Resumo - Open Access.

Idioma principal

Cateteres Periféricos na Pediatria Oncológica: uma Experiência de Humanização.

Jesus, Alexandre de; Santana, Sérgio H. de; Silva, Edinaldo de S.; Correa, Sandra R. D.; Alves, Benaia C.; Moreira, Marcela A. de A.;

Resumo:

Cateteres Periféricos na Pediatria Oncológica: uma experiência de humanização Eixo temático: Cuidado ao Paciente Introdução a pediatria oncológica é um dos ramos da área pediátrica que mais cresce no mundo, embora a doença seja pouco prevalente na infância. a doença, o tratamento, as complicações, bem como todo o suporte envolvido nessa área a tornam uma das mais complexas da medicina. Agregado a isto temos um paciente fragilizado pois será submetido a um grande número de procedimentos e desconfortos relatados em literatura. Segundo alguns estudos os procedimentos de venopunção estão entre os mais desconfortáveis durante este período. Visando melhorar este desconforto a equipe de enfermagem deve buscar formas de atender a demanda de exames e infusões atrelados as venopunções com dispositivos que consigam minimizar as punções tais como os cateteres de longa permanência. Objetivo Temos como objetivo relatar a experiência do Hospital Infantil ‘Anita’ com cateteres de longa permanência tipo PICC (cateteres centrais de inserção periférica) em pacientes onco-pediátricos demonstrando que é possível transformar um dos grandes traumas desse tratamento em algo mais tolerável e com muito menos desconfortos. Método uma pesquisa bibliográfica foi realizada com o intuito de revelar a realidade dos procedimentos de venopunção na pediatria oncológica bem como os possíveis traumas que ele possa causar. a avaliação da satisfação do paciente e ou familiar gravadas por meio de entrevistas foram realizadas no ambulatório e na enfermaria do Hospital referente à visão individual sobre a diminuição do desconforto com o procedimentos de venopunção. Conclusão Após levantamento de dados sobre a satisfação de pacientes e familiares com relação ao uso de cateteres centrais de inserção periférica (PICC´s) concluiu-se que este é um dispositivo eficaz para minimizar o desconforto causado ao paciente oncológico pediátrico.

Resumo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/medpro-cihhs-10632

Referências bibliográficas
Como citar:

Jesus, Alexandre de; Santana, Sérgio H. de; Silva, Edinaldo de S.; Correa, Sandra R. D.; Alves, Benaia C.; Moreira, Marcela A. de A.; "Cateteres Periféricos na Pediatria Oncológica: uma Experiência de Humanização.", p. 254 . In: Anais do Congresso Internacional de Humanidades & Humanização em Saúde [= Blucher Medical Proceedings, vol.1, num.2]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-cihhs-10632

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações