Artigo - Open Access.

Idioma principal

Gilles Deleuze e o Pensamento Nômade: A Máquina De Guerra Primitiva

Cunha, Carlos Fernando Carrer da;

Artigo:

A filosofia de Gilles Deleuze sempre se realizou em relação estreita com outros domínios do saber e da prática humana, como a literatura, a arte, a ciência, a psicanálise e a política. Nesta breve apresentação, pretendemos discutir alguns aspectos chaves para a compreensão da filosofia deleuziana, para que enfim eles se desdobrem nos temas centrais de nosso projeto de pesquisa, isto é, os pontos de abertura entre a obra do filósofo francês e a etnologia através de uma discussão acerca do conceito de multiplicidade e das funções que ele desempenha junto aos estudos etnológicos contemporâneos. A filosofia de Deleuze (inclusive em seus livros assinados com Félix Guattari) abriga um extenso rol de conceitos – máquina de guerra, nomadismo, devir minoritário, entre outros – que está diretamente associado ao estudo das chamadas “sociedades primitivas”, o que torna necessário, em um primeiro momento, traçar uma forma específica de genealogia dos conceitos deleuzo-guattarianos segundo critérios que contemplem as características particulares do empreendimento etnológico. Como parte complementar prevista no projeto de pesquisa, ilustraremos nossas proposições apresentando breves passagens sobre a história das sociedades quilombolas de maneira a contribuir com a pesquisa etnológica enquanto inserida em um cenário filosófico.

Artigo:

Palavras-chave: Deleuze, etnologia, multiplicidade,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/phipro-sofia-008

Referências bibliográficas
Como citar:

Cunha, Carlos Fernando Carrer da; "Gilles Deleuze e o Pensamento Nômade: A Máquina De Guerra Primitiva", p. 58-65 . In: Anais da VIII Semana de Orientação Filosófica e Acadêmica [= Blucher Philosophy Proceedings, n.1, v.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2358-6567, DOI 10.5151/phipro-sofia-008

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações