Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DA TENDÊNCIA À FORMAÇÃO DE OZÔNIO DOS GASES DE ESCAPAMENTO DE UM VEÍCULO ABASTECIDO COM COMBUSTÍVEIS CONTENDO DIFERENTES TEORES DE ETANOL

Silva, Katia C.C.; Daemme, Luiz Carlos; Macedo, Valeria; Penteado, Renato; Corrêa, Sergio Machado;

Artigo Completo:

A formação de ozônio e outros oxidantes na troposfera é uma consequência das reações entre os óxidos de nitrogênio (NOx) e as espécies orgânicas presentes na atmosfera, dentre elas os compostos orgânicos voláteis (COVs) na presença de radiação ultravioleta . A emissão de álcool não queimado é significativa para a formação de ozônio, em vários veículos flex o potencial de formação de ozônio a partir dos gases de escapamento é maior quando são abastecidos com EHR se comparado à gasolina A31. Os poluentes considerados como os principais precursores do ozônio são os hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio. O objetivo do trabalho foi avaliar a tendência à formação de ozônio dos gases de escapamento a partir da emissão de gases do veículo abastecido com combustíveis com contendo diferentes teores de etanol. Por meio de um procedimento desenvolvido no laboratório para ensaio em campo a partir de uma metodologia simplificada. Como a radiação solar é uma variável fundamental para a formação do ozônio a partir dos gases de exaustão, foi desenvolvido um procedimento simplificado de testes em campo que viabilize a medição do O3. No presente trabalho, os gases provenientes das emissões de um veículo leve de passageiros foram obtidas segundo os procedimentos da NBR 6601/2012 e coletados somente durante a primeira fase do ciclo FTP-75. Os gases foram coletados em um saco de amostragem (bag). A amostra de ensaio foi um veículo de passeio do ciclo Otto, testado em bancada chassis conforme norma brasileira, no ciclo FTP-75, com os combustíveis contendo diferentes teores de etanol, A31, A85 e EHR. O bag foi exposto ao tempo, para ser observada formação de ozônio e as influências das condições meteorológicas, com ênfase na radiação solar. Periodicamente foram coletadas amostras para medição do ozônio. Como esperado foi observado um aumento direto dos níveis de ozônio com a radiação solar incidente. A formação de ozônio aumentou com o teor de etanol no combustível. Uma das principais contribuições desta pesquisa está relacionada aos ensaios de formação de ozônio a partir de gases de escapamento e sua dependência com o teor de etanol no combustível. Os resultados encontrados sugerem que a adição de gasolina ao etanol possa diminuir a tendência que a emissão de álcool não queimado tem de produzir ozônio troposférico.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/engpro-simea2014-65

Referências bibliográficas
Como citar:

Silva, Katia C.C.; Daemme, Luiz Carlos; Macedo, Valeria; Penteado, Renato; Corrêa, Sergio Machado; "AVALIAÇÃO DA TENDÊNCIA À FORMAÇÃO DE OZÔNIO DOS GASES DE ESCAPAMENTO DE UM VEÍCULO ABASTECIDO COM COMBUSTÍVEIS CONTENDO DIFERENTES TEORES DE ETANOL", p. 449-461 . In: In Anais do XXII Simpósio Internacional de Engenharia Automotica - SIMEA 2014 [=Blucher Engineering Proceedings]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-simea2014-65

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações