fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DO USO DO ÓLEO DE MACAÚBA COMO BASE PARA LUBRIFICANTE

COUTO, S. C. P; OLIVEIRA, A. M. de;

Artigo:

Diante do esforço mundial para a redução da dependência dos produtos de petróleo, propõe-se a substituição da base mineral de lubrificantes por bases vegetais. Sendo assim, o trabalho objetivou avaliar as características físico-químicas do óleo da polpa de macaúba que tem alta lubricidade, com vistas a seu uso como base para lubrificantes. O óleo foi desacidificado por extração líquido-líquido com solução de NaCl, foi caracterizada sua acidez, densidade, viscosidade cinemática, teor de umidade e espectro de absorção no UV-VIS. Além disso, foram avaliados o índice de acidez e a viscosidade das amostras do óleo de macaúba desacidificado (puro e com 1,5% de aditivo) e do óleo mineral neutro base para lubrificante após 20 ciclos de aquecimento. Os resultados mostraram uma acidez alta. A dificuldade em reduzir a alta acidez e o comportamento irregular da viscosidade na avaliação da estabilidade térmica torna o óleo de macaúba ainda inapto para sua utilização como lubrificante.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0976-21959-150047

Referências bibliográficas
  • [1] AMARAL, F.P. Estudo das características físico-químicas dos óleos da amêndoa e polpa da macaúba [Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart]. 2007. 66 p. Dissertação (Mestre em Agronomia) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Botucatu, 2007.
  • [2] ANP - Agência Nacional do Petróleo. Portaria ANP nº 129, de 30 de julho de 1999; Especifica os óleos lubrificantes básicos de origem nacional. Disponível em: www.anp.gov.br/e-legis. Acesso em: 15 mar. 2013.
  • [3] CICONINI, G. Caracterização de frutos e óleo de polpa de macaúba dos biomas Cerrado e Pantanal do estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. 2011. 128 p. Dissertação (Mestre em Biotecnologia) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2011.
  • [4] INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008,1020 p. IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Caracterização físico-química de óleos lubrificantes automotivos e industriais, 2013. Disponível em: http://www.ipt.br/solucoes/complementos/22/278-caracterizacao_fisico_quimica_de_oleos_lubrificantes_automotivos_e_industriais.htm. Acesso em: 03 jun. 2013.
  • [5] MATOS, P.R.R. Utilização de óleos vegetais como bases lubrificantes. 2011. 125 p. Dissertação (Mestre em Química) – Instituto de Química, Brasília, 2011.
  • [6] MELO, M.A.M.F. Avaliação das Propriedades de Óleos Vegetais visando a Produção de Biodiesel. 2010. 118 p. Dissertação (Mestre em Química) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2010.
  • [7] Área temática: Engenharia Ambiental e Tecnologias Limpas 7OLIVEIRA, E.S. Gaseificação da Macaúba. 2008. 83 p. Dissertação (Mestre em Engenharia de Alimentos) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, BA, 2008.
  • [8] REZENDE, J.R. Desacidificação de óleo de macaúba por extração liquído-liquído, para produção de biodiesel. 2009. 61 p. Dissertação (Mestre em Engenharia de Alimentos), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, 2009.
Como citar:

COUTO, S. C. P; OLIVEIRA, A. M. de; "AVALIAÇÃO DO USO DO ÓLEO DE MACAÚBA COMO BASE PARA LUBRIFICANTE", p. 8026-8033 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0976-21959-150047

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações