fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE MORANGOS CV. AROMAS

CAMPO, C. DE; FLÔRES, S. H.; ANTONIOLLI, L. R.; TELES, C. D.;

Artigo:

O morango possui conservação limitada após a colheita, por possuir elevada atividade de água, sendo suscetível às podridões causadas principalmente por Botrytis cinerea. A desidratação osmótica tem sido sugerida como uma operação unitária importante, em conjunto com secagem convectiva, na transformação de frutos perecíveis em novos produtos com maior vida de prateleira e maior valor agregado. O trabalho teve como objetivo avaliar a influência de três concentrações de solução osmótica (40, 60 e 80 %), bem como a influência do tempo de imersão de morangos cv. Aromas nas respectivas soluções osmóticas por 60, 120 e 180 minutos em banho-maria, com posterior secagem em estufa à vácuo por 24 h a 65°C. O aumento da concentração da solução osmótica proporcionou maior perda de massa, sendo que esta foi maior também para o tempo inicial de imersão em banho-maria de 60 minutos. O tratamento utilizando concentração 80 % de sacarose, no tempo de 60 minutos, proporcionou maior perda de água, e consequentemente, maior perda de massa, sendo, portanto, o tratamento mais favorável para o processo.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0978-21944-170990

Referências bibliográficas
  • [1] ANDRADE, S. A. C; NETO, B.B; NÓBREGA, A.C; AZOUBEL, P.M; GUERRA, N.B. Evaluation of water and sucrose diffusion coefficients during osmotic dehydration of jenipapo (Genipa Americana L.). Journal of Food Engineering, v. 78, n. 2, p. 551-555, 2007.
  • [2] ANTUNES, L. E. C. Amora-preta: nova opção de cultivo no Brasil. Ciência Rural, v. 32, n. 1, p.151-158, 200
  • [3] ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official Methods of Analysis of the Association of Official Analytical Chemists. Arlington: A.O.A.C.,1995.
  • [4] CAMPOS, R.; RODOVALHO, M.A. Coating on ‘Camarosa’ organic strawberries stored at low temperature. Brazilian Journal of Food Technology., v. 12, n. 1, p. 60-67, 2009.
  • [5] CIA, P.; BRON, I.U.; VALENTINI, S. R. T.; PIO, R.; CHAGAS, E. A. Atmosfera modificada e refrigeração para conservação pós-colheita da amora-preta. Biosci. J., Uberlândia, v. 23, n. 3, p. 11-16, 2007.
  • [6] Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 6DEL-VALLE, V.; MUÑOZ, P.H; GUARDA, A.; GALOTTO, M.J.Development of a cactusmucilage edible coating (Opuntia ficus indica) and its application to extend strawberry(Fragaria ananassa) shelf-life. Food Chemistry, v.91, n.4, p. 751-756, 2005.
  • [7] FERNANDES, F.A.N; RODRIGUES, S; GASPARETO, O.C.P; OLIVEIRA, E.L. Optimization of osmotic dehydration of bananas followed by air-drying. Journal of Food Engineering, v. 77, n. 1, p. 188-193, 2006.
  • [8] GONÇALVES, E. D.; MALGARIM, M.B.; TREVISAN, R.; ANTUNES, L.E.C.; CANTILLANO, R.F.F. Conservação Pós-colheita de Amora-preta (Rubus sp). 1º Seminário Brasileiro sobre Pequenas Frutas, Pelotas, p.226-230, 2004.
  • [9] HAFFNER, K.; ROSENFELD, H.J.; SKREDE, G.; WANG, L. Quality of red raspberry Rubus idaeus L. cultivars after storage in controlled and normal atmospheres. Postharvest Biology and Technology, v.24, p.279–289, 2002.
  • [10] HAN, C.; LEDERER, C.; MCDANIEL, M.; ZHAO, Y. Sensory Evaluation of Fresh Strawberries (Fragaria ananassa) Coated with Chitosan-based Edible Coatings. Journal of Food Science. v. 70,n.3, 2005.
  • [11] KHOYI, M.R., HESARI, J. Osmotic dehydration kinetics of apricot using sucrose solution. Journal of Food Engineering, n.30, p.1-6, 2006.
  • [12] KOWALSKA, H., LENART, A. Mass exchange during osmotic pretreatment of vegetables. Journal of Food Engineering, n.49, p.137-140, 2001.
  • [13] MADAIL, J.C. M.; ANTUNES, L.E.; BELARMINO, L.C.; SILVA, B.A.; GARDIN, J. A. Avaliação Econômica dos Sistemas de Produção de Morango: Convencional, Integrado e Orgânico. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 4p. (Comunicado Técnico,181), 2007.
  • [14] MIZKAHI, S., EICHLER, S., Andamp; RAMON, O. Osmotic dehydration phenomena in gel systems. Journal of Food Engineering, v. 49, p. 87–96, 2001.
  • [15] OLIVEIRA ,R.P; NINO, A.F.P; SCIVITTARO,W.B. Mudas certificadas de morangueiro: maior produção e melhor qualidade da fruta. A Lavoura 108: 35-38, 2005.
  • [16] PARK, K. J.; BIN, A.; BROD, F. P. R. Drying of pear d’Anjou with and without osmotic dehydration. Journal of Food Engineering, v. 56, p. 97, 2002 SEBRAE. Disponível em: http://www.cbcde.org.br/pt/noticia/noticia.php. Acesso em: 20/12/2011 TELES, U.M; FERNANDES, F.A.N; RODRIGUES, S; LIMA, A.S; MAIA, G.A; FIGUEIREDO, R.W. Optimization of osmotic dehydration of melons followed by air-drying. International Journal of Food Science and Technology, v. 41, n. 6, p. 674-680, 2006.
  • [17] Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 7TELIS, V. R. N., MURARI, R. C. B. D. L., Andamp; YAMASHITA, F. Diffusion coefficients during osmotic dehydration of tomatoes in ternary solutions. Journal of Food Engineering, v. 61,p. 253–259, 2004.
  • [18] TORREGGIANI, D. Osmotic dehydration in fruit and vegetable processing. Food Research International, v. 26, p.59–68, 1993.
  • [19] VARGAS, M.; ALBORS, A.; CHIRALT, A.; GONZÁLEZ-MARTÍNEZ, C.Quality of coldstored strawberries as affected by chitosan-oliec acid edible coatings. Postharvest Biology and Technology,v.41, p.164-171, 2006.
  • [20] VIBERG, U., FREULER, S., VASSILIS, G., SJÖHOLM. Osmotic Pretreatment of Strawberries and Shrinkage Effects. Journal of Food Engineering, n.35, p.135-145, 1998.
Como citar:

CAMPO, C. DE; FLÔRES, S. H.; ANTONIOLLI, L. R.; TELES, C. D.; "DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE MORANGOS CV. AROMAS", p. 4126-4133 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0978-21944-170990

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações