Abstract - Open Access.

Idioma principal

Avaliação Microbiológica de Gelatina Extraída de Pele de Tilápia do Nilo (Oreochromis Niloticus)

Avaliação Microbiológica de Gelatina Extraída de Pele de Tilápia do Nilo (Oreochromis Niloticus)

Maia, Monique de Oliveira; Sá, Daniele Maria Alves Teixeira; Damaceno, Marlene Nunes; Silva, Monique Ellen Torres da; Santos, Anakláudia Sombra; Bandeira, Gilnara Lima; Maia, Mônica de Oliveira; Farias, Virna Luiza de; Braga, Renata Chastinet; Castro, Herculana Carvalho;

Abstract:

É cada vez mais frequente na sociedade atual a atenção aos conceitos de sustentabilidade e gestão ambiental, além do alerta às indústrias de diversos ramos em relação ao controle e gerenciamento de resíduos. A indústria pesqueira no Nordeste brasileiro, por exemplo, possui uma grande geração de resíduos, caracterizada principalmente por partes não aproveitáveis do pescado (peles, ossos, cabeças, vísceras). Pesquisadores têm concentrado seus estudos na obtenção de gelatina a partir da pele de animais aquáticos. Além de minimizar a geração de resíduos essa alternativa é vantajosa para povos que não apreciam ou possuem restrições a produtos de mamíferos. Com isto, o presente estudo objetivou analisar gelatina extraída de pele de Tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) através de avaliação microbiológica. A gelatina foi extraída com pré tratamento alcalino utilizando Hidróxido de Sódio 0,3% seguido de tratamento Ácido Sulfúrico 0,3% e Ácido cítrico 0,7%. Com posterior extração em banho maria a 50°C por uma hora. Após a obtenção do gel as amostras foram levadas à geladeira para gelificação. Foram retiradas alíquotas para realização de análises microbiológicas de Coliformes Totais e a 45°C; Contagem de Aeróbios mesófilos, Staphylococcus aureus e Salmonella spp. O processo de extração e de realização das análises se deu em quatro repetições. De acordo com os valores microbiológicos preconizados pela Resolução vigente (RDC 12 de Janeiro 2001), a gelatina se mostrou com ótimos resultados, dando valores Staphylococcus aureus, ausência de Salmonella spp. em 25 mL da amostra, resultados negativos em todos os tubos do teste presuntivo, ou seja, sem contaminação por coliformes, e com valores mínimos de bactérias aeróbias mesófilas variando de 40 a 540 UFC g-1. Tal resistência a contaminação pode ser atribuída aos tratamentos na extração e à possíveis condições ácidas do meio, que podem ter contribuído para inibir de forma considerável o crescimento microbiano. Os dados obtidos nas análises microbiológicas foram considerados satisfatórios, uma vez que a gelatina extraída não apresentou contaminação pelos microrganismos estudados. Ressalta-se a importância de estudos futuros em relação às concentrações dos compostos químicos utilizados.

Abstract:

Palavras-chave: Contaminação, extração, gel, pescado.,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/foodsci-microal-142

Referências bibliográficas
Como citar:

Maia, Monique de Oliveira; Sá, Daniele Maria Alves Teixeira; Damaceno, Marlene Nunes; Silva, Monique Ellen Torres da; Santos, Anakláudia Sombra; Bandeira, Gilnara Lima; Maia, Mônica de Oliveira; Farias, Virna Luiza de; Braga, Renata Chastinet; Castro, Herculana Carvalho; "Avaliação Microbiológica de Gelatina Extraída de Pele de Tilápia do Nilo (Oreochromis Niloticus)", p. 283-284 . In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene [=Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-142

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações