Pôster - Open Access.

Idioma principal

O potencial comunicativo do rosto: uma relação entre obra artística e política em Rancière

Azevedo, Agatha de Souza; Marques, Ângela Cristina Salgueiro;

Pôster:

O objetivo deste artigo é explorar, à luz das reflexões de Jacques Rancière acerca da política das imagens, o potencial de subjetivação e de dissenso presente em retratos fotográficos de jovens de periferias parisienses, produzidos pelo artista francês JR. Acreditamos que esse potencial pode ser examinado a partir de uma análise que considere o rosto do sujeito marginalizado como modo de “aparecer” de um sujeito em espaços públicos marcados pela ordem consensual e pela exclusão. Os rostos que emergem na superfície das fotografias de JR tornam possível distinguir pequenos gestos, inflexões, caretas e peculiaridades que questionam, interrogam, interpelam e convocam os espectadores para além de uma legibilidade domesticada e que direcione o olhar para sentidos previamente estabelecidos, ou seja, para além da indignação, da pena, da culpabilização dos pobres e de sua condenação. Por meio da análise de imagens produzidas por JR para o projeto "Portrait of a generation" (2004), pretendemos explicitar algumas dimensões políticas derivadas do modo como jovens que, a princípio “não teriam rosto” são construídos como sujeitos a partir da produção de imagens que dificultam o legendamento e criam hiatos e dissonâncias entre seu “aparecer” e o registro consensual de sua exposição diante dos habitantes de Paris.

Pôster:

Palavras-chave: Política, Rancière, dissenso, rosto, fotografia,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/phypro-intermidialidade2014-020

Referências bibliográficas
  • [1] Agamben, G.O. (1996) Rosto. Mezzi senza fine. Note sulla politica. Tradução de Murilo Duarte da Costa Corrêa. Bollati Boringhieri: Torino, 74-80.
  • [2] Benevolo, L. (2001). História da arquitetura moderna; São Paulo: Editora Perspectiva, 91-114.
  • [3] Benussan, G. (2009). Ética e experiência: a política em Levinas . Passo Fundo: IFIBE, 67-80.
  • [4] Bougnoux, D. (2002) “Faire visage, comme on dit faire surface » Les Cahiers de Médiologie, n.15, “Faire Face”, 9-15. Disponível em Andlt;http://www.mediologie.org/collection/15_visage/sommaire15.htmlAndgt;, acesso em 21/03/1
  • [5] Hussak, P. (2011) Produção estética, emancipação e imagem em Jacques Rancière. Luciano Vinhosa Simão. (Org.). Horizontes da arte: práticas artísticas em devir. 1ed.Rio de Janeiro: NAU,92-104.
  • [6] ———. (2012). Rancière: a política das imagens. Princípios, v.19, n.32, 95-107.
  • [7] Levinas, E. (1988). Ética e infinito . Lisboa: Ed. 70, 69-84.
  • [8] Marques, A. C. S. (2011). Comunicação, estética e política: a partilha do sensível promovida pelo dissenso, pela resistência e pela comunidade. Galáxia (São Paulo. Online), v. 11(22) , 25-39.
  • [9] ———. (2013). Três bases estéticas e comunicacionais da política: cenas de dissenso, criação do comum e modos de resistência. Revista Contracampo, v. 26, n. 1, 126-145.
  • [10] Mauad, A.M. (2008). O olhar engajado: fotografia contemporânea e as dimensões políticas da cultura visual, Revista ArtCultura (v. 10, n. 16), 33-50.
  • [11] Picado. B. (Dez, 2009). A ação e a paixão que se colhem num rosto: pensando os regimes de discurso do retrato humano no fotojornalismo. Revista Galáxia, São Paulo, n. 18, 276-290.
  • [12] Rancière, J. (2000). A Partilha do Sensível. São Paulo : Ed. 34.
  • [13] ———. (1995). La Mésentente– politique et philosophie. Paris: Galilée.
  • [14] ———. (2010). O espectador emancipado. São Paulo: Martins Fontes.
  • [15] ———. (2011). The thinking of dissensus: politics and aesthetics. BOWMAN, Paul; STAMP, Richard. Reading Rancière. London: Continuum International Publishing Group, 1-17.
  • [16] ———. (2004) Aux bords du politique. Paris: Gallimard.
  • [17] ———. (2012) O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto.
  • [18] ———. (2007) Le travail de l’image. Multitudes, n.28, 195-210.
  • [19] ———. (2008) El teatro de imágenes. In: AAVV, Alfredo Jaar. La política de las imágenes, Santiago de Chile, editorial Metales pesados, 69-89.
  • [20] ———. (2009) Política de Pedro Costa. In: Cem Mil Cigarros – os filmes de Pedro Costa. Ed. Ricardo Matos Cabo, Lisboa: Orfeu Negro, 53-63.
Como citar:

Azevedo, Agatha de Souza; Marques, Ângela Cristina Salgueiro; "O potencial comunicativo do rosto: uma relação entre obra artística e política em Rancière", p. 275-291 . In: Aguiar, Daniella; Queiroz, João (Eds.). Anais do 1º Congresso Internacional de Intermidialidade 2014 [=Blucher Arts Proceedings, v.1 n.1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2447-3332, DOI 10.5151/phypro-intermidialidade2014-020

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações