Artigo - Open Access.

Idioma principal

O ENSINO DO DESIGN NO AMAZONAS: DISCURSOS SOBRE IDENTIDADE CULTURAL

Oliveira, Alexandre Santos de; Couto, Rita Maria de Souza;

Artigo:

Este trabalho expõe parte dos resultados da pesquisa realizada no âmbito do Programa de Pós-graduação em Design da PUC-Rio – Doutorado e que teve como objetivo propor recomendações para o ensino do design no Amazonas a partir do conceito de identidade cultural. Utilizando-se de uma abordagem qualitativa, através da pesquisa bibliográfica e da técnica do grupo focal, esta comunicação apresenta os conceitos sobre identidade cultural, apresentados pelos docentes em Design, lidos sob uma perspectiva crítica que advém da ideia de emancipação social. Os dados obtidos forneceram subsídios para a indicação de princípios pedagógicos, a serem observados no contexto do ensino do design no Amazonas.

Artigo:

This paper presents part of the results of research conducted under the PhD. Program in Design at PUC-Rio., and aimed to propose recommendations for design education in the Amazonas from the concept of cultural identity. Using a qualitative approach, through literature and the focus group technique, this communication presents the concepts about cultural identity presented by teachers in Design, read on a critical perspective stemming from the idea of social emancipation. The data provided subsidies for the indication of pedagogical principles to be observed in the context of design education in the Amazonas.

Palavras-chave: Ensino do Design, cultura, identidade cultural, Amazonas, Grupo Focal, Design education, culture, cultural identity, Amazonas, Focus Group,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-01198

Referências bibliográficas
  • [1] BARBOUR, R. Grupos Focais. Porto Alegre: Artmed, 2009.
  • [2] BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi/Zigmunt Bauman. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.
  • [3] BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi/Zigmunt Bauman. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.
  • [4] BELL, D. Las-Contradicciones Culturales Del Capitalismo. México, D.F. Editorial Patria S.A, 1989.
  • [5] BENJAMIN, W. A tarefa do tradutor. (Die Aufgabe des Übersetzers, Gesammelte Schriften, IV.1, p. 9 -21). (Trad. Maria Filomena Molder.) Texto digitalizado, 13 p. Consulta jan./2011. Disponíuvel em http://www.c-e-m.org/wp-content/uploads/a- tarefa-do-tradutor.pdf. Acesso em 21.01.2013.
  • [6] BHABHA. H. K. O local da cultura. Belo Horizonte. Editora da UFMG, 1998.
  • [7] BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto – Portugal. Porto Editora, 1994.
  • [8] FAORO, R. A questão nacional: a modernização. Estud. av., São Paulo, v. 6, n. 14, Apr. 1992. Disponível em Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttextAndamp;pid=S0103- 40141992000100002Andamp;lng=enAndamp;nrm=isoAndgt;. Accesso em 31 julho de 2010.
  • [9] FAORO, R. Existe um pensamento político brasileiro? São Paulo: Ática, 1994.
  • [10] FERN, E. F. Advanced focus group research. Sage Publications. California, USA, 2001.
  • [11] FLICK, U. Introdução à coleção pesquisa qualitativa In BARBOUR, Rosaline. Grupo Focais. Porto Alegre: Artmed, 2009a.
  • [12] GATTI, B. A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro Editora, 2005.
  • [13] GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.
  • [14] HALL, S. A identidade cultural na pós modernidade. 11ª Ed. Rio de Janeiro: DPAndamp;A, 2006.
  • [15] HOBSBAWN, E.; RANGER, Terence. (org). A invenção das tradições. (6ª ed.) São Paulo: Paz e Terra, 2008.
  • [16] LE GOFF, J. História e Memória. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2003.
  • [17] MORAES, D. de. Análise do design brasileiro: entre mimese e mestiçagem. São Paulo: Edgard Blucher, 2006.
  • [18] MORAES, D. de. Limites do design. São Paulo: Studio Nobel, 1999.
  • [19] MORAES, D. de. Manifesto da razão local: a multiculturalidade como cenário para o design. In LAGES, V. (et. all.). Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção competitiva. Rio de Janeiro: Relume Dumará/Brasilia, DF: SEBRAE-NA, 2004.
  • [20] ONO, M. M. Design e cultura: sintonia essencial. Curitiba: Edição da Autora, 2006.
  • [21] QUEIROZ. K. G. Design Amazônico: Desafios de sustentabilidade, cultura material e expressão cultural In TAndamp;C Amazônia. Ano III, No 7, Julho de 2005. Disponível em https://portal.fucapi.br/tec/imagens/revistas/049_054_design_amazonicol_SEG.pdf.
  • [22] Acesso em 12.06.2009.
  • [23] QUEIROZ. K. G.; NIÑO, C. G. R. Design, política e trabalho na diáspora Amazônica: do imaginário regional exotizado ao consumo do imaginário refletido. In Anais do 7º
  • [24] Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design - PAndamp;D Design - Associação de Ensino e Pesquisa de Nível Superior em Design no Brasil; Curitiba; Paraná, 2006a.
  • [25] QUEIROZ. K. G.; SILVA FREITAS, M. C. da. “Ethos” e “Pathos”: A questão da cultura matarial dos povos amazônicos na composição do Design Amazônico. In Anais do 7º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design - PAndamp;D Design - Associação de Ensino e Pesquisa de Nível Superior em Design no Brasil; Curitiba; Paraná, 2006b.
  • [26] RIBEIRO, F. N. da F. Internet e imagem; representações de jovens universitários. Rio de Janeiro, 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
  • [27] SANTOS, B. de S. Renovar a teoria critica e reinventar a emancipação social; tradução Mouzar Benedito. SãoPaulo: Boitempo, 2007.
  • [28] SANTOS, B. de S. Renovar la teoría crítica y reinventar la emancipación social: encuentros en Buenos Aires. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales- CLACSO, 2006a.
  • [29] SANTOS, B. de S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência, (2ª ed.). Porto. Afrontamento, 2002.
  • [30] SANTOS, B. de S. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2008.
  • [31] SANTOS, B. de S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2006.
  • [32] SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. (4a. ed.). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006
  • [33] SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. (17. ed.) Rio de Janeiro: Record, 2008
  • [34] SANTOS, M. Espaço e sociedade: Ensaios. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1982.
  • [35] SILVERMANN, D. Interpretação de dados qualitativos, métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Porto Alegre: Artmed, 2009.
  • [36] VILLAS-BOAS. A Identidade e Cultura. Rio de Janeiro: 2AB, 2002a.
  • [37] VILLAS-BOAS. A Identidade nacional é invenção. In_Estudos em Design - Anais do 4º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design - PAndamp;D Design - Associação de Ensino e Pesquisa de Nível Superior em Design no Brasil; Novo Hamburgo, RS, 2000b.
  • [38] VILLAS-BOAS. A Por que a identidade nacional voltou a ser uma questão importante. In Estudos em Design - Anais do 4º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design - PAndamp;D Design - Associação de Ensino e Pesquisa de Nível Superior em Design no Brasil; Novo Hamburgo, RS, 2000a.
Como citar:

Oliveira, Alexandre Santos de; Couto, Rita Maria de Souza; "O ENSINO DO DESIGN NO AMAZONAS: DISCURSOS SOBRE IDENTIDADE CULTURAL", p. 1643-1653 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-01198

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações