Pôster - Open Access.

Idioma principal

Quincas Borba: narrativa literária e narrativa fílmica

Lima, Maria Cristina Gomes Barbosa de;

Pôster:

A narrativa apresenta como característica central a criação de ilusões e habilidades que conduzem as impressões contrárias. Possibilita a sociedade a ver-se e, assim reelaborar-se, oferecendo meios próprios na criação de personagens mascarados e com a destreza de artifícios críticos. Insinua o irônico pessimismo nas farsas, de um dizer não dizendo, mas fala nas entrelinhas, prevendo o jogo entre a verdade e a mentira existentes entre os homens. Já o filme, realizado por Roberto Santos, atravessa um percurso bastante original na adaptação do romance. Há um clima de depressão e frustração que atravessa toda a sequência de cenas. Machado critica o comportamento humano afirmando que a razão humana é um instrumento débil e corrompido sendo capaz de penetrar apenas nas aparências e criar erros. O homem passa a ser visto como um ser devorador e, neste ser fraco vivem ainda restos de uma grandeza que nos imobiliza de respeito. A linguagem dos personagens expressa às visões de mundo no contexto sócio-histórico. O romance retrata a crise de identidade cultural, avalia o processo de fragmentação do homem moderno expressado através de sentimentos do sujeito que precisa e busca se adaptar a nova realidade.

Pôster:

Palavras-chave: crítica social, intertextualidade, narrativa, literatura, tragicômico, romance,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/phypro-intermidialidade2014-025

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, R.(2010). O delírio de Brás Cubas: síntese do pensamento filosófico machadiano. Revista Eletrônica Machado de Assis em linha. Ano 3, n.6, dez.
  • [2] ASSIS, M. (2008). Quincas Borba. São Paulo: Globo.
  • [3] BARBIERI, I. (2003). Ler e reler Quincas Borba. Rio de Janeiro: EdUERJ.
  • [4] BARRETO FILHO, J. (1980). Introdução a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir Editora.
  • [5] BOSI, A. (2007). Machado de Assis: o enigma do olhar. 4 ed. São Paulo: WMF Martins Fontes.
  • [6] CANDIDO, A. (2004). Esquemas de Machado de Assis. In: _____. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul.
  • [7] CARVALHO, C. (2010). Dicionário de Machado de Assis: língua, estilo, temas. Rio de Janeiro: Lexikon.
  • [8] FOUCAULT, M. (2000). História da loucura na idade clássica. São Paulo; Perspectiva.
  • [9] GLEDSON, J. (2006). Por um novo Machado de Assis. São Paulo: Companhia das Letras.
  • [10] _____. (1986). Machado de Assis: ficção e história. Rio de Janeiro: Paz e Terra.
  • [11] LINHARES FILHO. (1978). A metáfora do mar em Dom Casmurro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.
  • [12] MARTIN, M. (2003). A linguagem cinematográfica. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Brasiliense.
  • [13] MERQUIOR, J. (1977). De Anchieta a Euclides: breve história da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio.
  • [14] NASCIMENTO, D. (2008). Machado de Assis, no universo proteiforme de devir. Revista Verbo de Minas /CES-JF. Juiz de Fora (MG), v.1, n.1,. p.57 a 66.
  • [15] ROSSET, C. (1989). Princípio da crueldade. Rio de Janeiro: Rocco.
  • [16] SANTOS, R.(2008). Machado de Assis e a economia dos cruzamentos afetivos e culturais. In: LAGE, Verônica Lucy Coutinho (org.). Literatura, crítica e cultura II: diálogos com Machado de Assis: caminhos da crítica literária. Juiz de Fora: Editora UFJF, p. 29-39.
  • [17] SCHAWRZ, R. (2007).Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social no início do romance brasileiro. São Paulo: Duas Cidades
  • [18] _____. (1990). Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. São Paulo: Duas Cidades.
  • [19] SOUZA, R. (2006). O romance tragicômico de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2006.
  • [20] XAVIER, T. (2005). Verso e reverso do favor no romance de Machado de Assis. Viçosa: Ed. UFV.
Como citar:

Lima, Maria Cristina Gomes Barbosa de; "Quincas Borba: narrativa literária e narrativa fílmica", p. 338-347 . In: Aguiar, Daniella; Queiroz, João (Eds.). Anais do 1º Congresso Internacional de Intermidialidade 2014 [=Blucher Arts Proceedings, v.1 n.1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2447-3332, DOI 10.5151/phypro-intermidialidade2014-025

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações