Artigo - Open Access.

Idioma principal

BASES PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIRETRIZES PROJETUAIS PARA O DESIGN DO MOBILIÁRIO URBANO COM APELO EMOCIONAL

Pizzato, Gabriela Zubaran; Guimarães, Lia Buarque de Macedo; Tonetto, Leandro Miletto;

Artigo:

A percepção de emoção de usuários na interação com o mobiliário urbano em espaços públicos destacou, em dois estudos anteriores, agradabilidade e segurança como importantes constructos emocionais. Este artigo apresenta uma revisão de literatura com objetivo de confirmar a relevância desses constructos, como base teórica para o desenvolvimento de diretrizes projetuais para o design e a avaliação do mobiliário urbano de espaços públicos com apelo emocional. Como resultado, é apresentado um quadro que relaciona atributos do produto (mobiliário urbano) e seu contexto de uso (espaço público) aos constructos pesquisados em diferentes áreas do conhecimento: design, ergonomia, psicologia ambiental, sociologia e planejamento urbano.

Artigo:

The users'' perception of emotion in the interaction with street furniture in public areas highlighted in two previous studies pleasantness and safety as important constructs. This article presents a literature review in order to confirm the relevance of these constructs as theoretical basis for the development of project guidelines for the design and assessment of urban furniture in public spaces. The result is a framework that relates product attributes (urban furniture) and its context of use (public space) to constructs studied in different areas: design, ergonomics, environmental psychology, sociology and urban planning.

Palavras-chave: Design Emocional, Agradabilidade, Segurança, Mobiliário urbano, Espaço público., Emotional Design, Pleasantness, Safety, Urban furniture, Public space.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-01046

Referências bibliográficas
  • [1] ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9283: Mobiliário Urbano. Rio de Janeiro, 1986.
  • [2] ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMA TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMA TÉCNICAS. NBR 16071: Playgrounds. Rio de Janeiro, 201
  • [3] BARBOSA, M. B.; ALBUQUERQUE, R. Comunicação, Sinalização e Acessibilidade. In: ORNSTEIN, S.; ALMEIDA, A.; LOPES, M. (Org.). Desenho universal: caminhos da acessibilidade no Brasil. São Paulo: Annablume, 2010.
  • [4] BASSO, L.; VAN DER LINDEN, J. Mobiliário urbano: origem, forma e função. In: 9° CONGRESSO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM DESIGN, 2010, São Paulo, SP. Anais... São Paulo, 2010.
  • [5] BAUMAN, Z. Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.
  • [6] BELLINI, F. Abrigos de ônibus em São Paulo: análise da produção recente. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), Faculdade de Arquitetura, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.
  • [7] BESSA, O. A Agradabilidade do Espaço Urbano Construído da Cidade de Alfenas (MG): uma abordagem ergonômica. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Design), PUC - Rio, 2001.
  • [8] BESSA, O.; SANTOS, E.; ROCHA, E.; MORAES, A. Ergodesign de Mobiliário Urbano a Partir de Critérios da Ergonomia do Ambiente Construído. Revista de Ergodesign e Usabilidade, v.1, n.1, p. 35-67, 2002.
  • [9] BINS ELY, V. H. et al. Acessibilidade e inclusão nos espaços livres públicos. In: ENTAC (Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído), XI, 2006, Florianópolis. Anais... ENTAC 2006. Florianópolis: ANTAC, 2006, p. 2752-2761.
  • [10] BINS ELY, V. H. Avaliação de Fatores Determinantes no Posicionamento de Usuários em Abrigos de Ônibus a Partir do Método da Grade de Atributos. Tese de Doutorado (Doutorado em Engenharia de Produção) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.
  • [11] COLEMAN, A. Returning to our civilized roots. IAPS 10. Booking of Proceedings. Delft: The Netherlands, 1988.
  • [12] CREUS, M. Espacios, Muebles y Elementos Urbanos. In: SERRA, Josep. Elementos urbanos, mobiliário y microarquitectura. Barcelona: Gustavo Gili, p. 6-14, 1996.
  • [13] DAMAZIO, V.; MONT´ALVÃO, C. Prefácio. In: Design e Emoção, D. Norman, Rio de Janeiro: Rocco, 2008.
  • [14] DAZKIR, S.; READ, M. Furniture forms and their influence on our emotional responses toward interior environments. Environment and Behavior, v. 44, n. 5, 2012.
  • [15] DE NISCO, A.; WARNABY, G. Urban design and tenant variety influences on consumers´ emotions and approach behavior. Journal of Business Research, v. 67, 2014.
  • [16] DESPARD, E. Cultivating security: plants in the urban landscape. Space and Culture, v. 15, n. 2, p. 151-163, 2012.
  • [17] DESMET, P. Product Emotion. In: SCHIFFERSTEIN, H.; HEKKERT, P. Product experience. Amsterdam: Elsevier, 2008.
  • [18] DIAS, F. O Medo Social: e os vigilantes da ordem social. Lisboa: Instituto Piaget, 2007. DISCHINGER, M.; JACKSON FILHO, J. Can Tactile Tiles Create Accessible Urban Spaces? Space and Culture, v. 15, n. 3, p. 210–223, 2012.
  • [19] FERNÁNDEZ, D. The design and production of urban furniture. Paisea, v. 15, 2010. FREITAS, R. Mobiliário urbano. In: Mascaro. J. (Org), Infraestrutura da Paisagem. Porto Alegre: MaisQuatro, 2008.
  • [20] GOMES FILHO, J. Ergonomia do objeto. São Paulo: Escrituras, 2003.
  • [21] GRANDJEAN, E. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. Porto Alegre: Bookman, 1998.
  • [22] HALL, E. The Hidden Dimension. New York: Doubleday Andamp; Co, 1996.
  • [23] HOUAISS, A. Dicionário de sinônimos e antônimos. São Paulo: Publifolha, 2008. IIDA, I. Ergonomia: projeto e produção. São Paulo: Edgard Blücher, 2005.
  • [24] IIDA, I. Contribuições Ergonômicas ao Design. In: 6º Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces Humano-tecnologia: produtos, informação, ambiente construído e transporte. 2006.
  • [25] JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2011.
  • [26] JOHN, N. Avaliação estética do mobiliário urbano e do uso de abrigos de ônibus por cadeirantes. Dissertação (Mestrado em Planejamento urbano e regional), Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.
  • [27] JOHN, N.; REIS, A. T. Percepção, estética e uso do mobiliário urbano. Gestão Andamp; Tecnologia, v.5, p. 180-206, 2010.
  • [28] JORDAN, P. Human factors for pleasure in product use. Applied Ergonomics, v. 29, n. 1, p. 25-33, 1998.
  • [29] JORDAN, P. Designing pleasurable Products: an introduction to the new human factors. London: Taylor and Francis, 2000.
  • [30] KALID, H.; HELANDER, M. Customer Emotional Needs in Product Design. Concurrent Engineering: Research and Applications, v. 14, n. 3, 2006.
  • [31] KALID, H. et al. Citarasa system for elicitation and analysis of affective needs. In: The Proceedings of the International Ergonomics Association 17th triennial congress, IEA 2009, 9-14 August 2009, Beijing (CD-ROM).
  • [32] KINDLEIN, W.; HEILMANN, C.; AQUINO, E. Mobiliário Urbano: corrosão x design. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM DESIGN, n. 4, 2000, Novo Hamburgo. Anais... Novo Hamburgo: FEEVALE, 2000.
  • [33] KÜLLER, R. Architecture and emotions. In: MIKELLIDES, B. Architecture for People. New York, NY: Holt, Rinehart Andamp; Winston, p. 87-100, 1980.
  • [34] LINHARES, E.; ANJOS, F. Arquitetura e ergonomia na produção de mobiliário urbano.
  • [35] ENGEVISTA, v. 2, n. 4, 1999.
  • [36] LÖBACH, B. Design industrial: Bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.
  • [37] LOUKAITOU-SIDERIS, A. Is it safe to walk here? In: TRANSPORTATION RESEARCH BOARD CONFERENCE, 2005, WASHINGTON, D.C. Proceedings….Washington, D.C: 2005. p. 102-112.
  • [38] LYNCH, K. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 2006. MASCARÓ, J. Infraestrutura da paisagem. Porto Alegre: Masquatro, 2008.
  • [39] MARCUS, C.; FRANCIS, C. People places: design guidelines for urban open spaces. New York: Van Nostrand Reinhold, 1990.
  • [40] MASLOW, A. Motivation and Personality. New York: Haper Andamp; Row Publishers, 1970. MINGUET, J. Arquitetura da Paisagem: mobiliário urbano. Barcelona: Monsa, 2007. MONTENEGRO, G. A produção do mobiliário urbano em espaços públicos: o desenho do mobiliário urbano nos projetos de reordenamento das orlas do RN. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.
  • [41] MONT’ALVÃO, C.; DAMAZIO, V. Design, Ergonomia e Emoção. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008.
  • [42] MOURTHÉ, Cláudia. Mobiliário Urbano. Rio de Janeiro: 2AB, 1998.
  • [43] MORRIS, R. Fundamentos de Design de Produto. Porto Alegre: Bookman, 2010. NASAR, J. Environmental aesthetics: theory, research and applications. New York: Cambridge University Press, 1998.
  • [44] NASAR, J. The evaluative image of place. In: Walsh, B; CRAIK, K; PRICE, R. Personenvironment psychology: New directions and perspectives (pp. 117-168). Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 1990.
  • [45] NEJAD, M. Curvilinearity in architecture: emotional effect of curvilinear forms in interior design. Tese de Doutorado (Texas AAndamp;M University). Texas: AAndamp;M University. Disponível em http : / /hdl .handle .net /1969 .1 /5750. Acesso em: 04 dez. 2007.
  • [46] NASAR, J. Urban Design Aesthetics the evaluative qualities of building exteriors. Environment and Behavior, v.26, 1994.
  • [47] NEWMAN, O. Factors influencing crime and instability in federally assisted housing developments. IAPS 10, 1988.
  • [48] NORMAN, D. O design do dia a dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2007. NORMAN, D. Design Emocional. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.
  • [49] PAPANEK, V. The green imperative: Natural design for the real world. New York, NY: Thames and Hudson, 1995.
  • [50] PARK, S. H. et al. Design elements to improve pleasantness, vitality, safety, and complexity of the pedestrian environment: evidence from a Korean neighborhood walking case study. International Journal of Urban Sciences, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/12265934.2013.776283
  • [51] PEARSON, D. New organic architecture: The breaking wave. Berkeley: University of California, 2001.
  • [52] PIZZATO, G. Z.; GUIMARÃES, L. B. M. Design and emotion into collective public use products? In: Proceedings of 9th Design and Emotion conference, 2014 (artigo aprovado a ser publicado).
  • [53] ______. G. Z. Design e Emoção na utilização do mobiliário urbano em espaços públicos. Tese de Doutorado (Doutorado em Engenharia de Produção) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.
  • [54] ______. G. Z.; GUIMARÃES, L. B. M.; DAMO, A. The perception of fear when using urban furniture. Work, v.41, p. 266-271, 2012.
  • [55] SERRA, J. Elementos urbanos, mobiliário y microarquitectura. Barcelona: Gustavo Gili, 1996.
  • [56] SHEN, H.; WYER, R. The impact of negative affect on responses to affect-regulatory experiences. Journal of Consumer Psychology, v. 18, p. 39-48, 2008.
  • [57] SPINELLI, L. Pichação e comunicação: um código sem regra. Disponível em: http://www.logos.uerj.br/PDFS/26/08lucianospen.pdf. Acesso em: out. 2012.
  • [58] REIS, A.; LAY, M. C. Avaliação da qualidade de projetos – uma abordagem percebida e cognitiva. Ambiente Construído, v. 6, n. 3, 2006.
  • [59] RUSSEL, J. Affective Appraisals of environments. In: NASAR, J. (Org). Environmental Aesthetics: theory, research, and applications. New York: Cambridge University Press, 1992.
  • [60] ______. J.; SNODGRASS, J. Emotion and the environment. Handbook of environmental psychology, v. 1, p. 245-280, 1987.
  • [61] ______. J.A.; MEHRABIAN, A. Evidence for a three-factor theory of emotions. Jornal of Research in Personality, v. 11, p. 273-294, 1977.
  • [62] SALÍNGAROS, N. Urban space and its information field. Journal of Urban Design, v. 4, n. 1, p. 29-49, 1999.
  • [63] SOUZA, C. F. O espaço e a sensibilidade dos cidadãos. ARQTEXTO, v. 3, p.72-83, 2003. STAMPS, A. A psychology and the aesthetics of the built environment. USA: Kluwer Academic Publishers, 2000.
  • [64] SWART, T. et al. Outdoor Seating Design to Facilitate Social Interaction Among Older Adults. Ergonomics in Design: The Quarterly of Human Factors Applications, v. 17, n. 4, p. 4-27, 2009.
  • [65] TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo; Rio de Janeiro: Difel, 1980.
  • [66] VAN DER LINDEN, J. Ergonomia e Design: prazer, conforto e risco no uso de produtos. Porto Alegre: UniRitter, 2007.
  • [67] VETTORETTI, A. Bancos para ler e conversar: parâmetros de projeto para sistema de design generativo. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Design) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, 2010.
  • [68] WHITE, W. The social life of small urban spaces. Washington: The conservation Foundation, 1980.
  • [69] YOON, J. et al. Design for Interest: Exploratory Study on a Distinct Positive Emotion in Human-Product Interaction. International Journal of Design, v. 6, n.2, 2011.
Como citar:

Pizzato, Gabriela Zubaran; Guimarães, Lia Buarque de Macedo; Tonetto, Leandro Miletto; "BASES PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIRETRIZES PROJETUAIS PARA O DESIGN DO MOBILIÁRIO URBANO COM APELO EMOCIONAL", p. 3355-3365 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-01046

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações