Artigo - Open Access.

Idioma principal

CONTRIBUIÇÕES DO DESIGN DIGITAL PARA A INCLUSÃO DE DEFICIENTES AUDITIVOS

Engler, Rita de Castro; Mourão, Nadja Maria; Castro, Flavia Neves de Oliveira; Ribeiro, Antonnione Franco Leone;

Artigo:

A partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), o ser humano com deficiências passou a ser considerado integrante da sociedade. O assunto tem sido abordado nos últimos anos, mas ainda não atende de forma adequada esses cidadãos. Foram sancionados decretos e leis que beneficiam as pessoas com deficiência nas áreas de educação, saúde, acessibilidade e outras. Na prática, muitas normas não funcionam, prevalecendo uma grande dificuldade e falta de preparo em todas as áreas, para lidar e incluir a pessoa com deficiência na sociedade. A legislação garante o acesso dos deficientes ao ensino público, porém, as escolas não se encontram preparadas para atender aos anseios e necessidades dos surdos. A pesquisa procura investigar e propor soluções tecnológicas, para suprir as necessidades educacionais dos deficientes auditivos. Quanto à forma de abordagem do problema, define-se como pesquisa qualitativa, sob a ótica do design para inclusão. Como resultado observa-se o gradativo aumento de investimentos no setor de tecnologias inclusivas. São destaques as contribuições do design, que buscam projetar soluções que possam facilitar a inclusão de alunos surdos. Permanece no sistema educacional, a busca pela igualdade de condições de aprendizagem para todos.

Artigo:

After The Universal Declaration of Human Rights (1948), disabled human started to be considered as members of society. Although this issue has been addressed in recent years, it does not yet meet these citizens’ needs. Acts and laws that benefit people with disabilities in the areas of education, health, accessibility and other sanctions have been approved. In practice, many rules do not work properly, and we observe great difficulty and lack of preparation to address and include people with disabilities into society, in all areas. The legislation ensures access of disabled people to public education, but the schools are not prepared to meet the desires and needs of the Deaf. This research seeks to investigate and propose technology solutions to meet the educational needs of the Deaf. Our approach in this research is defined as qualitative research, from the perspective of design for inclusion. As a result we observe the gradual increase of investments in inclusive technology sector. It is highlighted the design contributions that seek solutions which can facilitate the inclusion of Deaf students. The quest for equal learning conditions for all is still an issue in actual educational system.

Palavras-chave: Inclusão, deficientes auditivos, educação, design., Inclusion, Deaf, Education, Design.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-00817

Referências bibliográficas
  • [1] ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Lei Estadual nº 10.379, de 10 de janeiro de 199 Disponível na internet por http em: Andlt;http://crv.educacao.mg.gov.br/SISTEMA_CRV/banco_objetos_crv/%7B90AA857A- F928-4861-A7F3- 44076BD2BB60%7D_LEI%2010379,%20de%2010%20DE%20JANEIRO%20DE%20199pdfAndgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [2] BIELING, Tom; JOOST, Gesche. Design contra a Normalidade. Traduzido do inglês por Paulo Ortega. In: V!RUS, São Carlos, n. 7, Jun. 201 Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.nomads.usp.br/virus/virus07/secs/invited/virus_07_invited_2_pt.pdfAndgt;. Acesso em 20 jan. 2014.
  • [3] BOTELHO, Paula. Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos. 2009. Disponível na internet por http em: Andlt;http://proex.pucminas.br/sociedadeinclusiva/anaispdf/educsurdos.pdfAndgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [4] BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, 24 abr. 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 dez. 2000. Brasília, 22 dez. 2005. Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htmAndgt;. Acesso em 10 abr. 201
  • [5] BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais. Brasília, p. 01, 24 abr. 2002. Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=3D4B0 1273D5015CA7D206E8781EE313F.node2?codteor=715147Andamp;filename=LegislacaoCitada+-PL+6428/2009Andgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [6] BRASIL. Ministério da Justiça, Secretaria dos Direitos Humanos. Declaração de Salamanca e linha de ação. 2 ed. Brasília: CORDE, 1994.
  • [7] BRITO, Lucinda Ferreira. Integração Social Andamp; educação de surdos. Rio de Janeiro: Babel, 1993.
  • [8] CÂMARA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE. Lei Orgânica do Município de Belo Horizonte de nº 6.701/94. Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.cmbh.mg.gov.br/images/stories/secren/LOMBH%20consolidada.pdfAndgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [9] CÂMARA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE. Lei Orgânica do Município de Belo Horizonte de nº 6.590/94. Disponível na internet por http em: Andlt;https://www.google.com.br/search?q=Lei+Municipal+n%C2%BA+6.590%2F94Andamp;oq=Le i+Municipal+n%C2%BA+6.590%2F94Andamp;aqs=chrome..69i57.4624j0j7Andamp;sourceid=chromeAndamp;es_sm=93Andamp;ie=UTF-8Andgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [10] CÂMARA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE. Lei Orgânica do Município de Belo Horizonte de nº 8.122, de 29 de novembro de 2000. Disponível na internet por http em:Andlt;https://www.google.com.br/search?q=Lei+n%C2%BA+8.122%2F00+BELO+hORIZ ONTEAndamp;oq=Lei+n%C2%BA+8.122%2F00+BELO+hORIZONTEAndamp;aqs=chrome..69i57.7320j0j7Andamp;sourceid=chromeAndamp;es_sm=93Andamp;ie=UTF-8Andgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [11] CANÇÃONOVA.COM. Disponível na internet por http em: Andlt;http://blog.cancaonova.com/maosqueevangelizam/tag/utilidade-publica/Andgt;. Acesso em 05 abr. 2014.
  • [12] CORREIA, Secundino; CORREIA, Patrícia; FRASSINETTI, Ese de Paula. Acessibilidade e desenho universal. 20 Disponível na internet por http em: Andlt;http://atividades.imagina.pt/uploads/cnoti/PDF/desenho_universal.pdfAndgt;. Acesso em 19 mar. 2014.
  • [13] DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Fundamentos estéticos da educação. 9. ed. Campinas: Papirus Editora, 2002.
  • [14] FELIPE, Tanya A. Libras em contexto: curso básico: livro do estudante. 8 ed. Rio de Janeiro: WalPrint Gráfica e Editora, 2007.
  • [15] GOLDFELD, Márcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sóciointeracionista. 2º edição. São Paulo: Plexus Editora, 2002.
  • [16] JANNUZZI, Gilberta de Martino. Educação do Deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 1. ed. Campinas: Autores Associados, 2004.
  • [17] JEACONTECE.COM.BR. ONU premia software brasileiro que traduz mundo digital para surdos. Disponível na internet por http em: Andlt;http://jeacontece.com.br/?p=41639Andgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [18] MARTINS, Heloisa Helena. Metodologia Qualitativa de Pesquisa. In: Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.2, maio/ago. 2004. Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.scielo.br/pdf/ep/v30n2/v30n2a07.pdfAndgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [19] MONTEIRO, Myrna Salerno. História dos Movimentos dos Surdos e o reconhecimento da Libras no Brasil. Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2, p.295-305, jun. 2006. ISSN: 1676-2592. Disponível na internet por http em: Andlt;file:///C:/Users/MEGAWARE/Downloads/Educa%C3%A7%C3%A3o_Tem%C3%A1tica_ Digital,_Campinas-7(2)2006- historia_dos_movimentos_dos_surdos_e_o_reconhecimento_da_libras_no_brasil.pdf Andgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [20] PARASURAMAN, A. Marketing Research. Toronto: Addison-Wesley Publishing company, 1986.
  • [21] POKER, Rosimar Bortolini. Troca simbólica e desenvolvimento cognitivo em crianças surdas: uma proposta de intervenção educacional. UNESP, 2001. 363p. Tese (doutorado) – Universidade do Estado de São Paulo, Curso de Pós-Graduação em Filosofia.
  • [22] QUADROS, Ronice Müller de. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos. Brasília: MEC; SEESP, 2004.
  • [23] SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E ESPORTES – SEDESE. Cartilha da inclusão: Direitos da Pessoa com Deficiência. Belo Horizonte, Governo do Estado de Minas Gerais, 2006. Disponível na internet por http em: Andlt;http://www.oabmg.org.br/pdf/Cartilha_Inclusao.pdfAndgt;. Acesso em 10 abr. 2014.
  • [24] THACKARA, John. Plano B: o design e as alternativas viáveis em um mundo complexo. Tradução do original inglês para o português de Cristina Yamagami. São Paulo: Saraiva: Versar, 2008. 341 p. Título original: In the bubble: designing in a complex world.
Como citar:

Engler, Rita de Castro; Mourão, Nadja Maria; Castro, Flavia Neves de Oliveira; Ribeiro, Antonnione Franco Leone; "CONTRIBUIÇÕES DO DESIGN DIGITAL PARA A INCLUSÃO DE DEFICIENTES AUDITIVOS", p. 3554-3563 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-00817

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações