Abstract - Open Access.

Idioma principal

Identificação de Cepas Termofílicas de Campylobacter Spp. por Provas Fenotípicas Convencionais, Api Campy® e Sistema Rep-Pcr Semi Automatizado

Identificação de Cepas Termofílicas de Campylobacter Spp. por Provas Fenotípicas Convencionais, Api Campy® e Sistema Rep-Pcr Semi Automatizado

Benetti, Thalyta Marina; Abrahão, Wanda Moscalewski; Oliveira, Tereza Cristina Rocha Moreira;

Abstract:

A diferenciação entre as espécies de Campylobacter spp. é necessária para vigilância epidemiológica e na avaliação de risco, porque C. jejuni é a espécie mais associada à campilobacteriose humana. Problemas na identificação das espécies de Campylobacter estão relacionados à incapacidade desse gênero de metabolizar carboidratos, de serem bioquimicamente pouco ativos e da falta de padronização dos testes utilizados nos laboratórios, o que dificulta a comparação de dados. No presente trabalho foram avaliados dois métodos fenotípicos (sistema API Campy® (Biomerieux) e provas fenotípicas convencionais) e um método genotípico (sistema REP-PCR, Diversilab®, Biomerieux) para a identificação de isolados de Campylobacter spp. de amostras clínicas e de alimentos. Um total de 43 isolados de Campylobacter spp., proveniente de carcaças de frango resfriadas e de fezes humanas, foi estudado neste trabalho. Os isolados pertencem a coleção de culturas do Laboratório Central do Estado do Paraná (LACEN-PR). As provas fenotípicas convencionais utilizadas foram catalase, oxidase, hidrólise de hipurato, hidrólise do indoxil acetato, e avaliação da sensibilidade ao ácido nalidíxico e à cefalotina (Oxoid, Inglaterra). A identificação empregando o sistema API Campy® (Biomerieux) e técnica semi-automatizada Diversilab® (Biomerieux) foi realizada de acordo com as instruções do fabricante. A percentagem de concordância entre os três métodos avaliados foi de 83,7% com discrepância na identificação em sete isolados. Neste estudo, apesar de todas as dificuldades já relatadas quando do uso das provas fenotípicas tradicionais, estas mostraram o melhor desempenho dentre as técnicas avaliadas, a maioria dos isolados foi (93,0%) adequadamente identificada (40/43) por esta técnica. Não foi possível a identificação das espécies hipurato negativas, mesmo após a realização do sequenciamento. Os resultados do presente trabalho sugerem que o uso das provas fenotípicas convencionais para a identificação das espécies de Campylobacter termofílicas é adequado para as espécies hipurato positivas.

Abstract:

Palavras-chave: Campylobacter spp., identificação, Diversilab, sistema API CAMPY®, provas fenotípicas,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/foodsci-microal-254

Referências bibliográficas
Como citar:

Benetti, Thalyta Marina; Abrahão, Wanda Moscalewski; Oliveira, Tereza Cristina Rocha Moreira; "Identificação de Cepas Termofílicas de Campylobacter Spp. por Provas Fenotípicas Convencionais, Api Campy® e Sistema Rep-Pcr Semi Automatizado", p. 159-160 . In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene [=Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-254

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações