Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

NÃOTECIDO ELETROFIADO COM ATIVIDADE ANTI-HEMORRÁGICA PARA TRATAMENTO DE EPISTAXE

Maestri, G.; Boemo, R. L.; de Souza, A. A. U.; Immich, A. P. S.;

Artigo Completo:

Epistaxe é a perda de sangue pela fossa nasal originada pela ruptura de veias da mucosa do nariz. Dentre os procedimentos utilizados para tratar a epistaxe estão: cauterização, tamponamento com gase e esponjas lubrificadas, aplicação de esteroides nasais (spray), etc. Porém, o simples tamponamento nem sempre é eficaz e a cauterização pode ser prejudicada pela dificuldade de encontrar o ponto de origem do sangramento durante a epistaxe, além de causar grande desconforto ao paciente. Dessa forma, o objetivo deste estudo é propor uma alternativa rápida para tratar casos de epistaxe, que promova o mínimo de efeito colateral e lesão ao paciente. Assim, para controlar a epistaxe, propõe-se um tampão produzido de um tecido nãotecido eletrofiado de Poli(L-ácido láctico) funcionalizado com um agente anti-hemorrágico (ácido tranexâmico) que deverá ser utilizado para tamponar a fossa nasal durante epistaxe. Para a produção do nãotecido foi utilizada a técnica de eletrofiação,cujos parâmetros como vazão de alimentação do polímero, voltagem aplicada e distância entre agulha e coletor foram otimizados para o polímero estudado.. Os nãotecidos produzidos foram analisados por microscopia eletrônica de varredura e os resultados mostram a uniformidade das fibras produzidas, com baixa porosidade e regularidade de diâmetros. Com este dispositivo, pretende-se facilitar a o tratamento de epistaxe sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/chemeng-cobeqic2015-067-32080-243565

Referências bibliográficas
  • [1] ANIKKO, M.; BERNAL-SPREKELSEN, M.; BONKOWSKY, V.; BRADLEY P.; LURATO S. Otorhinolaryngology, Head and Neck Surgery. Ed. Springer, 738 p, 2010.
  • [2] BALBANI, A. P. S.; FORMIGONI, G. G. S.; BUTUGAN, O. Tratamento da Epistaxe. Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 1999.
  • [3] CLAUDIANO, G. V.; MORAES, M. A.; BEPPU, M. M.; D’ÁVILA, A. Eletrofiação a partir de soluções de fibroína de seda. 12 Congresso Brasileiro de Polímeros, 201
  • [4] COSTA, R. G. F.; OLIVEIRA, J. E.; PAULA, G. F.; PICCIANI, P. H. S.; MEDEIROS, E. S.; RIBEIRO, C.; MATTOSO, L. H. C. Eletrofiação de polímeros em solução. Parte I: Fundamentação teórica. Polímeros, V.22, N. 2, p. 170-177, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2012.
  • [5] FAISTAUER, M.; FAISTAUER, A.; GROSSI, R. S.; ROITHMANN, R. Desfecho clínico de pacientes tratados por epistaxe com tamponamento nasal após a alta hospitalar. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. V. 75, n. 6, São Paulo, 2009.
  • [6] GUERRINI, L. M.; BRANCIFORTI, M. C.; BRETAS, E. S.; OLIVEIRA, M. P. Eletrofiação do Poli(álcool vinílico) via solução aquosa. Polímeros: Ciência e Tecnologia, vol. 16, n.4, p. 286-293, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 200
  • [7] INHOATO, L. A. Influência de parâmetros experimentais na síntese de poli (L-ácido lático). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2013.
  • [8] LASPRILLA, A. J. R. Síntese do Poli-Ácido Láctico a partir do ácido láctico para aplicação biomédica. Unicamp, Campinas, SP, 2011.
  • [9] MEIRELLES, R. C.; SÁ, L. C. B.; ALMEIDA, G. Abordagem atual das hemorragias nasais. Vol. 11, N. 3, Otorrinolaringologia geriátrica, 2012.
  • [10] VITAL, B. R.; MACIEL, A. S.; LUCIA, R. M. D. Qualidade de juntas coladas com lâminas de madeira oriundas de três regiões do tronco de Eucalyptus grandis, Eucalyptus saligna e Pinus elliotii. Rev Árvore. Vol. 30, n. 4. Viçosa, 2006.
Como citar:

Maestri, G.; Boemo, R. L.; de Souza, A. A. U.; Immich, A. P. S.; "NÃOTECIDO ELETROFIADO COM ATIVIDADE ANTI-HEMORRÁGICA PARA TRATAMENTO DE EPISTAXE", p. 2451-2456 . In: Anais do XI Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica [=Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n.3]. ISSN Impresso: 2446-8711. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeqic2015-067-32080-243565

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações