dezembro 2014 vol. 1 num. 5 - II Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar

Resumo - Open Access.

Idioma principal

Avaliação Da Taxa De Infecção Urinária Associada A Sonda Vesical De Demora Em Hospital Universitário

Butzke, B.L.; Jimenez, L.F.; Butzke, M.; Butzke, M.; Uzeika, L.; Marimon, M.M.;

Resumo:

a infecção hospitalar é um importante problema de saúde pública, sendo responsável pelo aumento da morbimortalidade dos pacientes, bem como do período de internação e custos assistenciais. A infecção do trato urinário (ITU) corresponde a aproximadamente 40% de todas infecções hospitalares, sendo a presença de cateter urinário o principal fator de risco. Entre os pacientes que são hospitalizados, mais de 10% necessitam fazer uso temporário deste dispositivo. Dentre os fatores de risco associados estão a colonização do meato uretral e a duração da cateterização, a qual tem sido considerada o fator mais importante deste tipo de infecção. O objetivo do presente trabalho é avaliar a evolução, ao longo dos últimos dez anos, das taxas de ITU associada à sonda vesical de demora (SVD) no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Métodos: foram avaliados dados obtidos com a Sistema de Informações Gerenciais HCPA acerca das taxas de prevalência de ITU relacionada ao uso de SVD. O coeficiente foi calculado a partir da soma do número de ITUs associadas ao uso de SVD em relação ao número de dias de uso da mesma, multiplicado por 1000. Resultados: a partir da análise dos dados coletados, foi encontrada uma taxa de ITU relacionada a SVD de 15,71 no ano de 2005, com tendência decrescente nos anos subsequentes, chegando a uma taxa de 4,35 no ano de 2014. A média entre os anos analisados situou-se em 10,41, e houve uma redução de 72,3 % nestas taxas ao longo dos últimos 10 anos. Conclusão: Houve um decréscimo importante nas taxas de infecção do trato urinário no período analisado. Esta diminuição deve-se, em grande parte, a melhora das práticas de prevenção de infecção hospitalar, como educação dos profissionais da saúde quanto a higienização das mãos e medidas específicas para cada sítio de infecção, a partir de medidas institucionais, como criação de protocolos e medidas administrativas. No caso da ITU, uso de luvas para o procedimento, técnica e equipamentos estéreis, coletores de urina com circuito fechado e válvula anti-refluxo e remoção da SVD o mais rápido possível.

Resumo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/medpro-II-cbmh-031

Referências bibliográficas
Como citar:

Butzke, B.L.; Jimenez, L.F.; Butzke, M.; Butzke, M.; Uzeika, L.; Marimon, M.M.; "Avaliação Da Taxa De Infecção Urinária Associada A Sonda Vesical De Demora Em Hospital Universitário", p. 38 . In: . São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-II-cbmh-031

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações