Artigo - Open Access.

Idioma principal

O Brasil e sua música: sobre o dionisíaco no pensamento de José Miguel Wisnik

Ferraz, Ivan de Bruyn;

Artigo:

A literatura, o futebol e a música popular constituem as preocupações básicas da produção intelectual do músico, ensaísta e professor de Literatura Brasileira da USP José Miguel Wisnik. Os assuntos se cruzam, e quase invariavelmente apontam para uma interpretação do Brasil. Em algumas de suas tentativas de se acercar de uma definição do que seja a música popular, notamos, explícita ou implicitamente, algumas formulações que se aproximam do pensamento de Friedrich Nietzsche. São elas que pretendemos aqui analisar. Em especial, interessa-nos identificar em seu pensamento o que parece ser uma “força dionisíaca” por trás da vitalidade demonstrada por certa música popular brasileira (bem como pelo que de melhor se teria produzido no futebol e na literatura nacionais), e que não se reduz a ela, participando também, de certo modo, na própria construção das análises teóricas de Wisnik. Não se trata de aplicar, de maneira anacrônica e artificial, conceitos elaborados na Europa do século XIX ao Brasil atual. Mas sim de, cotejando-os, considerá-los em suas semelhanças e diferenças, na esperança de que, ao final do trajeto percorrido, entre consonâncias e dissonâncias, alguma iluminação se revele frutífera, em especial, no entendimento crítico do que vem a ser, na obra de Wisnik, a música popular e seu envolvimento com a cultura nacional.

Artigo:

Palavras-chave: José Miguel Wisnik, Friedrich Nietzsche, Música popular, Cultura brasileira,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/phipro-sofia-020

Referências bibliográficas
  • [1] BAIA, Silvano Fernandes. A historiografia da música popular no Brasil (1971-1999). 2010. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 201
  • [2] BURNETT, Henry. A recriação do mundo: a dimensão redentora da música na filosofia de Nietzsche. 2004. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade de Campinas, Campinas, 2004.
  • [3] CANDIDO, Antonio. A revolução de 1930 e a cultura. Novos Estudos Cebrap. São Paulo, n. 4, v. 2, p. 27-36, abr. 1984. Disponível em Andlt;http://xa.yimg.com/kq/groups/42232169/1916431463/name/CANDIDO,%20Antonio%20-%20A%20revolucao%20de%2030%20e%20a%20cultura.pdAndgt;. Acesso em 22 abr. 2012.
  • [4] GLEDSON, John. Polcas aos poucos. Novos estudos - CEBRAP, São Paulo , n. 72, Jul., p. 191-197, 2005. Disponível em Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttextAndamp;pid=S0101-33002005000200011Andamp;lng=enAndamp;nrm=isoAndgt;. Acesso em 25 ago. 201
  • [5] MONTEIRO, Pedro Meira. O modernismo entra em campo: o caso Wisnik . Tempo Social, Brasil, v. 22, n. 2, p. 187-216, dez. 2010. ISSN 1809-4554. Disponível em: Andlt;http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12645Andgt;. Acesso em: 29 jul. 2014.
  • [6] NIETZSCHE, Friedrich. O nascimento da tragédia ou helenismo e pessimismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
  • [7] SANTIAGO, Silviano. Democratização no Brasil - 1979-1981. (Cultura versus Arte). In: ANTELO, Raul (Org.). Declínio da arte - ascensão da cultura. Florianópolis: Letras Contemporâneas; Abralic, 1998. p. 11-23. Disponível em http://www.reggen.org.br/midia/documentos/democratizacaonobrasil.pdf. Acesso em 11 ago. 2014.
  • [8] WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra história das músicas. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
  • [9] _____________. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004.
  • [10] _____________. Veneno remédio: o futebol e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
Como citar:

Ferraz, Ivan de Bruyn; "O Brasil e sua música: sobre o dionisíaco no pensamento de José Miguel Wisnik", p. 152-160 . In: Anais da VIII Semana de Orientação Filosófica e Acadêmica [= Blucher Philosophy Proceedings, n.1, v.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2358-6567, DOI 10.5151/phipro-sofia-020

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações