Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

POTENCIALIDADE DO CAPIM ELEFANTE PARA A PRODUÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO

MUNIZ, A. R.C.; BERDET, G.; da SILVA, L.;

Artigo Completo:

Com o aquecimento global, decorrente da emissão de gases do efeito estufa, principalmente o CO2 gerado na queima de combustíveis fósseis, políticas mundiais têm apontado para a necessidade de produção de combustíveis utilizando produtos da fotossíntese. Uma nova fonte alternativa de matéria-prima para a produção de etanol é o capim elefante (Pennisetum purpureum), que é uma gramínea de grande porte, fácil manejo e cultivo e abundante em todo o Brasil. Este trabalho teve como objetivo, determinar a potencialidade do capim elefante, colhido pela Embrapa Pecuária Sul (CPPSul) no município de Bagé no estado do Rio Grande do Sul, para a produção de álcool de segunda geração. Para isso, a biomassa foi caracterizada por análise granulométrica, apresentando diâmetro médio de Sauter de 0,432 mm e, quimicamente, pelo método de Van Soest, que mostrou que a fração de capim elefante com maior potencial para a produção de etanol é a de folhas jovens com 22,01 % de hemicelulose, 52,28 % de celulose e 8,28 % de lignina.Foram testados três tipos de pré-tratamento: ácido, hidrotérmico e básico, seguidos de hidrólise enzimática com a enzima comercial Celluclast® 1,5 L. O melhor resultado encontrado pelo método de 3,5-dinitrosalicilico (DNS) foi 1,94 g/L de açúcares redutores obtido com pré-tratamento alcalino usando hidróxido de sódio 0,25 M. Esse resultado também foi encontrado em análise morfológica preliminar por microscopia óptica.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/chemeng-cobeqic2015-056-32017-263954

Referências bibliográficas
  • [1] CANILHA, L., MILAGRES, A. M. F., SILVA, S. S., SILVA, J. B. A., FELIPE, M. G. A.,ROCHA, G. J. M., FERRAZ, A., CARVALHO, W. Sacarificação da biomassalignocelulósica através de pré-hidrólise ácida seguida por hidrólise enzimática: uma estratégia de “desconstrução” da fibra vegetal. RevistaAnalytica, n. 44. 2010.
  • [2] CANILHA, L.; CARVALHO, W.; ROCHA, G.J.M.; ALMEIDA E SILVA, J. B.; GIULIETTI, M. Caracterização do bagaço de cana-de-açúcar in natura, extraído com etanol ou ciclohexano/etanol. In: XLVII CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA,
  • [3] 2007. Natal. Disponível em: Andlt;http://www.abq.org.br/cbq/2007/trabalhos/11/11-570-71htmAndgt;. Acessoem: 22 de fev. 2015.
  • [4] CARDONA, E.; RIOS, J.; PENA, J.; RIOS, L. Effects of the pretreatment method on enzymatic hydrolysis and ethanol fermentability of the cellulosic fraction from elephant grass. Fuel, v. 118, p. 41-47, 2013.
  • [5] ESBER, C.Vem aí o etanol de arroz. Disponível em: http://www.amanha.com.br/index.php?option=com_contentAndamp;view=articleAndamp;id=6481:ve m-ai-o-etanol-de-arrozAndamp;catid=34:home-1Andamp;Itemid=67. Acesso em: 19 jan. 201
  • [6] FUENTES, L. L. G. Determinação de dados cinéticos da deslignificação do bagaço. 2009. 149p. Dissertação de Mestrado -Faculdade de Engenharia Química, Universidade Estadual de Campinas.Campinas, 2009.
  • [7] HAMES, B. Preparation of samples for compositional analysis: Laboratory Analytical Procedure (LAP). National Renewable Energy Laboratory, Technical Report, NREL/TP-510-42620, 9 p., 2008.
  • [8] MENEGOL, D.; SCHOLL, A. L.; FONTANA, R. C.; DILLON, A. J. P.; CAMASSOLA, M.Potential of a penicilliumechinulatum enzymatic complex producedin either submerged or solid-state cultures for enzymatic hydrolysisof elephant grass. Fuel, v. 133, p. 232-240, 2014.
  • [9] NOGUEIRA, A, R.; SOUSA, G. B. Manual de Laboratórios: Solo, água, nutrição vegetal, nutrição animal e alimentos. São Carlos. Editora: EmbrapaPecuária Sudoeste, 2005.
  • [10] PINTO, F. H. P. B. Etanol celulósico: um estudo de viabilidade econômico-financeira.20 78p. Dissertação de Mestrado - Escola de Economia de São Paulo, FGV-EESP, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuáriae Escola Superior de Agricultura “Luis de Queiroz”, ESALQ/USP.São Paulo, 20
  • [11] RAÍZEN. Tecnologia em energia renovável: etanol de segunda geração. Disponível em:http://www.raizen.com.br/energia-do-futuro-tecnologia-em-energia-renovavel/etanol-de-segunda-geracao. Acesso em: 17 fev. 2015.
  • [12] USBERTI, J. A. F.; TEIXEIRA, J. P. F.; GALLO, P. B.; PEREIRA, C. A. Produção de etanol de gramíneas forrageiras tropicais. Pesq.Agropec. Bras., Brasília, v. 23(2), p. 175-187,1988. Disponível em:Andlt;http://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab/article/view/13796Andgt;. Acesso em 22 de fev. 2015.
Como citar:

MUNIZ, A. R.C.; BERDET, G.; da SILVA, L.; "POTENCIALIDADE DO CAPIM ELEFANTE PARA A PRODUÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO", p. 499-504 . In: Anais do XI Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica [=Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n.3]. ISSN Impresso: 2446-8711. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeqic2015-056-32017-263954

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações