CAZ, ATM e IPM; para a GEN apenas uma bactéria apresentou resistência, enquanto que para o SUT, duas apresentaram essa característica. Já o antibiótico AMC apresentou duas cepas resistentes e duas em situação de sensibilidade intermediária, enquanto que a AMP e TET incluíram cinco cepas resistentes. Por fim, das sete cepas, cinco foram resistentes a pelo menos um antibiótico (71%). Foram obtidos, ao final, cinco grupos fenotípicos: A (SSSSSSS); B (SRSSSRS); C (IRSISRR); D (RRSRSRR) e E (SSSSSRS). Destaca-se que das duas amostras representantes da mesma linguiça, observou-se características diferentes para mesmos antibióticos. Resultados como esse refletem a importância de traçar o perfil fenotípico de cada cepa, pois o processo de mutação, ao modificar características dos micro-organismos com rapidez, torna-os importantes fatores de risco para a população. Conclusão. O antibiograma é um valioso método de triagem em laboratório clínico pela facilidade de uso e interpretação além de ser tecnicamente simples e de baixo custo, sendo eficiente e esclarecedor quando aplicado às cepas de E. coli.

Abstract:

Palavras-chave: Antimicrobiano, Escherichia coli, Linguiça frescal,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/foodsci-microal-272

Referências bibliográficas
Como citar:

Georges, Samira Obeid; Bernardo, Larissa Gomes; André, Maria Cláudia Dantas Porfírio Borges; Borges, Liana Jayme; "Utilização do Antibiograma Como Ferramenta de Tipagem Fenotípica de Escherichia Coli Isolada de Linguiça Frescal", p. 11-12 . In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene [=Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-272

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações