Artigo - Open Access.

Idioma principal

COMO O PROBLEMA DO CONHECIMENTO NO DESIGN SE APRESENTA

Pimentel, B. G. S; Silva, R. P.;

Artigo:

Uma contribuição à investigação na Teoria do Design é realizada neste artigo, a partir da descrição do tipo de conhecimento gerado pela atividade dado sua finalidade, em um aporte da disciplina como um intersticial entre humanidades, ciências exatas, artes, comércio e atividades industriais, bem como na investigação histórica do tema. Portanto, é objectivo expor as características do problema apresentado ao se descrever o design, incluindo o resultado da integração entre as disciplinas teóricas envolvidas em um movimento de superação e expansão. Tais obstáculos são reflexos de uma transcrição ambiental para permitir a transferência de conhecimento, geralmente assumindo os problemas usuais na classificação em ciências tradicionais. Design e transferência de conhecimento são considerados objetos de suma importância na pesquisa em design, uma vez que o entendimento das novas fronteiras desta investigação é verificado constantemente em áreas como marketing e previsão tecnológica. Os dados pesquisados estão seguindo áreas de: fundo histórico, de investigação conceituais, dedicados ao ensino e áreas de pesquisa, sobre os processos psicológicos, relações de trabalho, e da especulação filosófica, não para resolver o problema do sistema conceitual, mas para contribuir na pesquisa.

Artigo:

A contribution towards the investigation on The Design Theory is realized at this article, starting on the knowledge description generated by the activity since its aims, on a approach of the discipline as a interstitial between humanities, exact sciences, arts, commerce, industrial activities, and on the historical investigation on the theme such as well. With this article, it is aim to expose the characteristics of the presented problem when describing the design, including the result of the integration between theoretical disciplines involved in a movement of overcoming and expansion. Such obstacles are reflections of an environmental transcription to allow knowledge transfer, usually assuming the usual problems on classification on traditional sciences. Design and knowledge transfer are considered important objects of research of design, since the understanding of new frontiers of research on knowledge are in continuous development on areas such as marketing and technological prevision. The data surveyed is following fields of: historical background, of conceptual investigation, dedicated to teaching and research areas, on psychological processes, labor relations, and philosophical speculation, not to solve the problem of conceptual system, but to contribute for the research.

Palavras-chave: design, ciência, investigação., design, science, investigation,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-00332

Referências bibliográficas
  • [1] ARCHITECTURAL SERVICES DEPARTMENT. Universal Accessibility – Best Practices and Guidelines. Hong Kong, 2004. Disponível em: Andlt;http://www.archsd.gov.hk/archsd/html/ua/0htmlAndgt; Acesso em Janeiro de 2012. ARDAYFIO, D. D. Principles and Practices of Design Innovation. Technological Forecasting and Social Change. Volume: 64, Issue: 2-3, Publisher: Elsevier Science Inc, Pages: 155-169, 2000.
  • [2] ARNHEIM, R. A dinâmica perceptiva na expressão musical. Intuição e intelecto na arte. Tradução Jefferson Camargo. p. 227-240, São Paulo: Martins Fontes, Segunda edição, 2004.
  • [3] BAYAZIT, N. Investigating design: a review of forty years of design research. Design Issues, Vol. 20 No. 01. Massachussets. The Massassuchets Institute of Techonology Press, p.24, 2004.
  • [4] BONSIEPE, G. Design, cultura e sociedade. Design e pesquisa do design - diferença e afinidade, São Paulo: Blucher, p. 222 a 241, 2011.
  • [5] BUCHANAN, R. Wicked problmes in design thinking. Design Issues, Vol. 8 No. 02. Massachussets. The Massassuchets Institute of Techonology Press, p.5-21, 2010.
  • [6] BÜRDEK, B. E. História, teoria e prática do design de produtos. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 200
  • [7] CALVERA, A. Treinando pesquisadores para o design: algumas considerações e muitas preocupações acadêmicas. Revista Design em Foco. Universidade do Estado da Bahia, janeiro-junho, vol. III, número 001, p. 97-120, 2006.
  • [8] CRILLY, N. The structure of design Revolutions: Kuhnian Paradigm Shifts in Creative Problem Solving. Design Issues, Volume 26, Number 1 Summer, The Massassuchets Institute of Techonology Press, p.54-66, 2010.
  • [9] CROSS, N. From a design science to a design science to a design discipline: understanding designerly ways of knowing and thinking. Design Issues. Volume 17, Issue: 3, Publisher, The Massassuchets Institute of Techonology Press, p. 49-55, 2001. CROSS, N. IN: Décimo Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Creative cognition in design. São Luís: Universidade Federal do Maranhão, 10 a 13 de Outubro de 2012.
  • [10] COYNE, R. Wicked problems revisited. Design Studies. Vol 26 No. 1, Elsevier Science, p.5-17, 2004.
  • [11] DENNIS, R. C. Design para um mundo complexo. São Paulo: Cosac Naify, 2012. DORST, Hans. Cornelius: Describing design – a comparison of paradigms. Thesis TUDelft, 1997.
  • [12] FILHO, E.B.S. IN: IIIrd International Congress on Graphics Engineering for Arts and Technical Drawing/14º Simpósio Nacional de Geometria Descritiva e Desenho Técnico. Desenho, uma análise semiótica. Ouro Preto/MG: Secretaria do Graphica 2000 - Escola de Minas - UFOP, 2000.
  • [13] FRIEDMAN, K. IN: International Conference on Design and Technology Educactional Research 2000 Loughborough University. Creating design knowledge: from research into practice. Leicestershire, United Kingdom, 2000.
  • [14] FORTY, A. Objetos de desejo - design e sociedade desde 1750.Tradução de Pedro Maia Soares. Revisão técnica de Pedro Fiori Arantes. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
  • [15] FRASCATI MANUAL. FRASCATI MANUAL 2002: Proposed Standard Practice for Surveys I and Experimental Development. Paris: Organization for Economic Cooperation and Development (OECD), 2002.
  • [16] HABERMAS, J. O discurso filosófico da modernidade. Tradução de Maria Ana Bernardo et. al. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.
  • [17] HENRIQUES, G.; BUENO, E. Geometrias Complexas e Desenho Paramétrico. Drops, São Paulo, v. 10, n. 30, 08 fev. 2010. Disponível em: Andlt;http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/10.030/2109Andgt; Acesso em: 15 mai. 2013.
  • [18] JANTSCH, E. Towards interdsiciplinarity and transdisciplinarity in education and innovation. Interdisciplinarity: problem of featuring and research in universities. Áustria: Center of Educational Research and Innovation, 1972.
  • [19] KÖCHE, J. C. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, Trigésima primeira edição, 2011.
  • [20] KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Editora Perspectiva S.A. Tradução de: Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira, Quinta edição, 1997.
  • [21] LUPTON, E, PHILLIPS, J. C. Novos fundamentos do design. Tradução: Cristian Borges. São Paulo: Cosac Naify, 2008, 248p.
  • [22] MORIN, E. Ciência com consciência: edição revista e modificada pelo autor. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. Quinta Edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.
  • [23] MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. Porto Alegre: Sulina, Terceira Edição, 2007.
  • [24] MORELLI, N. Social Innovation and New Industrial Contexts: Can Designers" Industrialize" Socially Responsible Solutions?. Design Issues, v. 23, n. 4, 2007. MOZOTA, B. B. Gestão do design: usando o design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Artmed editora/ Bookman editora, 2011.
  • [25] NATIVIDADE, G. Verônica. Fraturas metodológicas nas arquiteturas digitais. Dissertação de Mestrado em Arquitetura. São Paulo: Universidade de São Paulo: 2011. NIEMEIER, L. Design no brasil: origens e instalação. Rio de Janeiro: 2AB Editora, 2007. PEREIRA, L. M. MEDEIROS, M. C. SILVA, J. C. P. da. IN: Nono Congresso Brasileiro e Desenvolvimento em Design. Laboratório Brasileiro de Design – uma revisão de sua importância histórica para o Design brasileiro. Universidade Anhembi Morumbi. São Paulo, 13 a 16 de Outubro de 2010.
  • [26] PIMENTEL, B. G. S. ; SILVA, V. S. B. Moda e mercado depois da Modernidade. In: Sétimo Colóquio Nacional de Moda, 2011, Maringá. En Moda Escola de empreendedores, 2011.
  • [27] PIMENTEL, B. G. S. Interdisciplinaridade teórica sobre Estética Mercadológica e Tendência para 2013. In: II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA: CONSUMO, 2012, São Paulo. SIEP Consumo: Afetividades e Vínculos-Sessão de Comunicação VII. São Paulo: PUC-SP, 2012.
  • [28] PIMENTEL, B. G. S; MOURA, A; OLIVEIRA, E. A. G. A compostagem como objeto de estudo do design: experiências de um cenário no Pará e Pernambuco. In: Décimo Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, São Luis, Maranhão. Anais do X Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design: 10-13 de Outubro de 2012. Organização, Raimundo Lopes Diniz; Denilson Moreira Santos – São Luis: EDUFMA, 2012.
  • [29] PIMENTEL, B. G. S. DEMARCHI, G. S. SILVA, R. P. SILVA, T. L. K. Contexto e tendências para o design da hipermodernidade. In: Colóquio Internacional de Design, 2013, Belo Horizonte. Anais do colóquio Internacional de Design - Edição 2013 Design para os povos, 2013.
  • [30] PIZZOLI, M. F. F. Marcas: sua importância para aempresa e para o consumidor. Administração Mercadológica: Teoria e Pesquisas. Caxias do Sul, Educs, 2004.
  • [31] SARAIVA, K; VEIGA-NETO, A. Modernidade líquida, capitalismo cognitivo e educação contemporânea. Educação Andamp; Realidade, v. 34, nº. 2, mai./ago. 2009, p. 187-201.
  • [32] SEARLE, J. R. Minds, Brains and Science. Massachussets: Harvard University Press, Thirteenth printing, 1983.
  • [33] SIMON, H. A. Sciences of the Artificial-Third Edition. Massachussets: The Massachussets Institute of Technology Press, Third revision, original version, edition 1969, second revision edition 1981, 1996.
  • [34] TONG, C. Toward an engineering science of knowledge-based design. Artificial Intelligence in Engineering, v. 2, n. 3, p. 133-166, 1987.
  • [35] VEIGA, J. E. da. Sustentabilidade: a legitimação de um novo valor. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.
  • [36] WALKER, S. Desmascarando o objeto: reestruturando o design para sustentabilidade. Revista Design em Foco. Universidade do Estado da Bahia, janeiro-junho, vol. II, número 002, 2005.
  • [37] WEIGHTMAN, D. MCDONAGH, D. IN: Proceedings of the 2003 International Conference on Designing Pleasurable Products and Interfaces. People are doing it for themselves. Pittsburgh, PA, USA, June 23-26, 2003.
Como citar:

Pimentel, B. G. S; Silva, R. P.; "COMO O PROBLEMA DO CONHECIMENTO NO DESIGN SE APRESENTA", p. 339-350 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-00332

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações