Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

DISTÚRBIOS MUSCULOESQUELÉTICOS RELACIONADOS À ATIVIDADE DE MÚSICOS VIOLINISTAS: ESTUDO DE REVISÃO

MUSCULOSKELETAL DISORDERS RELATED TO VIOLINISTS ACTIVITIES: A REVIEW STUDY

CARIZIO, Bethânya Graick; RODRIGUES, Sérgio Tosi; PINHEIRO, Olympio José; PASCOARELLI, Luis Carlos;

Artigo:

No contexto da produção musical, é ascendente a quantidade de instrumentistas que apresentam queixas de dor e distúrbios musculoesqueléticos relacionados à atividade laboral. O estudo sistemático de um instrumento musical é uma tarefa complexa, implicando altos graus de exigências físicas e mentais. O presente estudo objetivou detectar os principais distúrbios musculoesqueléticos presentes em violinistas e investigar os fatores desencadeantes destes males, mediante análise de literatura pesquisada. A análise dos dados obtidos permitiu constatar a elevada frequência de desordens no membro superior esquerdo dos destros, tendo a mão esquerda em torno de duas vezes mais disfunções do que a mão direita.

Artigo:

In the context of music production, it is crescent the amount of instrumentalists presenting complaints of pain and musculoskeletal disorders related to work activity. The systematic study of a musical instrument is a complex task, involving high levels of physical and mental workload. This study aimed to detect the main musculoskeletal disorders present in violinists and investigate the triggering factors of these ilnesses, through a literature review. The data analysis revealed the high frequency of disorders in the left arm of right-handed individuals, withthe left hand having approximately twice the number of dysfunctions of the right hand.

Palavras-chave: Distúrbios musculoesqueléticos. Violinistas. LER/DORT. Síndrome do uso excessivo., musculoskeletal disorders. Violinists. RSI / MSDs. Syndrome of overuse.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/15ergodesign-42-E069

Referências bibliográficas
  • [1] ALVES, C. Padrões físicos inadequados em estudantes de violino na performance musical. 2008. 153 f. Dissertação (Mestrado em Música) - Escola de Música, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008. Disponível em: Andlt;http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/AAGS-7XPM2Z/250408final.pdf?sequence=1Andgt;. Acesso em: 8 ago. 2012.
  • [2] ANDRADE, E. Q.; FONSECA, J. G. M. Artista-atleta: reflexões sobre a utilização do corpo na performance dos instrumentos de cordas. PER MUSI: Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n. 2, p. 118-128, jul./dez. 2000. Disponível em Andlt; http:// www.musica.ufmg.br/permusi/port/numeros/10/num10_cap_05.pdfAndgt;. Acesso em: 9 ago. 201
  • [3] ASSUNÇÃO, A. A. Andamp; ROCHA, L. E., 199 Agora até namorar fica difícil: uma história de lesões por esforços repetitivos. In: Vida, Doença e Trabalho no Brasil (J. T. Buschinelli, L. E. Rocha Andamp; R. M. Rigotto, orgs.), São Paulo: Vozes.
  • [4] CINTRA, S.; BARRENECHEA, L. A lesão por esforço repetitivo no contexto pianístico. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISA EM MÚSICA, , 2004, Goiânia, GO. Anais..., Goiânia, 200 Disponível em: Andlt;http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_nlinksAndamp;ref=000099Andgt; Acesso em : 21 ago. 2012.
  • [5] COSTA, C. Quando tocar dói: análise ergonômica do trabalho de violistas de orquestra. Brasília, 2003. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, 2003. Disponível em Andlt; http://www.ergonomia notrabalho.com.br/analise-ergonomica-orquestra.pdfAndgt;. Acesso em: 7 set. 2012.
  • [6] COSTA, C.P.; ABRAHÃO, J. I. Músico: profissão de risco? In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO, 7.; CONGRESSO BRASILEIRO DE ERGONOMIA, 12., 2002, Recife, PE. Anais... 2002. Disponível em: Andlt;http:// www.scielo.br/scielo. php?pid=S1517-75992009000100003Andgt;. Acesso em: 9 set. 2012
  • [7] DAWSON, W. J. Playing with pain: help for muscular and skeletal problems in the double reed musician. Arts-Medicine Clinics, Illinois: United States Facilities, jan. 1998. Disponível em: Andlt;htto://www.artsmed.org/WilliamDawson-Motions.pdfAndgt;. Acesso em: 17 ago. 2012.
  • [8] FONSECA, J. G. Frequência dos problemas neuromusculares ocupacionais de pianistas e sua relação com a técnica pianística: uma leitura transdisciplinar da medicina do músico. Tese (Doutorado em Medicina) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.
  • [9] FRAGELLI, T. B. O; GUNTHER, I. A. Relação entre dor e antecedentes de adoecimento físico ocupacional: um estudo entre músicos instrumentistas. PER MUSI: Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n.19, p. 18-23, 200 Disponível em: Andlt;http// www.scielo.br/pdf/pm/n19/a03n1pdfAndgt;. Acesso em : 25 set. 2012.
  • [10] JOUBREL, I.; ROBINEAU, S.; PETRILLI, S.; GALLIEN, P. (2001). Annales de Readaptation et Medicine Physique, 44, (2), 72-80.
  • [11] KÖENIG, I. DORT e violino: propostas para um tocar saudável Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Música) - UDESC, Santa Catarina, 2007.Disponível em: Andlt; www.pergamumweb.udesc.br/dados-bu/000000/.../00000605.pdfAndgt; Acesso em: 5 out .2012.
  • [12] MILANESE S., Physiotherapy Services during the Performance of Wagner’s Ring Cycle by the Adelaide Symphony Orchestra: A Model of Early Intervention for Playing-related Musculoskeletal Disorders. Medical Problems of Performing Artists, v.15, n. 3, p.107-110, 2000. Disponível em: Andlt;http://www.mozarteum. org.br/site/index.php?option=com_contentAndamp;view=articleAndamp;id=42:sinfonica-filarmonica-camara-a-natureza-das-orquestrasquestrasAndamp;catid=33:artigosAndamp;Itemid=57Andgt;. Acesso em: 20 set. 20
  • [13] MORAES, G. F. S.; ANTUNES, A. P.. Desordens musculoesqueléticas em violinistas e violistas profissionais: revisão sistemática. Acta Ortopédica Brasileira, São Paulo, v. 20, n. 1, 2012 . Disponível em: Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttextAndamp;pid=S1413-78522012000100009Andamp;lng=enAndamp;nrm=isoAndgt;. Acesso em: 5 out. 2012.
  • [14] MOURA, R. C. R., FONTES, S. V.; FUKUJIMA, M. M. Doenças ocupacionais em músicos: uma abordagem fisioterapêutica. Neurociência. UNIFESP,1998.
  • [15] NORRIS, R. The musicians suvural manual:a guide to preventing and treating injuries in instrumentalists. 3. ed. St Louis, MO: MMB Music, 1997. Disponível em: Andlt;http:// www.med.nyu.edu/Andgt;. Acesso em: 12 ago. 2012.
  • [16] PETRUS; ECHTERNACHT. Dois violinistas e uma orquestra: diversidade operatória e desgaste musculoesquelético. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 29, n. 109, p. 31-36, 2004. Disponível em: Andlt;http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ periodicos/RBSO_109.pdfAndgt;. Acesso em: 21 set. 2012.
  • [17] PETRUS, A. M. F. Produção musical e desgaste musculoesquelético: elementos condicionantes da carga de trabalho dos violinistas de uma orquestra. Belo Horizonte: UFMG, 2005. Disponível em: Andlt;http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-7599201200010000.Andgt;. Acesso em: 12 jul. 2012.
  • [18] SANTOS,C. Razão de chance de ocorrência de dor, variáveis posturais e disfunção em violinistas na cidade de São Paulo. São Paulo, 2012. Dissertção ( Mestrado em Ciências) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, 2012. Disponível emAndlt; www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5163/tde-27072012-081823/Andgt;. Acesso em: 10 ago.2012.
  • [19] STEINMETZ, A.; SEIDEL, W.; NIEMIER, K. Shoulder Pain and Holding Position of the Violin. Medical Problems of Performing Artists, v. 23, n. 2, p. 79-81, 2008. Disponível em: Andlt;http://www.musicahodie.mus.br/11.1/musica_hodie_11_ 1_artigo_10.pdfAndgt;. Acesso em 12 out. 2012.
  • [20] SUBTIL, M. M. L.; BONOMO, L. M. M. Avaliação fisioterapêutica nos músicos de uma orquestra filarmônica. PER MUSI: Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n.25, 2012, p.85-90. Disponível em: Andlt;http://www.musica.ufmg.br/permusi/ port/numeros /25/num25_cap_07.pdfAndgt;. Acesso em: 8 set. 2012.
  • [21] WINSPUR, I.; WYNN PARRY, C. B. The musician’s hand. Journal of Hand Surgery, v. 22B, n. 4, p. 433-440, 1997. Disponível em: Andlt;http://jhs.sagepub.com/ content/22/4/433.refsAndgt;. Acesso em: 14 set. 2012.
  • [22] ZAZA, C.; CHARLES, C.; MUSZYNSKI, A. The meaning of playing-related musculoskeletal disorders to classical musicians. Social Science and Medicine, v. 47, n.12, p. 2013-2023, 1998. Disponível em: Andlt;http://www.uel.br/revistas/uel/index. php/seminabio/article/3627/2931Andgt;. Acesso em: 15 set. 2012.
Como citar:

CARIZIO, Bethânya Graick; RODRIGUES, Sérgio Tosi; PINHEIRO, Olympio José; PASCOARELLI, Luis Carlos; "DISTÚRBIOS MUSCULOESQUELÉTICOS RELACIONADOS À ATIVIDADE DE MÚSICOS VIOLINISTAS: ESTUDO DE REVISÃO", p. 776-786 . In: Anais do 15º Ergodesign & Usihc [=Blucher Design Proceedings, vol. 2, num. 1]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/15ergodesign-42-E069

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações