Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DA ESTABILIDADE TÉRMICA DE PECTINASES COMERCIAIS IMOBILIZADAS E TRATADAS COM FLUIDO PRESSURIZADO

DEMAMAN ORO, C. E.; GAIO, I.; VALDUGA, E.; FURIGO JR., A.; NYARI, N. L. D.; FERNANDES, I. A.; GRABOSKI, A. M.; DARONCH, N. A.;

Artigo Completo:

Pectinases, ou enzimas pectinolíticas, são produzidas por um grande número de bactérias, leveduras e fungos filamentosos, insetos, nematódeos e plantas, a fim de degradar – para a obtenção de fonte de carbono, ou para modificar, fruto em amadurecimento – o heteropolissacarídeo pectina. A escolha de um processo de imobilização para uma dada enzima depende de fatores essenciais do processo, tais como os substratos utilizados, os tipos de reações e as configurações do reator, exigindo um projeto adequado para atender às necessidades da reação. As preocupações ambientais têm alertado a comunidade científica no sentido de investigar novas maneiras de diminuir o uso de solventes orgânicos voláteis. Para este efeito, o uso de fluidos supercríticos aparece como uma alternativa interessante. No presente estudo, a enzima polimetilgalacturonato liase (PMGL) foi submetida a tratamento com Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) e a sua estabilidade térmica foi medida. O trabalho teve como objetivo avaliar a estabilidade térmica de pectinases comerciais imobilizadas e tratadas com fluido pressurizado.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/chemeng-cobeqic2015-266-33091-252493

Referências bibliográficas
  • [1] ANFINSEN, C. B.; Principles that govern the folding of protein chains. Science, 18 223-230. (Nobel Lecture), 1973.
  • [2] BASRI, M.; YUNUS, W.Z.W.; YOONG, W.S.; AMPON, K.; RAZAK, C.N.A.; SALLEH, A.B. Immobilizatio of lipase from Candida rugosa on synthetic polymer beads for use in the synthesis of fatty esters. Journal of Chemical Technology and Biotechnology. 1996: v.6: 169-173.
  • [3] HABULIN, M.; KNEZ, Z. Activity and stability of lipases from different sources in supercritical carbon dioxide and near-critical propane, Journal of Chemical Technology Andamp; Biotechnology, v. 76, p. 1260-1266, 2001.
  • [4] KASHYAP, D. R.; VOHRA, P. K.; CHOPRA, S.; TEWARI, R. (2001). Applications of pectinases in the commercial sector: a review. Bioresource Technology, 77:215-227.
  • [5] SAKAI, T.; SAKAMOTO, T.; HALLAERT, J.; VANDAMME, E. (1993). Pectin, pectinase and protopectinase: production, properties and applications. Advances in Applied Microbiology, 39: 213-294.
  • [6] SARABOJI, K.; GROMINHA, M. M.; Ponuswany, M. N.; International Journal of Biological Macromolecules . 2005, 35, 211.
Como citar:

DEMAMAN ORO, C. E.; GAIO, I.; VALDUGA, E.; FURIGO JR., A.; NYARI, N. L. D.; FERNANDES, I. A.; GRABOSKI, A. M.; DARONCH, N. A.; "AVALIAÇÃO DA ESTABILIDADE TÉRMICA DE PECTINASES COMERCIAIS IMOBILIZADAS E TRATADAS COM FLUIDO PRESSURIZADO", p. 1127-1132 . In: Anais do XI Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica [=Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n.3]. ISSN Impresso: 2446-8711. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeqic2015-266-33091-252493

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações