Artigo - Open Access.

Idioma principal

Da Cristianização dos Reinos Germânicos à União Europeia de Robert Schumann: Um Estudo Sobre as Principais Alemães Durante a História da Filosofia e a Relação Com o Cristianismo – Um Estudo em Gramsci Sobre O “eclesiástico Orgânico”

Barros, André da Silva;

Artigo:

O presente texto é fruto da pesquisa sobre a influência da religião, principalmente do Protestantismo, sobre a formação de um país europeu, unificado recentemente: a Alemanha. Na pesquisa, pode ser visto que a formação da consciência e da fé foi necessária para o desenvolvimento político dos reinos alemães desde Wulfila, o apóstolo dos godos, Clóvis e Carlos Magno, os reis cristãos de origem franca, sendo que Carlos é considerado o primeiro sacro imperador romano da nação alemã, o reino da Prußia, o filósofo e teólogo Lutero e a reforma religiosa, Otto von Bismarck, Hitler até chegar aos nossos dias com Robert Schuman, político e advogado, responsável pela unificação econômica da Europa. Como orientação filosófica, no século XII, data que se costuma introduzir os alemães na Filosofia, com Alberto Magno, indo até hoje com Habermas e Ratzinger, passando pelos escolásticos, protestantes, iluministas, românticos, idealistas, materialistas e filósofos contemporâneos. Estes pensadores discutiram sobre religião e o pensamento deles foi fundamental para a composição do Geist e do nacionalismo alemão. Assim que a idéia desse texto é compreender como a religião teve papel fundamental na formação desses Estados, uma vez que a fé se constitui como elemento importante da formação do indivíduo e da sociedade ao qual ele está inserido.

Artigo:

Palavras-chave: Filosofia alemã, Universidade Protestante, Eclesiástico Orgânico,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/phipro-sofia-004

Referências bibliográficas
  • [1] ABRÃO, Bernadete Siqueira (Org.) História da filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 1999.
  • [2] ARAÚJO, José Carlos Souza (Org.) A universidade iluminista (1798 - 1921): de Kant a Scheler. Brasília, DF: Liber Livro, 2011.
  • [3] BARROS, André da Silva A BÍBLIA COMO LITERATURA AFRICANA: O Discurso Religioso no Olhar da Igualdade Racial. II Congresso Nacional de Africanidades e Brasilidades (CONAB). Vitória, ES: UFES Goiabeiras, 2014a. ISBN: 978-85-99345-22-1.
  • [4] __________. Escola Bíblica Dominical e Escola de Domingo: um estudo em Engels sobre a Educação nos Movimentos Sociais Religiosos. II Congresso Nacional de Movimentos Sociais. Ilhéus, BA: UESC, 2014b.
  • [5] BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Pentecostal. ARC. Rio de Janeiro: CPAD, 199
  • [6] CARCASSE. Os registros dos godos. Revista Pesadelar. Disponível em: http://www.carcasse.com/revista/pesadelar/os_registros_dos_godos/index.php. Acesso em: 10 ago. 2014.
  • [7] CHAUÍ, Marilena de Souza; FEREZ, Olgária Chaim. Nietzsche. Vida e Obra. São Paulo: Nova Cultural, 2005.
  • [8] CHAUÍ, Marilena. Iniciação à filosofia: ensino médio, volume único. São Paulo: Ática, 2010.
  • [9] FORBES. As The 25 Most Powerful Women In The World, 2014. Disponível em: http://www.forbes.com/sites/carolinehoward/2014/05/28/the-worlds-most-powerful-women-2014/ Acesso em: 11 ago. 2014.
  • [10] GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, volume 2. 2ª ed. - Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
  • [11] JAPIASSU, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia. 4 ed. atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed., 2006.
  • [12] JORNAL OFICIAL DA UNIÃO EUROPEIA. C115/55 9.5.2008. Disponível em: http://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=OJ:C:2008:115:FULLAndamp;from=EN. Acesso em: 11 ago. 2014.
  • [13] MAINKA, Peter Johann. A Reforma Protestante e as universidades alemãs – continuidade e mudança da Idade Média aos tempos modernos (por volta de 1350 – 1648). Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe1/anais/127_peter.pdf. Acesso em: 12 ago. 2014.
  • [14] MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. 3ª reimpressão. São Paulo, SP: Martin Claret, 2010.
  • [15] ROBERTS, J. M.. O Livro de Ouro da História do Mundo. 5 ed. tradução de Laura Alves e Aurélio Rebello. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.
  • [16] TÁCITO, Públio Cornelio Germânia (trad. e notas de Sadi Garibaldi). Rio de Janeiro: Editora Livraria Para Todos, 1943.
  • [17] UNIÃO EUROPEIA. Robert Schuman. Disponível em: http://europa.eu/about-eu/eu-history/1945-1959/foundingfathers/schuman/index_pt.htm Acesso em: 12 ago. 2014.
  • [18] WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. ed. revisada. São Paulo, SP: Martin Claret, 2004.
  • [19] YENNE, Bill. 100 homens que mudaram a história do mundo. tradução de Roger Maiole. São Paulo: Ediouro, 2002.
Como citar:

Barros, André da Silva; "Da Cristianização dos Reinos Germânicos à União Europeia de Robert Schumann: Um Estudo Sobre as Principais Alemães Durante a História da Filosofia e a Relação Com o Cristianismo – Um Estudo em Gramsci Sobre O “eclesiástico Orgânico”", p. 24-32 . In: Anais da VIII Semana de Orientação Filosófica e Acadêmica [= Blucher Philosophy Proceedings, n.1, v.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2358-6567, DOI 10.5151/phipro-sofia-004

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações