Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

IMPACTO DO INOVAR-AUTO NAS EMISSÕES VEICULARES

Moraes, Natália G. de; Machado, Bernardo V. Z.;

Artigo Completo:

Políticas de eficiência energética são poderosos instrumentos para a redução da emissão de poluentes. Neste contexto, o Programa Inovar-Auto tem como um de seus pilares o aumento da eficiência energética, através de incentivo tributário. Para se habilitar ao programa, a empresa deve comprometer-se a cumprir a exigência de consumo energético máximo, em MJ/km, calculado em função da massa dos veículos vendidos no Brasil. Desta forma, a meta de eficiência por montadora é diferenciada, pois depende da preferência do consumidor e das características de modelos comercializados. Esse trabalho tem dois objetivos principais: i) mensurar o ganho de eficiência a ser auferido por montadora para que sejam alcançadas as metas do Inovar-Auto, e ii) calcular o impacto desta redução de consumo energético sobre as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE). A metodologia utilizada tem como base o rendimento médio dos veículos vendidos por modelo e por empresa de acordo com o Programa de Etiquetagem Veicular do INMETRO, dados de licenciamentos de veículos da FENABRAVE, e parâmetros de emissão veicular da CETESB. Além dos resultados estatísticos, o trabalho inclui análise de possíveis impactos do Inovar-Auto sobre o perfil de vendas de veículos leves no Brasil e suas repercussões nas emissões de GEE.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/engpro-simea2015-PAP146

Referências bibliográficas
  • [1] Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Balanço Energético Nacional 2014. Disponível em http://www.epe.gov.br. Acesso em: maio de 2015.
  • [2] Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). Anuário da Indústria Automobilística Brasileira 2015. Disponível em http://www.anfavea.com.br. Acesso em: maio de 2015.
  • [3] Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Plano Decenal de Energia 202 Disponível em http://www.epe.gov.br. Acesso em: abril de 2015.
  • [4] LUBETSKY, J. F. History of Fuel Economy. Pew Environment Group. 2011.
  • [5] EPA. EPA and NHTSA Set Standards to Reduce Greenhouse Gases and Improve Fuel Economy for Model Years 2017-2025 Cars and Light Trucks. Environmental Protection Agency. 2012.
  • [6] UNEP. The European Union Automotive Fuel Economy Policy. United Nations Environment Programme. [S.l.]. 2013. Disponível em: http://www.unep.org/transport/gfei/autotool/case_studies/europe/cs_eu_0.asp. Acesso em 21/05/2015.
  • [7] Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO). O Programa Brasileiro de Etiquetagem. Disponível em: http://www2.inmetro.gov.br/pbe/. Acesso em: abril de 2015.
  • [8] Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO). Metodologia para Divulgação de Dados de Consumo Veicular. Disponível em: http://www2.inmetro.gov.br/pbe/. Acesso em: março de 2015.
  • [9] SCHMITT, W. F. Metodologia de Avaliação de Eficiência Energética em Veículos Leves e seus Impactos em Termos de Uso de Combustíveis. UFRJ/COPPE. Rio de Janeiro, p. 197. 2010. Orientadores: Alexandre Salem Szklo e Roberto Schaeffer.
  • [10] Ministério de Minas e Energia (MME). Selo CONPET de Eficiência Veicular. Disponível em: http://www.conpet.gov.br/ Acesso em: março de 2015.
  • [11] Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Plano Brasil Maior – Inovar para Competir. Competir para Crescer. ABDI 2011-2014. Brasília DF/Brasil, 2015.
  • [12] ZURLI, Bernardo. Impacto Energético de Políticas de Eficiência de Eficiência Veicular no Brasil. Rio de Janeiro. COPPE/UFRJ, janeiro de 2014.
  • [13] BRASIL. Decreto nº 7.819 de 3 de outubro de 2012. Brasília DF/Brasil, 2012.
  • [14] Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE). Informativo Fenabrave. Resumo Mensal Dezembro de 2013. Disponível em: http://www3.fenabrave.org.br Acesso em: março de 2015.
  • [15] Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (INMETRO). Portaria n.º 377, de 29 de setembro de 2011. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Brasília DF/Brasil, 2011.
  • [16] Ministério do Meio Ambiente (MMA). 1º Inventário Nacional de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores Rodoviários. Ministério do Meio Ambiente. Brasília DF/Brasil, 2011.
  • [17] Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (INMETRO). Tabelas de Consumo/Eficiência Energética 2013. Veículos Automotores Leves. Categoria Todas. Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/tabelas_pbe_veicular.asp Acesso em: abril de 2015.
  • [18] Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Avaliação do Comportamento dos Usuários de Veículos Flex Fuel no Consumo de Combustíveis no Brasil. Brasília/DF, 21 de fevereiro de 2013.
  • [19] Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). Boletim Anual de Preços 2014. Rio de Janeiro. ANP, 2014.
  • [20] Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC). IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories. National Greenhouse Gas Inventories Programme. 2006.
Como citar:

Moraes, Natália G. de; Machado, Bernardo V. Z.; "IMPACTO DO INOVAR-AUTO NAS EMISSÕES VEICULARES", p. 181-198 . In: In Anais do XXIII Simpósio Internacional de Engenharia Automotica - SIMEA 2014 [=Blucher Engineering Proceedings]. São Paulo: Blucher, 2015. . São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-simea2015-PAP146

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações