fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DO EFLUENTE DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR TRANSESTERIFICAÇÃO

SILVA, S. P. da; BEZERRA, V. V. L.; SCHULER, A. R. P.;

Artigo:

Diante da crescente expansão da produção de biodiesel em plantas industriais que utilizam o processo de transesterificação com catalisador alcalino, verifica-se a necessidade em tratar o efluente gerado durante este processo produtivo. Logo, caracterizou-se o efluente da produção de biodiesel de uma planta experimental piloto acerca de suas características físico-químicas, servindo como base para trabalhos futuros que visem seu reuso ou disposição final. A caracterização do efluente foi realizada avaliando os seguintes parâmetros: demanda química do oxigênio, demanda bioquímica do oxigênio, série de sólidos, turbidez, condutividade, pH, oxigênio dissolvido, sódio, potássio, temperatura, óleos e graxas. Neste trabalho a maior carga do efluente gerado na produção de biodiesel pelo processo de transesterificação é de característica orgânica, apresentando a maior parte dos parâmetros analisados fora dos padrões de emissão e classificação das águas segundo as resoluções do CONAMA.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0821-23552-171452

Referências bibliográficas
  • [1] BOCCARDO, R.C.; PANORAMA ATUAL DO BIODIESEL. Curitiba, PUC-PR, CEFETPR, UFPR, UFSC, 2004. 82p. Monografia (Especialização em Motores e Combustíveis). Programa Brasileiro de Formação em Motores e Combustíveis, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Curitiba, 2004.
  • [2] BONOMI, A.; POÇO J.G.R.; TRIELLI M.A. Biocombustíveis: a solução brasileira para uma matriz energética sustentável. Rev. Bras. de Eng. Quím: São Paulo. Out. 2006. IPT/SP. p.16-21.
  • [3] BRASIL, Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 357, v;lde 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial da república federativa do Brasil, Brasília, DF, 17 de março de 2005.
  • [4] FERRARI, A. R.; OLIVEIRA, V. S.; SEABIO, A. Biodiesel de Soja – Taxa de Conversão em Ésteres Etílicos, Caracterização Físico-química e Consumo em Gerador de Energia. Quím. Nova. vol. 28, n° 1, p. 19 - 23, 2005.
  • [5] HOLANDA, A. Biodiesel e Inclusão Social. Brasília, DF: Câmara dos Deputados – Coordenação de Publicações, 2004, p.200. (Caderno Altos Estudos). JARUWAT, P.; SANGKORN, K.; HUNSOM, M.; Management of biodiesel wastewater by the combined processes of chemical recovery and electrochemical treatment. Energy Conv. Management. 2010, Vol. 51, p. 531-537.
  • [6] LIMA, P.C.R., 2005. Biodiesel: Um novo combustível para o Brasil, Consultoria Legislativa. Área XII, Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos. Fev. 2005. Brasília – DF.HARTMAN, L., LAGO, R.C. A . Rapid preparation of fatty acid methyl ester from lipids. Londres : Lab. Pract., v. 22, p. 475-476, 1973.
Como citar:

SILVA, S. P. da; BEZERRA, V. V. L.; SCHULER, A. R. P.; "AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DO EFLUENTE DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR TRANSESTERIFICAÇÃO", p. 7714-7721 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0821-23552-171452

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações