Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

FERRAMENTAS, MÉTODOS E PROTOCOLOS DE ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO

ERGONOMICS ANALYZIS TOOLS, METHODS AND PROTOCOLS AT WORK

STRABELI, Giovana I.; STRABELI, Giovana I.; NEVES, Érica P.;

Artigo:

O trabalho, fundamental à vida humana, aliado à evolução da sociedade e à competitividade, resultaram na constante diligência em equalizar ambientes profissionais produtivos e seres humanos em condições de segurança e saúde. Os conceitos ergonômicos objetivam evitar riscos acidentais, operacionais e minimizar a fadiga. Alicerçado nessa demanda, este estudo evidencia as ferramentas, métodos e protocolos de análise ergonômica como a Análise Ergonômica do Trabalho – AET, a Ergonomics Workplace Analysis – EWA – a NIOSH, OWAS e RULA. Somente o conhecimento profundo do tema e a preocupação com a saúde e a segurança do trabalhador proporcionará uma força de trabalho eficiente e evoluída.

Artigo:

The work, essential to human life, combined to the progress of society and the competitiveness resulted in a constant diligence to equalize productive professionals environments and human in health and safety conditions. The ergonomic concepts aim to avoid accidental, operational risks and minimize fatigue. Founded in this demand, this study highlights the tools, methods and protocols ergonomic analysis such as Ergonomic Work Analysis - AET, the Workplace Ergonomics Analysis - EWA - NIOSH, OWAS and RULA. Only the deep knowledge about this subject and the concern for worker health and safety will provide an efficient and evolved workforce.

Palavras-chave: Ferramentas, Análise Ergonômica, Trabalho., Tools, Ergonomic Analysis, Work.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/15ergodesign-54-E092

Referências bibliográficas
  • [1] ABRAHÃO, J. I.; PINHO D. L. M. Teoria e prática ergonômica: seus limites e possibilidades. In: Escola, Saúde e Trabalho: estudos psicológicos. Maria das Graças T. Paz, Alvaro Tamayo (organizadores) Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.
  • [2] BORMIO, Mariana Falcão. Trabalho de teleatendente: proposta de um protocolo de avaliação ergonômica. Tese (Doutorado em Design) Faculdade de Arquitetura, Artes e comunicação – UNESP- Universidade Estadual Paulista, Bauru, 201
  • [3] BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria n. 214 de 8 de junho de 1978: Normas Regulamentadoras relativas à segurança e medicina do trabalho. NR 17 – Ergonomia. Disponível em: Andlt; http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_ regulamentadoras/nr_17.pdfAndgt; Acesso em: dez/2013
  • [4] CODO, W; GAZZOTTI, A. A. Trabalho e afetividade. In: CODO, W. (Coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 48-59.
  • [5] GÜÉRIN, F. et al. Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher, 2001.
  • [6] IIDA, I. Ergonomia: projeto e produção. 2ª Ed. São Paulo. Edgar Blücher, 2005.
  • [7] KIVI, P.; MATILLA, M. (1991) Analysis and improvement of work postures in the building industry: aplication on the the computerised OWAS method. Applied Ergonomics, 22 (1), p. 43 –48.
  • [8] LAVILLE, A. Referências para uma história da ergonomia francófona. In: FALZON, P. (Ed.). Ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher, 2007. p. 21-32.
  • [9] LEPLAT, J.; CUNY, X. Introduction à la psychologie du travail. Paris: PUF, 1977. Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina.
  • [10] LIGEIRO, J. Ferramentas de avaliação ergonômica em atividades multifuncionais: a contribuição da ergonomia para o design de ambientes de trabalho. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós Graduação em Design. Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho. Bauru – SP. 2010
  • [11] MATEUS JUNIOR, J. R. Diretrizes para uso das ferramentas de avaliação de carga física de trabalho em ergonomia: equação niosh e protocolo rula. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. 2009.
  • [12] MENDES, René. Patologia do trabalho. Rio de Janeiro: Atheneu, 2003.
  • [13] MONTMOLLIN, M. Vocabulaire de l’Ergonomie. Tolouse. France: Octarès Editions, 2007.
  • [14] ONUKA, ET AL. Análise ergonômica postural do posto de trabalho do servente na construção civil. In VII Congresso Nacional de Excelência em Gestão. 2011.
  • [15] SANTOS, N.D.; ET AL. Antropotecnologia: A ergonomia dos Sistemas de Produção. Curitiba: Gênesis, 1997.
  • [16] SERRANHEIRA, F.; UVA A. S. LER/DORT: que métodos de avaliação do risco? Artigo In: Revista brasileira. Saúde ocupacional. São Paulo, 35 (122): 314-326, 2010
  • [17] SHIDA, G. J.; BENTO, P. E. G. Métodos e Ferramentas ergonômicas que auxiliam na análise nas situações de trabalho In VIII Congresso Nacional de Excelência em Gestão. 2012
  • [18] SILVEIRA, L. D. B. R; SALUSTIANO, E. D. O. A importância da ergonomia no estudo dos tempos e movimentos. Artigo publicado In PAndamp;D em Engenharia de Produção, v. 10, n. 1, p. 71-80. Itajubá. 2012
  • [19] TOFFLER, Alvin - A Terceira Onda - tradução de: João Távora - 13ª Ed. - Rio de Janeiro: Record, 1980.
  • [20] WATERS, T. R., PUTZ-ANDERSON, V., GARG, A. Applications Manual for the Revised NIOSH Lifting Equation. DHHS (NIOSH) Publication. No. 94-110. 1994.
Como citar:

STRABELI, Giovana I.; STRABELI, Giovana I.; NEVES, Érica P.; "FERRAMENTAS, MÉTODOS E PROTOCOLOS DE ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO", p. 917-929 . In: Anais do 15º Ergodesign & Usihc [=Blucher Design Proceedings, vol. 2, num. 1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/15ergodesign-54-E092

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações