Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Psicanálise no hospital

PSYCHOANALYSIS AT HOSPITAL

Dias, Eliane Costa;

Artigo:

Esta comunicação discute o lugar da Psicanálise nas instituições de saúde. Psicanálise e Medicina partem de concepções de corpo, sintoma e cura radicalmente diferentes, configurando discursos e praticas clínicas necessariamente distintas. Mas, justamente por isso, a interlocução é possível e necessária. Para a maior parte dos sujeitos, a entrada no hospital constitui um momento de confronto com o real da fragilidade da condição humana e a angústia mobilizada pode gerar a demanda pela intervenção do analista.Ao psicanalista cabe a tarefa de “tocar o sujeito no doente”, levando-o a se implicar com seu sintoma e seu tratamento, da melhor maneira possível.A autora destaca a importância da construção do caso clínico como via de transmissão do saber e da eficácia da psicanálise e de contribuição ao trabalho da equipe multidisciplinar.

Artigo:

This text discusses the role Psychoanalysis plays at health institutions. Psychoanalysis and Medicine are based on radically different concepts concerning the body, symptoms and cure, thus their discourse and clinical practices are necessarily distinct. Due to this, however, both understand interlocution is possible and necessary. Facing hospitalization, for most subjects, constitutes a confrontation with the real of the fragility inherent to the human condition, so the eruption of anguish may generate a demand for the analyst’s intervention.It is the psychoanalyst’s job to “touch the subject in the patient”, in order to lead him to get involved in his symptom and treatment the best possible way.The author highlights the importance of constructing the clinical case as a way to transmit the knowledge and efficacy of psychoanalysis to contribute with the multi-disciplinary team work.

Palavras-chave: Psicanálise, Medicina, Método clínico, Construção de caso clínico, psychoanalysis, medicine, clinical method, clinical case construction,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/medpro-2cisep-029

Referências bibliográficas
  • [1] FREUD, S. Linhas de progresso na terapia psicanalítica (1919 [1918]). ESB, vol. XVII. Rio de janeiro: Imago, 1980.
  • [2] FREUD, S. O Ego e o Id [1923]. ESB, vol. XIX. Rio de janeiro: Imago, 1980.
  • [3] LACAN, J. O lugar da psicanálise na medicina (1966). Revista Opção Lacaniana, nº 32, dez/2001, p. 8-14. São Paulo: Edições Eolia.
  • [4] MALENGREAU, P. Nota sobre a construção do caso. Almanaque de psicanálise e saúde mental, ano 6, nº 9, nov/2003, p.11-15. Belo Horizonte: Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de MG.
  • [5] MORETTO, M. L. T. O que pode um analista no hospital? São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.
  • [6] SANTOS, F. J. B. Do corpo médico ao corpo da psicanálise. O corpo da psicanálise, ano XVII, nº 27, 2000, p. 293-299. Escola Letra Freudiana: Rio de Janeiro.
  • [7] SANTOS, N. O. Brasil. Psicanálise. Medicina. Extraterritorial: Mais, ainda. Carta de São Paulo Online, nº 5, nova série, ano III, nov/2013.
  • [8] VIGANÓ, C. A construção do caso. Almanaque de psicanálise e saúde mental, ano 6, nº 9, nov/2003, p.47-50. Belo Horizonte: Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de MG.
Como citar:

Dias, Eliane Costa; "Psicanálise no hospital", p. 239-247 . In: Anais do 2° Congresso Internacional Sabará de Especialidades Pediátricas [=Blucher Medical Proceedings, v.1, n.4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-2cisep-029

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações