Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

CINÉTICA DE SECAGEM DE HORTALIÇAS EM ESTUFA DE SECAGEM COM LUZ

SANTOS, JOÃO ANTONIO BELMINO DOS; TRAVÁLIA, BEATRIZ. M.; SANTOS, BIANCA S. DOS; RESENDE, LAILA G. M.; TELES, ALLAN. R. S.; SANTANA, LUCIANA C. L. A.;

Artigo Completo:

A tecnologia de secagem é amplamente utilizada, com a finalidade de aumentar a vida útil dos produtos. A secagem das hortaliças é uma alternativa para redução do desperdício. O objetivo deste trabalho foi avaliar o processo de secagem em uma estufa de secagem com luz de folhas de seis hortaliças: hortelã miúda, coentro, salsa, arruda, tomilho e manjericão. Foram realizadas análises de cor e umidade no tempo inicial da secagem e no tempo final. A secagem foi conduzida em estufa de secagem de lâmpadas a 50°C. Para obtenção da curva de secagem, realizaram-se pesagens em um intervalo de tempo de 10 minutos durante o período da primeira hora e no intervalo de 20 minutos até alcançar umidade final. Foram utilizados os modelos matemáticos de Hederson e Pabis, Modelo de Newton, Modelo de Page, Modelo Logarítmico e Modelo de Wang e Singh. As equações, de Hederson e Pabis; Newton; Page; Logarítmico e Wang e Singh utilizadas para ajustar o comportamento da cinética de secagem das amostras de hortelã miúda, coentro, salsa, arruda, tomilho e manjericão se mostraram eficientes com altos valores de coeficientes de correlação e podem ser utilizadas para descrever o processo de secagem destas hortaliças na condição de secagem utilizada. Nas condições de secagem estudadas, o tomilho apresentou uma melhor resposta no tocante aos parâmetros de cor, visto que não houve diferença significativa (pAndlt;0,05) na amostra in natura e seca.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/ENEMP2015-SE-671

Referências bibliográficas
  • [1] ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos, Resolução – CNNPA n°. 12 – D.O. de 24/07/1978, 1978.
  • [2] BRUCE, D. M. Exposed-layer barley drying, three models fitted to new data up to 150 °C. Journal of Agricultural Engineering Research, v. 32, n. 4, p. 337–347, 1985.
  • [3] CANO-CHAUCA, M.; RAMOS, A. M.; STRINGHETA, P. C.; MARQUES, J. A.; SILVA, P. I. Curvas de secagem e avaliação da atividade de água da banana passa. Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, v.22, n.1, p.121-132, 2004.
  • [4] CRANK, J. The Mathematics of Diffusion. Oxford: Clarendon Press, 1975.
  • [5] HENDERSON, S. M.; PABIS, S. Grain drying theory I. Temperature effect on drying coefficient. Journal of Agriculture Engineering Research, v. 6, n. 3, p. 169-174, 1961.
  • [6] IAL. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. 4ed. São Paulo: IMESP, 2004. 1004p.
  • [7] KARABULUT, I.; HAYALOGLU, A. A.; YILDIRIM, H. Thin-layer drying characteristics of kurut, a Turkish dried dairy by-product. International Journal of Food Science and Technology, v. 42, n. 9, p. 1080-1086, 200
  • [8] LAHSASNI, S.; KOUHILA, M.; MAHROUZ, M.; JAOUHARI, J. T. Drying kinetics of prickly pear fruit (Opuntia ficus indica). Journal of Food Engineering, v. 61, n. 2, p. 173-179, 2004.
  • [9] MAZUTTI, M. A.; ZABOT, G.; BONI, G.; SKOVRONSKI, A.; OLIVEIRA, D.; DI LUCCIO, M.; OLIVEIRA, J. V.; RODRIGUES, M. I.; TREICHEL, H.; MAUGERI, F. Mathematical modeling of thin-layer drying of fermented and non-fermented sugarcane bagasse. Biomass and Bioenergy, v. 34, n. 5, p. 780-786, 2010.
  • [10] MENGES, H. O.; ERTEKIN, C. Mathematical modeling of thin layer drying of golden apples. Journal Food Engineering, v. 77, n. 1, p. 119-125, 2006.
  • [11] SANJINEZ-ARGANDOÑA, E. J.; BRANCO, I. G.; BITTENCOURT, T. U.; MUNHOZ, C; L; Influência da geometria e da temperatura na cinética de secagem de tomate (Lycopersicum esculentum). Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 31, n. 2, p. 308-312, 20
  • [12] SILVA, A.S. ALMEIDA, F.A.C. SILVA, F.L.H. DANTAS, H.J. LIMA, E.E. Desidratação e efeito de pré-tratamentos no extrato seco do pimentão verde. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 10, n. 1, p. 27-34, 2008.
  • [13] TOGRUL, L. T.; PEHLIVAN, D. Mathematical modeling of solar drying of apricots in thin layers. Journal of Food Engineering, v. 55, n. 3, p. 209–16, 2002.
  • [14] VILELA, N. J.; HENZ, G.P. Situação atual da participação das hortaliças no agronegócio brasileiro e perspectivas futuras. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, v.17,p.71-89, jan./abril. 2000.
  • [15] WANG, Z.; SUN, J.; LIAO, X.; CHEN, F.; ZHAO, G.; WU, J.; HU, X. Mathematical modeling on hot air drying of thin layer apple pomace. Food Research International, Toronto, v. 40, p. 39-46, 2007.
Como citar:

SANTOS, JOÃO ANTONIO BELMINO DOS; TRAVÁLIA, BEATRIZ. M.; SANTOS, BIANCA S. DOS; RESENDE, LAILA G. M.; TELES, ALLAN. R. S.; SANTANA, LUCIANA C. L. A.; "CINÉTICA DE SECAGEM DE HORTALIÇAS EM ESTUFA DE SECAGEM COM LUZ", p. 1833-1838 . In: In Anais do XXXVII Congresso Brasileiro de Sistemas Particulados - ENEMP 2015 [=Blucher Engineering Proceedings]. São Paulo: Blucher, 2015. . São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/ENEMP2015-SE-671

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações