Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

DETERMINAÇÃO DE UMIDADE, CINZAS E FÓSFORO EM QUATRO VARIEDADES DE FEIJÃO CAUPI

DETERMINAÇÃO DE UMIDADE, CINZAS E FÓSFORO EM QUATRO VARIEDADES DE FEIJÃO CAUPI

OLIVEIRA, Rayane; QUARESMA, Caio; MOURA, Maria de Fátima; CASTRO, Heloisa;

Completo:

Acredita-se que o feijão caupi foi introduzido na América Latina no século XVI, pelos colonizadores espanhóis e portugueses, primeiramente nas colônias espanholas e em seguida no Brasil, provavelmente pelo Estado da Bahia. A partir da Bahia, ele foi levado pelos colonizadores para outras áreas da região Nordeste e para as outras regiões do país. Entre as espécies de leguminosas cultivadas, o feijão caupi é uma das mais adaptadas, versáteis e nutritivas, sendo importante alimento e componente essencial dos sistemas de produção nas regiões secas dos trópicos, que cobrem parte da Ásia, Estados Unidos, Oriente Médio e Américas Central e do Sul. O feijão caupi (Vigna Unguiculata L. Walp) é uma das principais culturas alimentares do nordeste brasileiro, sendo a principal fonte de proteína na dieta, calorias, fibras, minerais e vitaminas para um grande segmento da população mundial. Ao contrário do feijão comum (Phaseolus vulgaris L.) e de outras leguminosas, o feijão caupi adapta-se relativamente bem a uma ampla faixa de clima e de solo variando das areias quartzosas aos solos de textura pesada. Por apresentar elevada capacidade de fixação biológica do nitrogênio atmosférico, adapta-se bem a solos de baixas fertilidades nas mais diversas condições culturais. O feijão caupi tem uma grande importância, tanto como alimento quanto como gerador de emprego e renda. É rico em proteína, minerais e fibras e constitui um componente alimentar básico das populações rurais e urbanas das regiões Norte e Nordeste. Atualmente seu consumo expande-se de forma mais intensa para as regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. O feijão caupi (Vigna Unguiculata L. Walp) é uma das principais culturas alimentares do nordeste brasileiro. O consumo generalizado, com aceitação em todos os níveis sociais, econômicos e regionais é o mais elevado no mundo. No Nordeste, o consumo médio é de 198 kg/ano/habitante. No Rio Grande do Norte, o feijão caupi, feijão vigna ou feijão macassar, como é conhecido, tem grande importância socioeconômica como fonte de nutrientes na alimentação humana, com grande destaque entre os produtos agrícolas. Para melhorar a produtividade e resistência contra pragas, duas cultivares foram desenvolvidas, exclusivamente pela EMPARN (Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte), por melhoramento genético. Diversos estudos de melhoramento genético vêm sendo desenvolvidos, com o objetivo de aumentar o potencial agronômico e os valores nutricionais de variedades de feijões. Com isso, o estudo visa determinar a composição centesimal e o teor de mineral de quatro cultivares de feijão caupi (Vigna unguiculata L. Walp) cultivadas em solo potiguar. As amostras foram fornecidas pela EMPARN, sendo duas melhoradas (Potiguar e Riso do ano) e duas crioulas (Costela de vaca e Canapu). As sementes foram trituradas e transformadas em farinhas e com as amostras foram realizadas as determinações de umidade e cinzas por métodos graviméticos, e o mineral fósforo analisado por UVvis. Os resultados obtidos indicaram que uma porção de 100 g de feijão caupi contribui com cerca de 80% das necessidades diárias segundo o IDR (Ingestão Diária Recomendada), esses resultados serão importantes em futuras pesquisas nutricionais e para construção de uma tabela brasileira de composição química de alimentos.

Completo:

It is believed that the cowpea was introduced in Latin America in the sixteenth century by the Spanish and Portuguese colonists, first in the Spanish colonies and then in Brazil, probably by the State of Bahia. From Bahia, it was taken by the colonizers to other areas of the Northeast and other regions of the country. Among the species of cultivated legumes, the cowpea is one of the tailored, versatile and nutritious, with important food and essential component of production systems in dry regions of the tropics, which cover parts of Asia, United States, Middle East and Americas Central and South America. The cowpea (Vigna unguiculata L. Walp) is one of the major food crops in northeastern Brazil, the main source of protein in the diet, calories, fiber, minerals and vitamins for a large segment of the world population. Unlike the common bean (Phaseolus vulgaris L.) and other legumes, the cowpea adapts relatively well to a wide range of climate and soil ranging from quartz sands to heavy textured soils. By presenting high biological fixation of atmospheric nitrogen capacity, adapts well to low fertility soils of the most diverse cultural conditions. The cowpea is very important both as food and as a generator of employment and income. It is rich in protein, minerals and fiber and constitutes a basic food component of rural and urban populations in the North and Northeast. Currently consumption expands more strongly to the Midwest and Southeast regions of Brazil. The cowpea (Vigna unguiculata L. Walp) is one of the major food crops in northeastern Brazil. The widespread consumption, with acceptance in all social, economic and regional levels is the highest in the world. In the Northeast, the average consumption is 198 kg / year / inhabitant. In Rio Grande do Norte, the cowpea, Vigna beans or cowpea, as it is known, it has great socio-economic importance as a source of nutrients in food, with great emphasis among agricultural products. To improve productivity and resistance to pests, two cultivars were developed exclusively by EMPARN (Agricultural Research Company of Rio Grande do Norte), for breeding. Several breeding studies have been conducted with the aim of increasing the agronomic potential and nutritional value of beans varieties. Thus, the study aims to determine the chemical composition and the mineral content of four cowpea (Vigna unguiculata L. Walp) grown in soil Natal. Samples were provided by EMPARN, two improved (Potiguar and laughter of the year) and two Creole (rib of beef and Canapu). The seeds were crushed and processed into flour and the samples were carried out moisture and ash determinations by gravimetric methods, and analyzed by UVvis mineral phosphorus. The results indicated that a portion of 100 g of cowpea contributes about 80% of the daily requirements according to the RDI (Recommended Daily Intake), these results will be important in future nutrition research and to build a Brazilian table of chemical composition food.

Palavras-chave: composição centesimal, teor de minerais, feijão caupi, Vigna Unguiculata L. Walp.,

Palavras-chave: chemical composition; mineral content; cowpea; Vigna unguiculata L. Walp,

DOI: 10.5151/chenpro-5erq-qan6

Referências bibliográficas
  • [1] ANDRADE, F. N. Avaliação e seleção de linhagens de tegumento e cotilédones verdes para o mercado de feijão-caupi verde. 2010. 110 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2010.
  • [2] BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC n° 269, de 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico sobre a Ingestão Diária Recomendada (IDR) de Proteínas, Vitaminas e Minerais. Brasília: Ministério da Saúde, 2005b.
  • [3] EHLERS, J. D.; HALL, A. E. Cowpea Vigna unguiculata L Walp. Field Crops Research, Amsterdam, v. 53, p. 187-204, 1997.
  • [4] FRANCO, G. Tabela de composição química dos alimentos. 9ª Ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2008
  • [5] FREIRE FILHO, F.R.; LIMA, J.A.A.; RIBEIRO, V.Q. Feijão-caupi: avanços tecnológicos. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2005a. 519p.
  • [6] FREIRE FILHO, F. R.; RIBEIRO, V. Q.; ROCHA, M. M.; DAMASCENO E SILVA, K.J.; NOGUEIRA, M. S. R.; RODRIGUES, E. V. Feijão-caupi no Brasil: produção, melhoramento genético, avanços e desafios. Teresina : Embrapa Meio-Norte, 2011. 84 p.: il. ; 27 cm.
  • [7] FROTA, Karoline de Macêdo Gonçalves; SOARES, Rosana Aparecida Manólio, AREAS, José Alfredo Gomes. Composição química do feijão caupi (Vigna unguiculata L. Walp), cultivar BRS-Milênio. Ciência e Tecnologia de Alimentos. v.28, n.2, 2008.
  • [8] INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz: Métodos Químicos e Físicos para Análise de Alimentos. 4. ed. 1. ed. Digital. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 200 1020p.
  • [9] LIRA, M. A.; CHAGAS, M. C. M.; LIMA, J. M. P.; HOLANDA, J. S. Feijão Macassar: do plantio a colheita. Circuito de tecnologias adaptadas para a agricultura familiar; Natal: EMPARN, v.9, n. 7, 28p, 2010.
  • [10] SALGADO, S. M.; GUERRA, N. B.; ANDRADE, S. A. C.; LIVERA, A. V. S. Caracterização físico-química do grânulo do amido do feijão caupi. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 25, n. 3, p. 525-530, 2005.
Como citar:

OLIVEIRA, Rayane; QUARESMA, Caio; MOURA, Maria de Fátima; CASTRO, Heloisa; "DETERMINAÇÃO DE UMIDADE, CINZAS E FÓSFORO EM QUATRO VARIEDADES DE FEIJÃO CAUPI", p. 376-385 . In: Anais do V Encontro Regional de Química & IV Encontro Nacional de Química [=Blucher Chemistry Proceedings].. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-4043, DOI 10.5151/chenpro-5erq-qan6

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações