Full Article - Open Access.

Idioma principal

DISTRIBUIÇÃO DE AÇÕES HORIZONTAIS EM EDIFÍCIOS DE ALVENARIA ESTRUTURAL – COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE PAREDES ISOLADAS E DE ASSOCIAÇÃO PLANA DE PAINÉIS

Vieira, W. B.; Alvarenga, R. C. S. S.; Veríssimo, G. S.;

Full Article:

Em edifícios de alvenaria estrutural constituídos de sistemas de contraventamentos simétricos e ações horizontais atuantes na direção da simetria, a distribuição destas ações entre os painéis de contraventamento pode ser realizada utilizando-se diferentes métodos, tais como o Método de Paredes Isoladas e o Método da Associação Plana de Painéis. O Método das Paredes Isoladas considera as paredes trabalhando isoladamente, separadas por aberturas (portas e janelas) e engastadas na base e livres na outra extremidade. Neste caso, considera-se que os deslocamentos horizontais ao nível das lajes em cada pavimento são iguais, pelo fato de existirem lajes de concreto que são consideradas como diafragmas rígidos. No Método da Associação Plana de Painéis, os painéis com abertura serão considerados como pórticos e os painéis sem abertura como paredes, formando no conjunto um pórtico plano. Pode-se considerar simultaneamente metade dos elementos de contraventamento paralelos à direção da ação horizontal, submetidos à metade desta ação, sendo ligados por elementos biarticulados que simulam a existência da laje. Neste trabalho é apresentada uma comparação dos esforços solicitantes devidos às ações horizontais aplicadas em um edifício em alvenaria estrutural, obtidos por meio do Método de Paredes Isoladas e do Método de Associação Plana de Painéis. Para a obtenção das solicitações no Método de Associação Plana de Painéis foi realizada análise elástica linear no software SAP 2000. Os resultados obtidos indicam que o Método da Associação Plana de Painéis simula melhor o comportamento da estrutura por considerar a distribuição de esforços de forma mais realística que o Método das Paredes Isoladas. Além disso, os resultados mostraram que o Método da Associação Plana de Painéis leva a um dimensionamento mais econômico.

Full Article:

Palavras-chave: Alvenaria estrutural, Ações horizontais, Painéis de contraventamento,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/meceng-wccm2012-20183

Referências bibliográficas
  • [1] Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6123: Forças devidas ao vento em edificações. Rio de Janeiro, 1988.
  • [2] Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15961-1: Alvenaria estrutural – Blocos de concreto – Parte 1: Projeto. Rio de Janeiro, 2011.
  • [3] European Committee Standardization. Eurocode 6 - Design of masonry structures. Part 1. London, BSI, 1996
  • [4] Parsekian G. A., Soares M. M., Alvenaria estrutural em blocos cerâmicos: projeto, execução e controle. O Nome da Rosa, São Paulo, 2010.
  • [5] Ramalho M. A., Corrêa M. R. S., Projeto de edifícios de alvenaria estrutural. PINI, São Paulo, 2003.
  • [6] Rodrigues C. H., Jacintho A. E. P. G. A., Carnio, M. A., Pimentel L. L., “Avaliação da estabilidade global do Edifício Norte Sul em Campinas”. Concreto e Construções, n. 62, 76- 85, 2011.
Como citar:

Vieira, W. B.; Alvarenga, R. C. S. S.; Veríssimo, G. S.; "DISTRIBUIÇÃO DE AÇÕES HORIZONTAIS EM EDIFÍCIOS DE ALVENARIA ESTRUTURAL – COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE PAREDES ISOLADAS E DE ASSOCIAÇÃO PLANA DE PAINÉIS", p. 4975-4991 . In: In Proceedings of the 10th World Congress on Computational Mechanics [= Blucher Mechanical Engineering Proceedings, v. 1, n. 1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2358-0828, DOI 10.5151/meceng-wccm2012-20183

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações