Artigo - Open Access.

Idioma principal

ROTAS SEGURAS: A QUALIDADE ESPACIAL NO ENTORNO DE ÁREAS ESCOLARES PARA USUÁRIOS DE TRANSPORTE PÚBLICO

PRADO, Bruna de Brito; MAGAGNIN, Renata Cardoso;

Artigo:

Este artigo apresenta a avaliação da qualidade espacial, para usuários de transporte público, no entorno de uma escola, localizada na cidade de Bauru (SP - Brasil); a partir da aplicação de alguns indicadores de microacessibilidade relacionados ao conforto e segurança dos usuários da escola. Multi-métodos foram utilizados para avaliar a qualidade da microacessibilidade dos usuários. Os resultados mostram que os indicadores utilizados são eficientes para a identificação de problemas e podem auxiliar os gestores locais no planejamento e monitoramento da qualidade espacial no entorno de áreas escolares; e contribuir para a formulação de políticas municipais sobre este tema.

Artigo:

This paper presents the assessment of spatial quality for public transport users, in the surrounding of a school located in the city of Bauru (SP - Brazil); from the application of some microacessibilidade indicators related to the comfort and safety of school users. Multi-methods were used to assess the micro-accessibility quality of users. The results show that the indicators used are effective to identify problems and can assist local managers in planning and monitoring the spatial quality in the surrounding of school areas; and contribute to the formulation of municipal policies on this topic.

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/15ergodesign-56-E014

Referências bibliográficas
  • [1] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050 - Acessibilidade de pessoas com deficiência a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro. 2004.
  • [2] BIANCHI, I.M. A microacessibilidade em vias urbanas estruturais: o caso da 3ª perimetral de Porto Alegre. Dissertação (Mestrado). Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano e Regional. UFRGS. Porto Alegre. 2011.
  • [3] BRASIL. Decreto Lei 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília: Senado Federal. 2004.
  • [4] BRASIL. Ministério das Cidades. Brasil Acessível. Programa brasileiro de acessibilidade urbana. Cadernos 1, 2, 3, 4, 5 e 6. Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. Brasília. 2007.
  • [5] CAMPÊLO, A.E.P. Proposição de modelo para escolha de rotas urbanas acessíveis considerando-se os critérios de microacessibilidade para as pessoas com deficiência física motora. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Transportes. UF Ceará. Fortaleza. 2011.
  • [6] COLLINS, D. C. A. Andamp; KEARNS, R. A. Geographies of inequality: Child pedestrian injury and walking school buses in Auckland, New Zealand. Social Science Andamp; Medicine, n. 60: p. 61–69. 2005.
  • [7] FERREIRA, M. A.; SANCHES, S. P. Proposal of a sidewalk accessibility index, Journal of Urban and Environmental Engineering 1(1). 200 1-9.
  • [8] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Informações estatísticas do Município de Bauru, 2010. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=Andamp;codmun=35060 0Andamp;search=sao-paulo|bauruAndgt;. Acesso em: 29 set. 2013.
  • [9] IPINGBEMI, O. Andamp; AIWORO, A.B. Journey to school, safety and security of school children in Benin City, Nigeria. Transportation Research, Part F, n. 19: p. 77–84. 2013.
  • [10] KEPPE Junior, C.L.G. Formulação de um indicador de acessibilidade das calçadas e travessias. Dissertação (Mestrado) Engenharia Urbana. Universidade Federal de São Carlos. 2007.
  • [11] LITMAN, Todd. Traffic, Mobility and Accessibility. In: Measuring Transportation. Victoria Transport Policy Institute (VTPI). 2008. Disponível em: www.vtpi.org
  • [12] MAGAGNIN, R. C. Cidades Acessíveis: o planejamento da infraestrutura para a circulação de pedestres. In: Maria Solange G. de Castro Fontes, Norma Regina T. Constantino e Luis Cláudio Bittencourt (eds). Arquitetura e Urbanismo: novos desafios para o século XXI. Bauru: Canal 6. 2009.
  • [13] MAGAGNIN, R.C.; SALCEDO, R.F.B.; FONTES, M.S.G.C. Urban sustainability in pedestrian street in downtown areas: Case study of Bauru - Brazil, in: Proceedings of Passive and Low Energy Architecture - PLEA 2012 - 28th Conference, Opportunities, Limits Andamp; Needs Towards an Environmentally Responsible Architecture, Lima, Peru, pp. 1-6. 2012.
  • [14] MENDONZA, J. A.; WATSON, K.; CHEN, T.; BARANOWSKI, T.; NICKLAS, T. A.; USCANGA, D. K.; HANFLING, M. J. Impact of a pilot walking school bus intervention on children’s pedestrian safety behaviors: A pilot study. Health Andamp; Place, n.18: p. 24–30. 2012.
  • [15] MÜLLER, V. R.; ARRUDA, F. M. O trânsito e o transporte na cidade: caminhos propostos pelas crianças para uma maior mobilidade em Maringá, PR. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, Campo Grande-MS, n. 35, p. 117-135, jan./jun. 2013.
  • [16] STEWART, O.; MOUDON, A. V. Andamp; CLAYBROOKE, C. Common ground: Eight factors that influence walking and biking to school. Transport Policy, n.24: p. 240–248. 2012.
  • [17] UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância. Convenção sobre os direitos da criança. 1989.
  • [18] YEUNG, J.; WEARING, S. Andamp; HILLS, A. P. Child transport practices and perceived barriers in active commuting to school. Transportation Research, Part A, n. 42: p. 895–900. 2008.
Como citar:

PRADO, Bruna de Brito; MAGAGNIN, Renata Cardoso; "ROTAS SEGURAS: A QUALIDADE ESPACIAL NO ENTORNO DE ÁREAS ESCOLARES PARA USUÁRIOS DE TRANSPORTE PÚBLICO", p. 296-307 . In: Anais do 15º Ergodesign & Usihc [=Blucher Design Proceedings, vol. 2, num. 1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/15ergodesign-56-E014

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações