Resumo - Open Access.

Idioma principal

Influência da Obesidade Mórbida na Qualidade de Vida dos Indivíduos

Barros, Lívia Moreira; Moreira, Rosa Aparecida Nogueira; Frota, Natasha Marques; Araújo, Thiago Moura de; Caetano, Joselany Áfio;

Resumo:

Introdução: Diante da epidemia mundial da obesidade em todas as faixas etárias, a cirurgia bariátrica surge como um tratamento e uma possibilidade de se obter uma vida mais longa e saudável com mais qualidade, além de proporcionar novas perspectivas de vida para o indivíduo obeso. Após a cirurgia, há a minimização de problemas de ordem psicossocial e física e um aumento da auto-imagem e do bem-estar físico e psicológico que se traduzem na aquisição e participação no convívio social. Objetivo: Avaliar a Qualidade de Vida (QV) dos pacientes com obesidade mórbida do Programa de Obesidade do Estado do Ceará que são candidatos à realização da cirurgia bariátrica. Métodos: Estudo transversal realizado no período de fevereiro a junho de 2012 em um hospital referência em cirurgia bariátrica pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado do Ceará. a amostra foi composta por 64 pacientes que estão na lista de espera para realizar a cirurgia bariátrica. a coleta de dados foi feita com o questionário de Qualidade de Vida de Moorehead-Ardelt II (QoL-II). o QoL-II contém seis domínios que avaliam subjetivamente a QV do paciente: auto-estima; atividade física; relações sociais; satisfação no trabalho; prazer relacionado à sexualidade e comportamento alimentar. Os dados foram tabulados no Excel e exportados para o software estatístico SPSS. Os dados relativos às variáveis sociodemográficas foram tratados a partir das frequências absolutas e relativas. para avaliar a normalidade das médias das pontuações dos domínios do QoL-II entre os pacientes, utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov e Shapiro-Wilk. o nível de significância adotado foi de 5% e o intervalo de confiança de 95%. o projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição (CEP538/2011). Resultados: Observou-se que houve um predomínio do sexo feminino em que a frequência de mulheres foi de 87,5% (56). a média de idade foi de 35,47 ± 9,51 anos e uma variância que abrange de 20 a 57 anos. o Índice de Massa Corporal (IMC) mínimo foi de 36,1 kg/m2 e o máximo de 68,3 kg/m2, sendo a média de 46,4 ± 7,09 kg/m2. a maioria dos indivíduos do período do pré-operatório, 57,8% (37), classificaram sua qualidade de vida como mínima e apenas 10,9% (7) a consideraram como muito boa e 25% (16) como boa (p Andlt; 0,001). a média da pontuação total do questionário de qualidade de vida foi de 0,794 ± 1,13 e os domínios que tiveram a menor média foram: a atividade física (-0,420 ± 0,35), o interesse sexual (0,062 ± 0,37) e o comportamento alimentar (0,144 ± 0,32). Conclusão: Diante dos resultados identificados, podemos observar que a obesidade influencia de modo negativo na qualidade de vida dos indivíduos e os domínios mais afetados estavam relacionados à alimentação, ao sedentarismo e à sexualidade, sendo, atualmente, a cirurgia bariátrica o tratamento que esses pacientes mais buscam para conseguir uma perda de peso eficaz e duradoura com, consequente, melhora na qualidade de vida.

Resumo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/medpro-cihhs-10826

Referências bibliográficas
Como citar:

Barros, Lívia Moreira; Moreira, Rosa Aparecida Nogueira; Frota, Natasha Marques; Araújo, Thiago Moura de; Caetano, Joselany Áfio; "Influência da Obesidade Mórbida na Qualidade de Vida dos Indivíduos", p. 372 . In: Anais do Congresso Internacional de Humanidades & Humanização em Saúde [= Blucher Medical Proceedings, vol.1, num.2]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-cihhs-10826

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações