fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

Isotermas de dessorção de resíduos de abacaxi

ALEXANDRE, H. V.; SILVA, F. L. H. da; GOMES, J. P.; SILVA, O. S. da; CARVALHO, J. P.;

Artigo:

Resíduos sólidos de abacaxi (casca e coroa) têm obtido interesse em pesquisa devido ao considerável volume produzido e presença de substâncias com grande variedade de aplicações. A elevada umidade do resíduo, principalmente a casca, torna necessária a sua secagem antes de um possível aproveitamento, no entanto, a qualidade e a vida útil dos pós dependem de seus teores de água e da maneira como esta se encontra ligada ao alimento. O comportamento higroscópico de alimentos em pó pode ser avaliado por meio de suas isotermas de sorção. Objetivou-se com esse trabalho, determinar as isotermas de dessorção de resíduos do abacaxi e ajustar modelos matemáticos aos dados experimentais obtidos pelo método gravimétrico estático e verificar a possibilidade de utilização de um único modelo. O intervalo de teor de umidade estudado variou entre 0,083 e 1,265 g de H2O/g de matéria seca e 0,079 e 1,79 0 H2O/g de matéria seca, para casca e coroa, respectivamente, enquanto a atividade de água variou entre 0,079 e 0,914 para casca e 0,106 e 0,921 para coroa. Aos dados experimentais foi avaliado o ajuste dos modelos de GAB e BET linearizado, por meio do coeficiente de determinação e do desvio médio relativo. Segundo os parâmetros estatísticos de análise, o modelo de GAB foi o que descreveu melhor a higroscopicidade dos resíduos do

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0422-25562-181058

Referências bibliográficas
  • [1] AKANBI, C.T.; ADEYEMI, R.S.; OJO, A. Drying characteristics and sorption isotherm of tomato slices. J. Food Eng., v.73, n.2, p.157–163, 2006.
  • [2] ALEXANDRE, H. V.; FIGUEIRÊDO, R. M. F. DE; QUEIROZ, A. J. DE M. Isotermas de adsorção de umidade da pitanga em pó. Rev. Biol. Ciênc. Ter., v.7, p.11-20, 2007.
  • [3] ASSUNÇÃO, A.B.; PENA, R.S. Comportamento higroscópico do resíduo seco de camarão rosa. Ciênc. Tecnol. Alimen., v.27, n.4, p.786-793, 2007.
  • [4] BRASIL. Instituto Adolfo Lutz. Normas analíticas do instituto Adolfo Lutz – Métodos químicos e físicos para análise de alimentos. 2.ed. São Paulo,v.1, 2005.
  • [5] Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 7BRITO NETO, J. F.; PEREIRA, W. E; SÁ SOBRINHO, R. G.; BARBOSA; J. A.; SANTOS, D. P. Aspectos produtivos da abacaxicultura familiar e comercial no estado da Paraíba. Rev. Caat., v.21, p.43-50, 2008.
  • [6] BRUNAUER, S.; EMMET, T.H.; TELLER, F. Adsorption of gases in multimolecular layers. J. Am. Chem. Soc., v.60, p.309-319, 1938.
  • [7] FURMANIAK, S.; TERZYK, A.P.; GAUDEN, P.A.; RYCHLICKI, G. Applicability of the generalised D’Arcyand Watt model to description of water sorption on pineapple and other food stuffs. J. FoodEng., v.79, n.2, p.718-723, 200
  • [8] HELDMAN, D.R.; HARTEL, R.W. Principles of food processing. New York: Chapman Andamp; Hall, 218p, 2000.
  • [9] IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de dados agregados. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br. Acesso em: 25 jul. 2010.
  • [10] JAY, J. M. Microbiologia de alimentos. 6 ed. - Porto Alegre: Artmed, 2005.
  • [11] LABUZA, T.P.; KAANANE, A.; CHEN, J.Y. Effects of temperature on the moisture sorption isotherms and water activity shift of two dehydrated foods. J. Food Sci., v.50, p.385-389, 1985.
  • [12] MISHRA, V. K.; ORAIKUL, B.; TEMELLI, F. Physical characterization and water sorption of freeze dried dulse Palmaria palmate powder. J. Food Proc. Pres.,Westport, v.20, p.25- 39, 1996.
  • [13] OLIVEIRA, M. M.; CAMPOS, A. R. N.; DANTAS, J. P.; GOMES, J. P.; SILVA, F. L. H. Isotermas de dessorção da casca do maracujá (Passiflora edulis Sims): determinação experimental e avaliação de modelos matemáticos. Ciênc. Rur., v. 36, n. 5, 2006.
  • [14] OLIVEIRA, M.M.; CAMPOS, A.R.N.; SILVA, F.L.H. da.; GOMES, J.P. Isotermas de dessorção da coroa do abacaxi. Tec. Ciênc. Agropec., v.3, p.47-52, 2009.
  • [15] PELIZER, L. H.; PONTIERI, M. H.; MORAES, I. O. Utilização de resíduos agroindustriais em processos biotecnológicos como perspectiva de redução do impacto ambiental. J. Technol. Manag. Innov., v.2, p.118-127, 2007.
  • [16] SOUSA, K. A.; RESENDE, O.; COSTA, L. M. Isotermas de dessorção das sementes de nabo forrageiro obtidas pelos métodos dinâmico e estático. Rev. Bras. Eng. Agr. Amb., v.17, p.216-222, 2013.
  • [17] TELIS, V.R.N.; GABAS, A.L.; MENEGALLI, F.C.; TELIS, R.J. Water sorption thermodynamic properties applied to persimmon skin and pulp. Therm. Acta., v.343, p.49-56, 2000.
  • [18] WAUGHON, T.G.; PENA, R.S. Avaliação higroscópica da fibra residual do abacaxi. Rev. Bras. Tecnol. Agro., v.1, p.83-92, 2007.
Como citar:

ALEXANDRE, H. V.; SILVA, F. L. H. da; GOMES, J. P.; SILVA, O. S. da; CARVALHO, J. P.; "Isotermas de dessorção de resíduos de abacaxi", p. 3472-3479 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0422-25562-181058

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações