Article - Open Access.

Idioma principal

Method of Resolution Participatory and Creative Problem. A different approach to art teaching in the subject of E.V.T.

Martins, José Alberto;

Article:

Os métodos de ensino das disciplinas ligadas às áreas artísticas do ensino básico, em Portugal, têm vindo a evoluir, no sentido de se explorarem novas abordagens neste domínio. A proposta de comunicação que se apresenta enquadra-se na temática: Infância e Educação: Projeto e Projetos. Partimos assim de um contexto real, o 2º Ciclo do ensino básico, no qual se tentam desenvolver Práticas de Excelência de Ensino e Aprendizagem Artística e Tecnológica, numa escola rural do Alto Minho, pertencente ao Distrito de Braga. Este método de ensino tem início no processo de resolução de problemas (MRP), no qual se exploram conteúdos, competências e metas, no âmbito da disciplina de Educação Visual e Tecnológica (EVT). Constata-se, neste contexto, que o MRP não se esgota enquanto método, tornando-se, por um lado, participativo, pois exige que a criança alargue o seu leque de ideias, através da cooperação com os seus pares. E por outro lado, criativo, na medida em que este constructo surge num ambiente controlado (a sala de aula), sem ameaça, no qual a criança tem possibilidade, também, de experimentar um vasto conjunto de situações de aprendizagem. Este projeto de intervenção realça a importância do desenho, da narrativa escrita e esquemas concetuais, elaborados pela criança, enquanto formas plurais de representação e comunicação de uma ideia, juntamente com a própria natureza da expressão plástica.

Article:

Palavras-chave: Participação, Criatividade, Desenho, Resolução de problemas, Projeto,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-aivcipe-40

Referências bibliográficas
  • [1] Alencar, E. S. (2005). A gerência da criatividade. Abrindo as janelas para a criatividade pessoal e nas organizações. S. Paulo: Person Makron Books.
  • [2] Amabile, T. M. (1996). Creativity in context. Colorado: Westview Press.
  • [3] Bahia, S. (2007). Quadros que compõe a criatividade: Uma análise do teste de Torrance. Sobredotação, 7, 161-175.
  • [4] Coquet, E. (2000). A Narrativa gráfica. Uma Estratégia de comunicação de crianças e de adultos. Braga: Bezerra Editora.
  • [5] Damásio, A. (2003). O erro de Descartes. Emoção, Razão e Cérebro Humano. (23ªEd.). Mira-Sintra: Publicações Europa-América.
  • [6] Gil, I. C. (2011). Literacia Visual. Estudos sobre a inquietude das imagens. Lisboa: Edições 70;
  • [7] LeDoux, J. (2001). O Cérebro Emocional. Os mistérios alicerces da vida emocional. Rio de Janeiro: Editora Objetiva.
  • [8] Leontiev, D. A. (2000). Funções da arte e educação estética. In J. P. Fróis. Educação Estética e Artística. Abordagvvens Transdisciplinares, (pp. 127-146). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
  • [9] Martins, J. A. L. G. (2009). Metacognição, Criatividade e Emoção na Educação Visual e Tecnológica: Contributos e orientações para a formação de alunos com sucesso. Tese de Doutoramento. Gualtar:
  • [10] Instituto de Educação da Universidade do Minho. Visualizado no dia 20 de Maio no endereço: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/10671/1/TESE.pdf
  • [11] Martins, J. A. L. G. (2011). Desenvolvendo Competências do Aprender a Aprender na disciplina de Educação Visual e Tecnológica. Atas do 23º Encontro da APECV. Ensino das Artes Visuais. Identidade e Cultura no século XXI, (pp.416-444). APECV.
  • [12] Novak, J. D.; Gowin, D. B.(1984). Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.
  • [13] Pereira, M. (2001). Inteligência e criatividade: Duas trajetórias alternativas para as crianças sobredotadas? Psicologia: Teoria, Investigação e Prática, 1, 171-188;
  • [14] Sternberg, R. J. (2000). Inteligência de Sucesso. Como a inteligência prática e a criativa são determinantes para uma vida de sucesso. Lisboa: Esquilo.
  • [15] Valares, J. A.; M. A. Moreira (2009). A Teoria da Aprendizagem Significativa. Coimbra: Edições Almedina.
  • [16] Vincent, J. D. (2010). Viagem extraordinária ao centro do cérebro. Alfragide: Texto Editores.
  • [17] Young, M. (2007). Para que servem as escolas? Educ. Soc., Campinas, Vol. 28, nº101, 1287-1302.
  • [18] Zimmerman, B. J. (2000). Self-Efficacy: An Essential Motive to Learn. Contemporary Educational Psychology, 25(1), 89-91.
Como citar:

Martins, José Alberto; "Method of Resolution Participatory and Creative Problem. A different approach to art teaching in the subject of E.V.T.", p. 207-210 . In: Barbosa, Helena; Quental, Joana [Eds]. Proceedings of the 2nd International Conference of Art, Illustration and Visual Culture in Infant and Primary Education. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-695X, ISBN: 978-989-98185-0-7
DOI 10.5151/edupro-aivcipe-40

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações