Artigo - Open Access.

Idioma principal

OS ASPECTOS SENSORIAIS DOS ESPAÇOS DE HOSPEDAGEM E O TURISMO DE EXPERIÊNCIA PARA TODOS: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA

Horta, Flávia Papini; Couto, Heloísa Helena;

Artigo:

Este artigo analisa a relação necessária entre os aspectos sensoriais do espaço, locais de hospedagens universais e turismo de experiência no atual cenário turístico brasileiro. Considera-se o viajante contemporâneo que, cansado de um cotidiano linear, busca não só lazer ou descanso, mas novos caminhos sensoriais, culturais e estéticos. Começa-se a pensar, então, como o espaço construído pode influenciar na criação dessas novas experiências. Os objetos e os espaços são fortes emissores de subsídios sensoriais e cada usuário é um receptor único de informações. Na união dessas afirmações, temos a combinação perfeita para um denso extrato de sensações. Além de possibilitar novas experiências por meio das informações do espaço, os aspectos sensoriais também são responsáveis pela criação de mapas mentais, presentes na imaginação humana. Para o desenvolvimento deste artigo foi feita inicialmente uma revisão de literatura. Em seguida, buscou-se conceituar cada tema aqui discutido e, logo após, considerar a afinidade entre eles a fim de provar a relação intrínseca entre as três temáticas. A partir dessa análise conclui-se que os aspectos sensoriais do espaço são ferramentas que maximizam o turismo de experiência. Também possibilitam a apreensão do espaço por qualquer usuário independentemente de ser uma pessoa com deficiência ou não, universalizando ao máximo os espaços de hospedagem.

Artigo:

This article analyzes the relation between the sensory aspects of the space, universal places of accommodation and tourism of experience of the current Brazilian tourism scenery. The contemporary traveler who, tired of a linear everyday, seeking not only leisure or rest, but new sensory, cultural and aesthetic paths. Starts to think, then, how the built environment can influence the creation of these new experiences. The objects and spaces are strong emitters of sensory information and each user as a single receiver of information. The union of these statements, we have the perfect combination for a dense extract of sensations. In addition to enabling new experiences through the information space, the sensory aspects are also responsible for creating mental maps present in human imagination. For the development of this article it was made initially a literature review. Next, we sought to conceptualize each topic discussed here and, soon after, to analyze the relationship between them in order to prove the intrinsic relationship between the three themes. From this analysis it is concluded that the sensory aspects of space are tools that maximize the tourism of experience. They also allow the seizure of space by any user regardless of being a disabled person or not, universalizing the most of hosting spaces.

Palavras-chave: design universal, espaços de hospedagem, turismo de experiência e aspectos sensoriais., universal design, hosting spaces, experience tourism and sensorial aspects of space.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-00651

Referências bibliográficas
  • [1] ALCANTARA, Denise de; ARAÚJO, Mônica Queiroz; RHEINGANTZ, Paulo Afonso. Os sentidos humanos e a construção do lugar – Em busca do caminho do meio para o desenho universal. 2004. 06f. Artigo Publicado nos Anais do Seminário Acessibilidade no Cotidiano (CD-Rom) – Rio de Janeiro.
  • [2] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: 2004 “Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos”. Rio de Janeiro, 2004.
  • [3] BARBOSA, Marcos Aguiar. Hospedagem com espaços acessíveis – A arquitetura e o negócio hoteleiro.
  • [4] BARTALOTTI, Celina Camargo. Inclusão das pessoas com deficiência: utopia ou possibilidade?. São Paulo: Paulus, 2006.
  • [5] BRASIL. Decreto nº 296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nºs 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências.
  • [6] CAMBIAGHI, Silvana. Desenho Universal – métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Senac São Paulo, 2012.
  • [7] GUIMARÃES, Marcelo Pinto. A Acessibilidade da Sociedade Inclusiva. Website Adaptse. Disponível em: Andlt;http://pages.adaptse.org/1727Andlt;. Acesso em 16 jan. 2014
  • [8] GUIMARÃES, Marcelo Pinto. Acessibilidade: diretriz para a inclusão. Website Adaptse. Disponível em: Andlt;http://pages.adaptse.org/1723Andlt;. Acesso em 16 jan. 2014
  • [9] GUIMARÃES, Marcelo Pinto. Uma abordagem holística na prática do Design Universal. 2007. 19f. Artigo – Universidade Federal de Minas Gerais. Laboratório ADAPTSE Escola de Arquitetura.
  • [10] MINISTÉRIO DO TURISMO, 2013. Estudo do perfil de turistas – Pessoas com Deficiência. Documento técnico, 2013.
  • [11] NETO, Alexandre Panosso e GAETA, Cecília. Turismo de experiência. São Paulo: Senac São Paulo, 2010.
  • [12] ONU. Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas – Declaração dos direitos das pessoas deficientes, de 09 de dezembro de 1975. Portal MEC. Disponível em: Andlt;http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/dec_def.pdfAndgt;. Acesso em: 19 fev. 2014
  • [13] Renata. Palestra na X Semana do Curso de Turismo da UFMG – Empreendedorismo e Turismo. 20
  • [14] SHIMOSAKAI, Ricardo. Acessibilidade e Inclusão no Turismo. In: Turismo Adaptado, São Paulo, jan.2010. 1 DVD-R.
  • [15] SHIMOSAKAI, Ricardo. Palestra na X Semana do Curso de Turismo da UFMG – Empreendedorismo e Turismo. 2013.
Como citar:

Horta, Flávia Papini; Couto, Heloísa Helena; "OS ASPECTOS SENSORIAIS DOS ESPAÇOS DE HOSPEDAGEM E O TURISMO DE EXPERIÊNCIA PARA TODOS: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA", p. 3530-3541 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-00651

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações