fevereiro 2014 vol. 1 num. 1 - V Simpósio Internacional de Flebologia

Resumo - Open Access.

Idioma principal

Síndrome de Congestão Pélvica: Tratamento Endovascular

Bez, L. G.; Silva, C. M. O.;

Resumo:

A Síndrome de Congestão Pélvica é uma condição pouco conhecida em nosso meio. É responsável por uma porcentagem significativa de pacientes com dor pélvica crônica sem diagnóstico específico. Trata-se do correspondente feminino da varicocele, descrito pela primeira vez por Richet, em 1957. A fisiopatologia da síndrome é explicada pelo refluxo na veia gonadal, seja por incompetência valvar ou por obstrução mecânica, como ocorre no “Fenômeno de Quebra-Nozes”. Também são responsáveis pela dor pélvica, as próprias varizes. Não existe acordo quanto aos critérios que devem ser adotados para o diagnóstico da síndrome. Enquanto alguns autores se baseiam apenas em achados do exame clínico, preferimos confiar nos dados da ultrassonografia, quando é detectado aumento do fluxo sanguíneo nas veias gonadais e nas varizes pélvicas com realização da manobra de Valsalva. Alguns achados clínicos corroboram o diagnóstico: presença de varizes na raiz das coxas que reaparecem após o tratamento cirúrgico, presença de varizes vulvares e nos glúteos, sensação de peso ou edema pélvico, que aparecem ou pioram com ortostatismo prolongado. O padrão ouro permanece sendo a flebografia intra-operatória, com documentação do refluxo do contraste pela veia gonadal, enchendo as varizes, na presença de dilatação desses vasos. Realizamos o tratamento com espuma de polidocanol e molas de Gianturco, com excelente resultado até o momento. Preferimos a via transfemoral à jugular, que foi usada apenas no primeiro caso. Realizamos de rotina flebografia das veias ilíacas internas, que ocasionalmente podem ser responsáveis pelas varizes pélvicas, ou podem mantê-las por circulação colateral. Caso isso seja comprovado, esses vasos também são embolizados. Os estudos que foram realizados até o momento não são comparáveis, seja pela discrepância nos critérios diagnósticos, seja pela técnica utilizada para o tratamento. Torna-se, portanto, necessária a realização de mais estudos, mantendo os critérios já adotados nas principais séries, de maneira a uniformizar os dados e possibilitar a comparação entre eles

Resumo:

Palavras-chave: síndrome congestão pélvica, varizes pélvicas, varizes vulvares, varizes glúteas,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/medpro-flebo-SIF_46

Referências bibliográficas
Como citar:

Bez, L. G.; Silva, C. M. O.; "Síndrome de Congestão Pélvica: Tratamento Endovascular", p. 73 . In: In Anais do V Simpósio Internacional de Flebologia [=Blucher Medical Proceedings, n.1, v.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-flebo-SIF_46

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações