Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

TECNOLOGIA ASSISTIVA APLICADA A ESCOLARES COM DEFICIÊNCIAS VISUAIS: ESTUDO DE REVISÃO

ASSISTIVE TECHNOLOGY APPLIED TO STUDENTS WITH VISUAL DISABILITIES : A REVIEW STUDY

CARIZIO, Bethânya Graick; NOVAES, Diego Pires; ARAÚJO, Adriana Francisca; MEDOLA, Fausto Orsi; RODRIGUES, Sérgio Tosi; PASCOARELLI, Luis Carlos;

Artigo:

Segundo o Censo de 2010, 18,6% da população brasileira possuem algum tipo de deficiência visual. Considerando esta grande incidência, o presente estudo objetivou investigar os tipos de tecnologia assistiva para deficientes visuais existentes no Brasil e no mundo a fim de detectar um nicho de atuação do design para futuras contribuições. Foi realizada uma revisão bibliográfica em bases de dados digitais e científicas, analisando estudos publicados de 1994 à 2014. Percebeu-se a carência de recursos que assistam a população com deficiência visual, especialmente no Brasil, embora haja tentativas nem sempre eficazes para atender esta população

Artigo:

According to the 2010 Census, 18.6% of the Brazilian population have some form of visual impairment. Considering this high incidence, the present study aimed to investigate the types of assistive technology for the visually impaired available in Brazil and the world in order to detect a niche in which the area of design may contribute in the future. A literature review was conducted on digital and scientific databases, analysing studies published from 1994 to 2014. An insufficience of resources to assist the visually impaired population was observed, especially in Brazil, although attempts with different levels of effectivity to serve this population were evident.

Palavras-chave: tecnologia assistiva, deficiência visual, design universal, assistive technology,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/15ergodesign-110-U068

Referências bibliográficas
  • [1] ARRUDA, S.M.C.P. Percepções da auto-eficácia nas atividades de vida diária e qualidade de vida de estudantes com baixa visão ou cegueira. 2005. 163f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas)- Faculdade de Ciências Médicas, Unicamp, Campinas, 2006.
  • [2] BONSIEPE, Gui e outros. Metodologia Experimental: Desenho Industrial. Brasília: CNPq/Coordenação Editorial, 1986.
  • [3] CAMBIAGHI, Silvana Serafino. Desenho Universal – métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007.
  • [4] CARVALHO, K.M.M. et al. Avaliação e conduta em escolares portadores de visão subnormal atendidos em sala de recursos. Arq. Bras. Oftalm., São Paulo, v.65, n.4, p.445-449, 2002.
  • [5] ESPM. Portal Jornalismo. Aplicativo para celulares identifica objetos para deficientes visuais. 2014, Disponível em Andlt; http://jornalismosp.espm.br/geral/aplicativo-identifica-objetos-para-deficientes-visuaisAndgt; acessos 4 dez, 2014.
  • [6] FRANCISCO P. C. M. MENEZES A. M. Design universa. Rer.Construindo, Belo Horizonte, v.3, n.1, p.25-29, jan./jun. 2011. Disponível em Andlt; file:///C:/Users/Be/Downloads/1763-3196-1-SM.pdfAndgt;. Acessos em 13 dez. 2014.
  • [7] GARCÍA J.C.D.; GALVÃO T.A.F. Pesquisa nacional de tecnologia assistiva. Instituto de Tecnologia Social. São Paulo. ITS Brasil, 2012.
  • [8] GUARNIERO, G. (1977). Tactile vision: A personal view. Journal of Visual Impairment Andamp; Blindness, 71, 125-130
  • [9] GASPARETTO, M.E.R.F. et al. Uso de recursos de tecnologia assistiva na educação municipal, estadual e federal tecnológica. In: BRASIL. Subsecretaria nacional de promoção dos direitos da pessoa com deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. (Org.). Tecnologia Assistiva, Brasília: Corde, p.41-58, 200
  • [10] ______. Orientações ao professor e à comunidade escolar referentes ao aluno com baixa visão. In: GUSMÃO B.P.G.R.; Dispositivos de substituição sensorial podem favorecer a locomoção autônoma dos cegos? 2012.71 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – Campus dos Goytacazes, Rio de Janeiro. 2012.
  • [11] IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010. acessos em 4 dez. 2014.
  • [12] KASTRUP, Virgínia et al . O aprendizado da utilização da substituição sensorial visuo-tátil por pessoas com deficiência visual: primeiras experiências e estratégias metodológicas. Psicol. Soc., Florianópolis , v. 21, n. 2, ago. 2009 . Disponível em Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttextAndamp;pid=S0102-71822009000200013Andamp;lng=ptAndamp;nrm=isoAndgt;. acessos em 11 dez. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822009000200013.
  • [13] MORTIMER, R. Recursos de informática para a pessoa com deficiência visual. In: SAMPAIO, M.W. et al. (Org.).Baixa visão e cegueira: os caminhos para a reabilitação, a educação e a inclusão. Rio de Janeiro: Cultura Médica, Guanabara Koogan, 2010, p. 221-231.
  • [14] NICOLAIEWSKY, Clarissa de Arruda; CORREA, Jane. Escrita ortográfica e revisão de texto em Braille: uma história de reconstrução de paradigmas sobre o aprender. Cad. CEDES, Campinas , v. 28, n. 75, ago. 2008 . Disponível em Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttextAndamp;pid=S0101-32622008000200006Andamp;lng=ptAndamp;nrm=isoAndgt;. acessos em 14 dez. 20 http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622008000200006.
  • [15] ODIN MOBILE. Aplicativo para celular de tecnologia assistiva para deficientes visuais. Disponível em Andlt;http://odinmobile.comAndgt;. acessos em 5 dez. 2014
  • [16] ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). CID- 10. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde. 9. ed. rev. São Paulo: EDUSP, 2003.
  • [17] Phillips, B., Andamp; Zhao, H. (1993). Predictors of assistive technology abandonment. Assistive Technology, 5(1), 36-45.
  • [18] PRING, L. Touch and go: learning to read Braille. Reading Research Quarterly, v. 29, p. 67-74, 1994. RAY. Aplicativo para celular de tecnologia assistiva para deficientes visuais. Disponível no sistema Android http://www.project-ray.com/blog https://play.google.com/store/apps/details?id=com.ray.manager. acessos em 5 dez. 2014
  • [19] RIEMER-REISS, M. Andamp; WACKER, R. R. (2000). Factors associated with assistive technology discontinuance among individuals with disabilities. Journal of Rehabilitation, 66(3), 44-50.
  • [20] TAPTAPSEE. Aplicativo para celular de tecnologia assistiva para deficientes visuais. Disponível Andlt;https://itunes.apple.com/br/app/taptapsee-blind-visually-impaired/id567635020?mt=8Andgt; . acessos em 5 dez. 2014
  • [21] ROCHA, E. F.; CASTIGLIONI, M. C. Reflexões sobre recursos tecnológicos: ajudas técnicas, tecnologia assistiva, tecnologia de assistência e tecnologia de apoio. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 16, n. 3, p.97-104, set./dez., 2005.
  • [22] SAMPAIO, M.W. et al. (Org.). Baixa visão e cegueira: os caminhos para a reabilitação, a educação e a inclusão. Rio de Janeiro: Cultura Médica, Guanabara Koogan, 2010. p.347-360.
  • [23] TECE. Tecnologia e Sistema Educacional . Manual de uso de Regletes. do sonho a estratégia: um caminho coletivo. Rio Claro. 20014. Disponível em Andlt; http://www.tece.com.br/painel/uploads/Manual%20de%20uso%20de%20produtos_regletes%20communicare%20alpha%20e%20alfabeto.pdfAndgt;. acessos em 10 dez. 2014.
  • [24] Thompson, E., Lutz, A., Andamp; Cosmelli, D. (2005). Neurophenomenology: an introduction for neurophilosophers. In A. Brook Andamp; K. Akins (Orgs.), Cognition and the brain: the philosophy and neuroscience movement (pp. 40-97). Cambridge: Cambridge University Press.
  • [25] VARELA, F.;SHEAR, J. (1999). First-person accounts: why, what, and how. Journal of Consciousness Studies, 6(2-3), 1-14.
  • [26] ZILBERMAN,B. Projeto Ray. 2014. Disponível em Andlt; http://www.pletz.com/blog/israelenses-criam-smartphone-para-deficientes-visuais/Andgt;. acessos em 4 dez. 2014.
Como citar:

CARIZIO, Bethânya Graick; NOVAES, Diego Pires; ARAÚJO, Adriana Francisca; MEDOLA, Fausto Orsi; RODRIGUES, Sérgio Tosi; PASCOARELLI, Luis Carlos; "TECNOLOGIA ASSISTIVA APLICADA A ESCOLARES COM DEFICIÊNCIAS VISUAIS: ESTUDO DE REVISÃO", p. 1278-1290 . In: Anais do 15º Ergodesign & Usihc [=Blucher Design Proceedings, vol. 2, num. 1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/15ergodesign-110-U068

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações