Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

MODELAGEM MATEMÁTICA DA SECAGEM DE CASCA DO FRUTO CAMBUCÁ-PRETO (EUGENIA VELUTINA BERG.) UTILIZANDO DIFERENTES SISTEMAS DE SECADOR

SANTOS, JOÃO ANTONIO BELMINO DOS; RESENDE, LAILA G. M.; SANTOS, BIANCA. S. DOS; TRAVÁLIA, BEATRIZ M.; CONSTANT, PATRÍCIA B. L.; PAGANI, ALESSANDRA A. C.;

Artigo Completo:

O cambucá-preto, pertencente à família Myrtaceae, de espécie Eugenia velutina Berg., é um fruto do cambucazeiro, uma árvore pequena que possui fruto baga vermelho-preta, contendo um caroço porcionalmente, grande envolto em polpa avermelhada, ligeiramente ácida, comestível. A desidratação apresenta a vantagem adicional de colocar ao alcance do consumidor uma maior variedade de produtos alimentícios que podem ser disponibilizados fora da safra. O estudo de sistemas de secagem pode ser feito por simulação matemática. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a curva de secagem da casca do fruto cambucá-preto em dois diferentes sistemas de secagem, ajustadas a seis modelos matemáticos. A secagem foi conduzida em estufa de secagem com lâmpada incandescente e secador de bandejas, ambos com temperaturas de aproximadamente 57°C. Para obtenção da curva de secagem, realizaram-se pesagens em um intervalo de tempo de 5 minutos durante o período da primeira hora, intervalo de 10 minutos na segunda hora e intervalo de 20 minutos até atingir peso constante. Foram utilizados os modelos matemáticos de Pabis, Newton, Midili, Page, Logarítmico e Wang e Singh. O modelo matemático de secagem proposto por Midilli e por Wang e Singh foram os que melhores se ajustaram aos dados experimentais obtidos na estufa de secagem com luz. Para a secagem feita em secador de bandeja, os modelos de Page e Midilli foram os que melhor representaram a cinética de secagem.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/ENEMP2015-SE-667

Referências bibliográficas
  • [1] ALVES, A. P. Casca de jabuticaba (Plinia jaboticaba (Vell.) Berg.): processo de secagem e uso como aditivo em iogurte. Dissertação (Mestrado em Agroquímica), Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais, 201
  • [2] BARROS NETO, B.; SCARMINIO, I. S.; BRUNS, R. E. Planejamento e otimização de experimentos. Campinas: Ed. da UNICAMP, 303 p, 1995.
  • [3] BARROSO, G. M.; PERON, M. V. Myrtaceae. IN: LIMA, M. P. M.; GUEDES-BRUNI, R. R. Reserva Ecológica de Macaé de Cima – Nova Friburgo – RJ. Aspectos Florísticos das Espécies Vasculares. Rio de Janeiro: Jardim Botânico, v.1, p. 261-302, 1994.
  • [4] BRUCE, D. M. Exposed-layer barley drying, three models fitted to new data up to 150°C. Journal of Agricultural Engineering Research, v. 32, n. 4, p. 337–347, 1985.
  • [5] COSTA, E. C. Secagem Industrial. Editora Blucher. São Paulo. 2007.
  • [6] FABRIS, L. C.; CESAR, O. Estudos florísticos em uma mata litorânea no sul do Estado do Espírito Santo. Boletim do Museu de Biologia Melo Leitão 5: p. 15-46, 199
  • [7] HENDERSON, S. M.; PABIS, S. Grain drying theory. II: Temperature effects on drying coefficients. Journal of Agricultural Engineering Research, v. 6, n. 3, p. 169–174, 1961.
  • [8] IAL. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. 4ed. São Paulo: IMESP, 1004p, 2004.
  • [9] JÚNIOR, P.C.A.; CORRÊA, P.A. Comparação de modelos matemáticos para descrição da cinética de secagem em camada fina de sementes de feijão. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.3, n.3, p.349-353, 199
  • [10] MAZUTTI, M. A.; ZABOT, G.; BONI, G.; SKOVRONSKI, A.; OLIVEIRA, D.; DI LUCCIO, M.; OLIVEIRA, J. V.; RODRIGUES, M. I.; TREICHEL, H.; MAUGERI, F. Mathematical modeling of thin-layer drying of fermented and non-fermented sugarcane bagasse. Biomass and Bioenergy, v. 34, n. 5, p. 780-786, 20
  • [11] MENEZES-DE-LIMA JR, O.; ROSAS, E. C.; HENRIQUES, M. G. M. O.; BRANQUINHO, L. F.; RAMOS, M. F. S.; SIANI, A. C. Avaliação da atividade anti-inflamatória de óleos essenciais de espécies de Myrtaceae e Compositae. III Jornada Paulista de Plantas Medicinais. CPQBA-UNICAMP, Livro de Resumos, p. 160, 1997.
  • [12] MENEZES, M. L.; STRÖHER, A. P.; PEREIRA, N. C.; BARROS, S. T. D. Análise da cinética e ajustes de modelos matemáticos aos dados de secagem do bagaço maracujá-amarelo. Engevista, v. 15, n. 2, p. 176-186, agosto 2013.
  • [13] MENGES, H. O.; ERTEKIN, C. Mathematical modeling of thin layer drying of golden apples. Journal Food Engineering, v. 77, n. 1, p. 119-125, 2006.
  • [14] MIDILLI, A.; KUCUK, H.; YAPAR, Z. A. New model for single-layer drying. Drying Technology, v. 20, n. 7, p. 1503–1513, 2002.
  • [15] MORI, S. A.; BOOM, B. M.; CARVALINO, A. M.; SANTOS, T. S. Ecological importance of Myrtaceae in an Eastern Brazilian Wet Forest. Biotropica, 15: p. 68-70, 1983.
  • [16] NUNES, J. S.; CASTRO, D. S.; MOREIRA, I. S.; SOUSA, F. C.; SILVA, W. P. Descrição cinética de secagem da polpa de jabuticaba usando modelos empíricos. Revista Verde, v. 9, n. 1, p. 20 -26, jan-mar, 2014.
  • [17] PARK, K.J.; BIN, A.; BROD, F.P.R. Drying of pear ''d’Anjou'' with and without osmotic dehydration. Journal of Food Engineering, v.56, p.97-103, 2002.
  • [18] PIO-CORRÊA, M.; PENNA, L. A. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil e das Exóticas Cultivadas. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, SAI, IBDF: v. 6, 1926-1978.
  • [19] RIBAS, A.I.; CÁNOVAS, G.V.B.; GARZA, S.G.; AÑÓ, V.G. Métodos experimentales en la ingeniería alimentaria. Zaragoza (Espanha): Acribia, 292 p. 2000.
  • [20] SANJINEZ-ARGANDOÑA, E. J.; BRANCO, I. G.; BITTENCOURT, T. U.; MUNHOZ, C; L; Influência da geometria e da temperatura na cinética de secagem de tomate (Lycopersicum esculentum). Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 31, n. 2, p. 308-312, 2011.
  • [21] SANTOS, C. T.; BONOMO, R. F.; CHAVES, M. A.; FONTAN, R. C. I.; BONOMO, P. Cinética e modelagem da secagem de carambola (Averrhoa carambola L.) em secador de bandeja. Acta Scientiarum Technology, Maringá, v. 32, n. 3, p. 309-313, 2010.
  • [22] SIANI, A. C.; BRANQUINHO, L. F. Extração e análise química de óleos essenciais de espécies de Myrtaceae. V Reunião de Iniciação Científica da Fundação Oswaldo Cruz. Anais PIBIC/FIOCRUZ, p. 6, 1997.
  • [23] SOUZA, M. C.; MENEZES DE LIMA JÚNIOR, O.; ROSAS, E. C.; RAMOS, M. F. S.; SIANI, A. C.; HENRIQUES, M. G. M. O. Efeito antiinflamatório de óleos essenciais de Eugenia jambolana Lam. e Psidium widgrenianum Berg. XV Simpósio de Plantas Medicinais do Brasil. Águas de Lindoia-SP, Brasil, 1998.
  • [24] SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2005.
  • [25] TOGRUL, L. T.; PEHLIVAN, D. Mathematical modeling of solar drying of apricots in thin layers. Journal of Food Engineering, v. 55, n. 3, p. 209–16, 2002.
  • [26] WANG, Z.; SUN, J.; LIAO, X.; CHEN, F.; ZHAO, G.; WU, J.; HU, X. Mathematical modeling on hot air drying of thin layer apple pomace. Food Research International, Toronto, v. 40, p. 39-46, 2007.
Como citar:

SANTOS, JOÃO ANTONIO BELMINO DOS; RESENDE, LAILA G. M.; SANTOS, BIANCA. S. DOS; TRAVÁLIA, BEATRIZ M.; CONSTANT, PATRÍCIA B. L.; PAGANI, ALESSANDRA A. C.; "MODELAGEM MATEMÁTICA DA SECAGEM DE CASCA DO FRUTO CAMBUCÁ-PRETO (EUGENIA VELUTINA BERG.) UTILIZANDO DIFERENTES SISTEMAS DE SECADOR", p. 1816-1822 . In: In Anais do XXXVII Congresso Brasileiro de Sistemas Particulados - ENEMP 2015 [=Blucher Engineering Proceedings]. São Paulo: Blucher, 2015. . São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/ENEMP2015-SE-667

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações