dezembro 2014 vol. 1 num. 5 - II Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar

Resumo - Open Access.

Idioma principal

Fatores De Risco Associados Ao Óbito Em Pacientes Com Cirrose Atendidos Em Ambulatório Terciário.

Comerlato, P.H.; John, J.A.; Mattos, A.A.; Miozzo, S.A.S.; Porto, M.; Silva, R.R.; Contiero, P.;

Resumo:

Doenças hepáticas crônicas exigem longos períodos de acompanhamento ambulatorial. Entretanto, trabalhos que expressem as características destes pacientes são escassos na literatura. O objetivo deste estudo é avaliar os fatores de risco associados ao óbito de pacientes cirróticos acompanhados em ambulatório de hipertensão portal em hospital terciário. Métodos:Realizou-se um estudo de coorte, observacional e retrospectivo em pacientes com diagnóstico de cirrose acompanhados em ambulatório entre março de 2005 a março de 2010, por meio de revisão de prontuários. Foram incluídos todos os pacientes com diagnóstico de cirrose e seguimento mínimo de um ano. Excluíram-se casos de co-infecção com HIV, transplante de órgãos prévio, diagnóstico de carcinoma hepatocelular (CHC) avançado no primeiro atendimento, ausência de registro e perda de seguimento. O projeto foi aprovado pelo CEP institucional. O nível de significância global do estudo foi α=0,05. Para medidas de associação utilizamos a regressão de Cox, expressando a relação entre as variáveis envolvidas pela razão de hazard, com intervalo de confiança 95%. Para fatores independentemente associados ao óbito, utilizamos na regressão de Cox um processo de seleção retrógrada com nível de significância aumentado para α=0,10. Os dados foram analisados com o programa SPSS 18. Resultados:Identifica-se como fatores com significância na análise bivariada, no início do acompanhamento: Child B/C (p Andlt;0,001), MELDAndgt;15 (p Andlt;0,001), bilirrubina total (BT) (p=0,001), INR (p Andlt;0,001), albumina (p Andlt;0,001), sódio (p Andlt;0,001), plaquetas (p=0,019), CHC (p Andlt;0,001), ascite (p Andlt;0,001), peritonite bacteriana espontânea (PBE) (p Andlt;0,001), encefalopatia porto sistêmica (EPS) (p=0,004). Ao final do acompanhamento Child B ou C (p Andlt;0,001), MELDAndgt;15 (p Andlt;0,001), BT (p=0,001), creatinina (p=0,007), INR (p Andlt;0,001), albumina (p Andlt;0,001), sódio (p Andlt;0,001), CHC (p Andlt;0,001), ascite (p Andlt;0,001), PBE (p Andlt;0,001), EPS (p=0,003), hemorragia digestiva alta (p=0,002). Efetuando a análise multivariada identificaram-se os fatores de risco para óbito: etiologia por VHC (p=0,014) albumina (p=0,005) e presença de CHC (p=0,001) no início do acompanhamento Child B/C (p Andlt;0,003), MELDAndgt;15 (p=0,086), creatinina (p=0,037), albumina (p=0,087), sódio (p Andlt;0,001) e presença de CHC (p=0,06) ao final do seguimento. Conclusão:Os fatores de risco que se associaram ao óbito foram etiologia por VHC, hipoalbuminemia, presença de CHC, Child B/C, MELDAndgt;15, creatinina elevada e hiponatremia.

Resumo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/medpro-II-cbmh-016

Referências bibliográficas
Como citar:

Comerlato, P.H.; John, J.A.; Mattos, A.A.; Miozzo, S.A.S.; Porto, M.; Silva, R.R.; Contiero, P.; "Fatores De Risco Associados Ao Óbito Em Pacientes Com Cirrose Atendidos Em Ambulatório Terciário.", p. 24 . In: . São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-II-cbmh-016

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações