Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

O olho que não lê , agora pode ver: Menino de Engenho para as massas sob a ótica do cinema novo: deslocamentos e transposições

Rodrigues, Maria Margareth Vieira Pacheco; Eccard, Juliana Godinho;

Artigo Completo:

Propõe uma análise comparativa entre o romance Menino de engenho de José Lins do Rego com a adaptação cinematográfica de Walter Lima Jr que recebeu o mesmo título. Relaciona o romance de José Lins do Rego com o paralelo traçado entre memória, cultura e literatura. Contextualiza o leitor acerca da criação da nova mídia denominada cinema e explica qual a proposta dos cineastas que apostaram na produção para o Cinema Novo. Coteja as abordagens adotadas na produção para as massas que seriam deslocamentos e transposições comparados à obra literária

Artigo Completo:

Palavras-chave: Cinema novo, Cultura de massa, Cultura regional, Intersemiótica, Literatura, Memória,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/phypro-intermidialidade2014-001

Referências bibliográficas
  • [1] Albuquerque Jr. (2011). A invenção do nordeste e outras artes. São Paulo : Cortez,.
  • [2] Barbáchano, C. (1979). O cinema, arte e indústria. São Paulo: Salvat do Brasil.
  • [3] Canclini, N. (2003) Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. ( Ana Regina Lessa Andamp; Heloísa Pezza Cintrão, trad.). São Paulo: Edusp.
  • [4] Cardoso, D. Andamp; Torres, A. (2014). Um engenho de memórias: o processo de tradução de menino de engenho para o cinema. [versão eletrônica] Revista Universitária do Audiovisual. Recuperado em 10 outubro, 2014 de http://www.rua.ufscar.br/um-engenho-de-memorias-o-processo-de-traducao-de-menino-de-engenho-para-o-cinema/
  • [5] Johnson, R. (2003). Literatura e cinema, diálogo e recriação: o caso de Vidas Secas. Literatura, cinema e televisão. São Paulo: Editora Senac.
  • [6] Marcondes Filho, C. (1998). Televisão: a vida pelo vídeo. 11. ed. São Paulo: Moderna.
  • [7] Mattos, C. (2002). Walter Lima Júnior: viver cinema. Rio de Janeiro: Casa da Palavra.
  • [8] Martino, L. (2005). Comunicação: troca cultural? São paulo: Paulus.
  • [9] Mcluhan, M. (1969). A Galáxia de Gutenberg : a formação do homem tipográfico. São Paulo : Ed. da Univ.
  • [10] Walter L. Jr. (1965). Menino de engenho [Filme-vídeo]. Walter Lima Júnior et. al. Prod., Walter L. Jr. dir. Mapa Filmes. João Pessoa: Mapa. 1 bobina cinematográfica, 116min. preto. son.
  • [11] Mota, A. (1999). O primeiro filme de um cineasta: menino de engenho, de Walter Lima Júnior. Dissertação, Unversidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  • [12] Paiva, C. (2011). Imagens do Nordeste brasileiro na idade mídia: elementos para uma antropológica da ficção audiovisual. Recuperado em 10 julho, 2011 de: http://www.bocc.ubi.pt/pag/paiva-claudio-cardoso-imagens-nordeste-brasileiro.pdf.
  • [13] Plaza, J. (2001). Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva.
  • [14] Rego, J. L. (1932). Menino de engenho. Rio de Janeiro: José Olímpio.
  • [15] Novo, R. (2011). Adaptações literárias e o cinema de autor no Cinema Novo. Recuperado em 10 julho, 2011 de http://www.ufscar.br/rua/site/?p=2260.
  • [16] Santaella, L.(2000). Cultura das mídias. São Paulo : Experimento.
  • [17] Saraceni, P. (1968). Conversa com Saraceni. Diário de Notícias, 1968. p. 2, seção 2.
  • [18] Silva, V. (2005). Teoria da Literatura. Porto: A Medina.
  • [19] Xavier, I. (2003). Do texto ao filme: a trama, a cena e a construção do olhar no cinema. Literatura, cinema e televisão. São Paulo: Editora SENAC.
Como citar:

Rodrigues, Maria Margareth Vieira Pacheco; Eccard, Juliana Godinho; "O olho que não lê , agora pode ver: Menino de Engenho para as massas sob a ótica do cinema novo: deslocamentos e transposições", p. 11-22 . In: Aguiar, Daniella; Queiroz, João (Eds.). Anais do 1º Congresso Internacional de Intermidialidade 2014 [=Blucher Arts Proceedings, v.1 n.1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2447-3332, DOI 10.5151/phypro-intermidialidade2014-001

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações