Abstract - Open Access.

Idioma principal

Fator Ph e Inibição da Produção de Esporos de Fungos Toxigênicos em Co-Cultivo com Leveduras

Fator Ph e Inibição da Produção de Esporos de Fungos Toxigênicos em Co-Cultivo com Leveduras

Souza, Mariana Lino de; Beti, Maria Luiza Queiroz; Batista, Luís Roberto; Duarte, Whasley Ferreira; Silva, Cristina Ferreira;

Abstract:

Produtos agrícolas, com expressão para a economia brasileira, como frutos, grãos de café, uvas, dentre outros podem ser contaminados por fungos filamentosos produtores de Ocratoxina A (OTA) desde a lavoura até o armazenamento. Essa micotoxina é considerada uma das mais prejudiciais para a saúde humana devido a sua toxicidade. O uso excessivo de fungicidas e os riscos à saúde humana têm levado a pesquisas sobre formas alternativas como o controle biológico. Neste contexto, objetivou-se avaliar o potencial antagônico de 32 cepas de leveduras pertencentes aos gêneros Debaryomyces, Pichia e Saccharomyces, isoladas de frutos do café e do cacau, em co-cultivo com Aspergillus ochraceus e A. carbonarius. As leveduras foram inoculadas (10Andlt;supAndgt;4Andlt;/supAndgt; e 10Andlt;supAndgt;7Andlt;/supAndgt; células/mL) com três isolados de fungos filamentosos, A. carbonarius (isolado 2 e 8CSP3-25), isolados da uva e A. ochraceus SCM 1.9, isolado do café (10Andlt;supAndgt;5Andlt;/supAndgt; esporos/mL). Realizou-se avaliação do pH, dos cultivos nos meios MEA, e nos meios CYA e YES, em 0,98, 0,96 e 0,94 de aAndlt;subAndgt;wAndlt;/subAndgt;, todos foram avaliados após 7 dias de incubação a 28 °C. Essa medição foi realizada colocando uma tira de papel de indicador de pH, da marca FUSION Universal (pH 0-14). Logo em seguida, foi realizada a comparação da coloração obtida com a escala do respectivo papel indicador do pH. Observou-se diferença no crescimento e produção de esporos de Aspergillus carbonarius 2 (10Andlt;supAndgt;5Andlt;/supAndgt; células/mL) co-cultivado comPichia burtoniiUFLA CF605 em pH 2 e em pH 4. Ambos os cultivos foram feitos com os mesmos isolados, no mesmo meio de cultivo, MEA com o pH ajustado para 5,6, porém o isolado de levedura foi cultivado tendo concentração de células de 10Andlt;supAndgt;4Andlt;/supAndgt; células/mL e 10Andlt;supAndgt;7 Andlt;/supAndgt;células/mL. A diferença na concentração de células do antagonista foi suficiente para alterar o pH do meio de cultura e consequentemente interferiu no crescimento e produção de esporos do isolado fúngico. Percebeu-se, portanto, que quandoPichia burtonii UFLA CF605 foi utilizado na concentração de 10Andlt;supAndgt;7Andlt;/supAndgt; células/mL, houve um melhor efeito inibitório sobre o crescimento e a esporulação deste fungo. Concluiu-se que leveduras em co-cultivo com fungos filamentosos são capazes de inibir a produção de esporos,e assim potencialmente diminuir a disseminação destes fungos no processamento de qualquer tipo de produto agrícola e consequentemente a contaminação dos alimentos com micotoxinas, como a Ocratoxina A.

Abstract:

Palavras-chave: Biocontrole, Debaryomyces, Ocratoxina A, Aspergillus, Pichia,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/foodsci-microal-088

Referências bibliográficas
Como citar:

Souza, Mariana Lino de; Beti, Maria Luiza Queiroz; Batista, Luís Roberto; Duarte, Whasley Ferreira; Silva, Cristina Ferreira; "Fator Ph e Inibição da Produção de Esporos de Fungos Toxigênicos em Co-Cultivo com Leveduras", p. 541-542 . In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene [=Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-088

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações